domingo, 10 de março de 2013

Descida ao Inferno

Nem sempre se consegue manter a moral lá no alto e por vezes é preciso descer ao Inferno para recuperar forças e avançar.
 
Estes dias têm sido difíceis. O S. sempre requereu muita atenção mas agora tem sido asfixiante. Só me quer a mim e tenho que estar a poucos centímetros dele senão chora. Se o deixo chorar canso-me de o ouvir, mas também não posso estar sempre presa a ele. Mas depois sinto-me culpada por não lhe dar todo o carinho que necessita.
 
E estou saturada de não ter uma actividade profissional. Tenho saudades de me levantar de manhã a pensar nas tarefas do dia. Tenho saudades de reuniões criativas, de prazos apertados, de escrever, do café com colegas, até do comboio pela manhã! Acho que não fui feita para me dedicar exclusivamente à casa e filhos. Mas também sei que se o S. fosse uma criança mais fácil, tudo seria diferente. Sinto-me numa engrenagem onde os dias são sempre os mesmos, com as mesmas tarefas. E perdi a minha liberdade e espaço que tanto prezo.
 
E depois não tenho disponibilidade para o marido. Só me apetece estar sozinha noutro planeta. Sinto-me mesmo esgotada.

Amanhã será um dia melhor, tenho a certeza.

17 comentários:

Maria disse...

Eu também...encontramos em nós forças à medida das nossas necessidades como se cá dentro tivéssemos uma fonte inesgotável de energia...claro que o motor é o amor...e quando a coisa envolve filhos...ele move montanhas e muda humores num ápice!
Amanhã ou quem sabe ainda hoje à tarde...o sol voltará a brilhar...!
Maria

teardrop disse...

Minha querida,
Espero que essa fase mais complicada passe e que consigas, finalmente, encontrar uma nova actividade profissional. Continua a acreditar em ti e vais ver que vais conseguir!
Beijinhos e muita força!

Anabela disse...

Imagino que não seja uma situação fácil.
Vais ver que daqui por uns tempos as coisas começam a melhorar.
Beijinho

aNaMartins disse...

força, deve ser uma situação complicada de gerir, mas não podes descurar da tua relação com o marido, talvez ele também te possa ajudar
beijinho

Gelatina de morango disse...

Um beijinho grande minha querida, e espero que essa fase passe logo.

Tsuri disse...

Eu não sou mãe mas trabalho com bebés e muitas mães desabafam sobre o mesmo!
Vais ver que é apenas uma fase e que anotardes o teu S. será mais independente!
Entretanto tenta entusiasmar-te com algo que gostes e dedica-te!
Muita força Dina e foge do mundo com um banho de imersão só para ti, verás que fará milagres!
Beijinho

Isa disse...

Dina, muita força! Às vezes as pessoas ficam "apanhadas" num ciclo de rotinas, e tona-se difícil quebrá-lo e dar a volta, principalmente quando se aspirava a fazer algo mais. Mas tenho a certeza que as coisas irão melhorar!

Fashionista disse...

Percebo-te! Força!!!

Jo disse...

Espero que sim, que seja efectivamente melhor!

Moa disse...

precisamos de uns dias de sol para nos animar! beijinho

Cantinho da Bê disse...

Eu estou na mesma, mas sem a parte do filho. Custa muito sim. Espero mesmo que corra tudo bem contigo minha querida.

Martinha disse...

Eu sinto que por vezes escreves por mim. Temos que ir buscar forças sabe-se lá onde... Estar em casa não é nada facil, os outros é que julgam que é... Beijinho grande para ti e para o S.

Petra disse...

Oh Dina vais ver que daqui a uns tempos... ele já anda já tem outras necessidades e ja vai ficar menos dependente.
Contudo não te sintas culpada por por vezes te afastares arejares a cabeça e não lhe deres toda a atenção que te pede.
precisas também de tempo para ti para o casal... beijinho

Verita disse...

Eu ainda estou na fase da gravidez e já estou em casa, depois vem a fase da "licença de maternidade por tempo indeterminado" e também tenho receio das dificuldades que me esperam! Sei que as coisas boas são muitas e muitas vezes compensam as más, mas que não deve ser fácil, isso não deve mesmo!!

Dina, muita energia positiva para ti!!
Beijinhos ao quadrado ;)

Saltos Altos Vermelhos disse...

Dina, compreendo perfeitamente! Estou há semanas nessa situação e já só desejo a minha volta à vida activa. Ela está super dependente e só me quer a mim, é normal pela fase frágil que está a passar mas nem sempre é fácil para mim. Vais ver que tudo se há-de resolver :)

Guinhas disse...

Dina nunca tive um filho mas leio o que escreves e entendo perfeitamente....e há uma coisa muito importante que é, embora as mulheres sejam mães, também são mulheres e gostam do seu espaço!Espaço esse que todos temos direito :)

Cat disse...

Não quero com este comentário minimizar o que sente, porque senti o mesmo do meu primeiro filho, mas há que relativizar e pôr as coisas em perspectiva, isto digo eu que tive gémeos prematuros há 4 meses atrás, e que agora olho para trás e vejo como tudo era fácil e simples só com um, nós é que complicamos!
É uma fase e vai recuperar a autonomia não tarda. Boa sorte e ânimo!!