terça-feira, 20 de junho de 2017

Sugestões de snacks saudáveis


Temos de lanchar todos os dias, e fora de casa, o que nem sempre facilita. Admito que nesta fase devo estar a lanchar diariamente macarons, éclairs, tartelettes e outras delícias da pastelaria francesa, mas voltando ao que interessa... Nem sempre é fácil variar os lanches e saber exactamente o que comer. E retirar prazer disso! Há por aí muitas sugestões, mas eu decidi partilhar as que mais gosto, porque eu não consigo lanchar meia dúzia de frutos secos ou ovos cozidos e aguentar até ao jantar. Preciso de lanches que me dêem prazer, sejam saborosos, nutritivos e saciantes. 



Marinheiras com queijo fresco 
Aqui existem várias alternativas deliciosas. A base é sempre marinheiras (as de chia continuam a ser as minhas preferidas) e queijo fresco magro. Depois podem juntar rodelas de tomate cherry e orégãos. Ou então um pouco de manteiga de amendoim. Ou doce sem açúcar. Se optarem por queijo fresco tipo matinal e doce, é como se tivessem a comer cheesecake: por isso só pode ser bom, certo? A próxima experiência vai ser com um toque de mel e nozes. 


Compota de maçã caseira, iogurte grego magro e canela
Este é a minha mais recente paixão. Amo! Cozo ou asso maçã golden no forno com canela em pó e depois esmago para fazer puré. No momento, num copo, coloco o puré no fundo, iogurte grego natural 0% no meio e mais canela em pó por cima. É mesmo bom. Experimentem por favor.


Granola com...
Granola é bom. Acho que sou capaz de a comer simples. Compro uma que tem bastante sementes e frutos secos. Gosto de misturar iogurte grego 0% natural com granola e maçã, ou então faço por camadas de gelatina, iogurte, granola e fruta. 




Marinheiras com mini Babybel Light
Os Mini Babybel Light são queijos muito saborosos e dá para criar combinações simpáticas: com marinheiras, com fruta, frutos secos, etc. São uma opção para variar do queijo fresco.




Pão de centeio com banana e manteiga de amendoim
Admito que nunca comi ao lanche (mas já comi ao pequeno-almoço) e é uma boa alternativa para quem come pão ao lanche, para variar do fiambre ou do queijo. A junção de banana e manteiga de amendoim é qualquer coisa de fenomenal. Mas ainda não descobri nada que ficasse mal com manteiga de amendoim.




Bolos fit e panquecas
Nada como preparar umas panquecas para levar na marmita. Admito que gosto mais de as comer quentinhas, acabadas de fazer. Gosto de fazer bolos e muffins saudáveis para comer ao lanche. Tenho partilhado algumas receitas ao longo do tempo. 



Pudim de Chia
Fiz uma vez e não correu lá muito bem. Acho que não alcancei a textura ideal. Fiz com leite e chia mas vou experimentar fazer com iogurte e chia, de certeza que a textura fica mais agradável. Depois é só colocar fruta por cima ou aquilo que mais gostarmos. A imaginação é o limite!



Oopsies 
O chamado pão sem hidratos de carbono, recheado com queijo ou fiambre de peru. A minha receita  está aqui 

E por aí, o que se lancha hoje?

sexta-feira, 16 de junho de 2017

De regresso a casa



A esta hora já devo estar a caminho de Paris (já vos disse o quanto odeio voar?). É com um sentimento misto que vou para Paris. Por um lado, sinto-me feliz de regressar à terra que me viu nascer, onde vivi até aos meus 16 anos de idade. Estou entusiasmada por mostrar todos os locais que marcaram a minha infância ao meu marido e também ao meu filho. E claro: estou ainda mais eléctrica que o Simão por levá-lo à Disneyland (que para mim será sempre EuroDisney). Mas por outro lado, sinto uma contracção na alma tão grande, porque recordar a minha infância significa recordar momentos felizes e a presença de pessoas tão importantes como o meu pai e o meu irmão. Sei que vou chorar muito. Por outro lado, amanhã vou rever a minha irmã. Afastámos-nos, reaproximamos-nos e vamos rever-nos depois de muitos anos. O Simão vai conhecer os tios e primos pela primeira vez. Tem tudo para ser uma viagem muito especial. Até breve!

Ah, e tenciono voltar com 20 quilos a mais porque tenho uma lista infinita de pratos, doces, e afins que quero voltar a comer.... Mas vai saber-me tão bem!

segunda-feira, 12 de junho de 2017

O melhor bowlcake de sempre... é de framboesa e chocolate


Este é sem qualquer dúvidas o melhor bowlcake que fiz ao pequeno-almoço. É mesmo delicioso! Por isso tinha mesmo de partilhar. É uma opção fantástica para o pequeno-almoço que se prepara muito rapidamente.

Vão precisar de:
  • 1 banana madura
  • 1 clara de ovo
  • 40 gr de flocos de aveia
  • 3 colheres de sopa de leite magro
  • fermento
  • Framboesas (eu fui bastante generosa na quantidade. Deve ter rondado uma chávena de framboesas)
  • Facultativo: uns pedacinhos de chocolate negro 80% pelo meio

Com a ajuda de um garfo, esmaguem a banana. Numa tigela/ malga, coloquem a clara e misturem com a banana esmagada. Adicionem o leite e misturem. Juntem os flocos e o fermento e continuem a misturar. Adicionem framboesas a gosto, misturando com cuidado. Se forem tão gulosas quanto eu, juntem também uns pedacinhos de chocolate negro. Vai ao micro-ondas durante 3 minutos (o meu teve de lá voltar mais 30 segundos). Desenformem, decorem a gosto, deixem arrefecer e deliciem-se. Vou repetir a receita muitas mais vezes com certeza

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Dos melhores lanches de sempre!!



... nunca ouviram dizer que as opções mais simples são as melhores? Esta combinação é muito saborosa e nutritiva. Alcançou o TOP dos meus lanches preferidos. E é muito simples.

Numa primeira camada, coloco puré/ compota de maçã. Já fiz com maçã assada no forno com canela e com maçã cozida com canela, que depois esmago com o garfo. No meio, é só colocar iogurte grego natural 0%, ou quark, fromage blanc, iogurte natural. Por cima, canela em pó. Podem ainda acrescentar algumas sementes e frutos secos. A combinação é excepcional. Mesmo!

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Tudo, Tudo... e Nós | Nicola Yoon



"Madeline Whittier observa o mundo pela janela. Tem uma doença rara que a impede de sair de casa. Maddy leva uma vida tranquila na companhia da mãe e da sua enfermeira, até ao dia em que Olly, um rapaz vestido de preto, se muda para a casa ao lado e os seus olhares se cruzam pela primeira vez. De repente, torna-se impossível para Maddy voltar à velha rotina e ignorar o fascínio do exterior, mesmo que isso ponha a sua vida em risco."

Tudo, tudo... e nós é a história de um amor adolescente, da vontade de viver e de ser feliz, sobre esperança, sobre o amor de uma mãe. É um livro ao género de "A culpa é das estrelas". É um livro que pode comover, que nos faz sorrir. Embora o tema possa parecer "pesado", é um livro leve, daqueles que gosto de levar comigo de férias, para a praia. Achei o desfecho demasiado previsível, mas mesmo assim não me arrependo de ter mergulhado nestas páginas. Parece que está prestes a estrear (ou já estreou) o filme baseado neste livro, para quem prefere uma boa sessão de cinema...

terça-feira, 6 de junho de 2017

O meu pequeno príncipe


5 anos. Por mais lugar-comum que possa parecer, passaram 5 anos desde que olhei para ti pela primeira vez. Não foi amor à primeira vista. Foi preciso um tempo para realizar que este ser pequeno, de dedos longos, frágil, chorão, iria passar a arrebatar o meu coração. És desde o primeiro momento o meu herói que nasceu contra todas as probabilidades. Olhar para ti, ver-te crescer e descobrir o mundo é dos meus passatempos preferidos. Fazes-me sorrir, fazes-me feliz como mais nada. Mas também consegues pôr-me louca. Às vezes, tenho medo de um amor tão grande, tão forte, tão omnipotente. São amaras que nos prendem. Elos indestrutíveis. Estaremos ligados até ao infinito. Só quero continuar a ver-te crescer, feliz, curioso, saudável e descobrir o mundo contigo. Através dos teus olhos puros e dos teus comentários tão genuínos. Tenho medo de falhar. De ser má mãe. Sinto-me tantas vezes péssima mãe...O amor é algo tão difícil. Hoje celebramos 5 anos de amor maior. E o número "5" está-me a deixar tão nostálgica e assustada! 

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Queques de mirtilos | Framboesas



Ainda tinha alguns mirtilos que me sobraram das panquecas e como estava com desejos de muffin de mirtilos, procurei uma receita mais saudável para juntar o útil ao agradável. 

Encontrei uma receita vegan que adaptei e todos adoraram lá em casa. Juntei framboesas a metade da massa e mirtilos à outra metade. Houve ali uns quantos especiais, de framboesas e chocolate negro 85% que foram os meus preferidos. São mesmo deliciosos.

Para experimentar só precisam de:
  • 200 gr de farinha de aveia integral
  • 2 bananas maduras
  • 160 gr de leite vegetal ou leite magro de vaca
  • 1 colher de sobremesa de mel
  • 1 colher de chá bem cheia de fermento em pó
  • Fruta a gosto
Pré-aquecer o forno a 180ºC. Na Bimby ou na liquidificadora, triturar a banana, o leite e o mel. Juntar esta mistura à farinha com fermento. Misturar bem até ficar com uma massa homogénea. Juntar a fruta à massa, e misturar com cuidado. Dividir a massa por formas de muffins de silicone. Por cima de cada um, colocar alguns flocos de aveia e alguma fruta, para decorar. Levar ao forno durante cerca de 20 minutos. Deixar arrefecer e devorar sem culpa...

Boa semana!

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Sugestões para o fim-de-semana com crianças



Em maio, fomos conhecer a iniciativa da Junta de Freguesia do Areeiro: Jardim de Encantar. Até Setembro, todos os primeiros sábados de cada mês, o Jardim Fernando Pessoa recebe muitas actividades para as famílias e principalmente para as crianças. Fomos conhecer a iniciativa no dia 6 de Maio, mas este sábado, dia 3 de Junho há mais: insufláveis, pinturas faciais, jogos tradicionais, caça ao tesouro, fantoches, teatro e ainda pipocas e algodão doce. E é tudo grátis. Às 21h00 há sessão de cinema grátis ao ar livre (Um porquinho chamado Babe). Gostámos muito da primeira edição e passámos uma tarde bem diferente. Fica a sugestão para este sábado. 




terça-feira, 30 de maio de 2017

Diário de uma rapariga desaparecida | Marsha Forchuk Skrypuch



Não resisto a um bom livro sobre a II Guerra Mundial. Este é um livro pequeno (200 páginas) que se lê num ápice. Conta a história de Nadia que chega ao Canadá depois de passar cinco anos num campo de deslocados, na sequência da II Guerra Mundial. Começa a ter vários pesadelos e memórias muito perturbantes que colocam em causa a sua origem. Quem é a Nadia? Não posso dizer mais nada senão revelo o desfecho do livro. A história é contada na primeira pessoa pela Nadia, e quando é uma criança a falar da guerra, de sentimentos, de amor tem sempre um toque especial. Não é o livro mais emocionante que li sobre este período da História, mas envolveu-me e cativou-me até à última página. E faz-nos pensar mais sobre como vivem os sobreviventes depois de traumas tão marcantes, como conseguem ultrapassar e levar a vida em frente. É assustador. 


segunda-feira, 29 de maio de 2017

Panquecas com mirtilos


Fim-de-semana é sempre sinónimo de um pequeno-almoço especial. E este não foi excepção. Preparei umas panquecas de mirtilos, e ficaram deliciosas. Não fossem os mirtilos tão caros e era capaz de fazer esta receita regularmente. Dá para duas pessoas e o Simão também aprovou. 

Ingredientes:

  • 100 gr de farinha (à escolha - eu usei trigo e aveia integral)
  • 1 ovo
  • 1 iogurte grego natural 0% (ou 100 gr de quark, de fromage blanc, etc.Só tinha iogurte no frigorífico)
  • 150 ml de leite (à escolha)
  • 1 colher de café de fermento
  • Edulcorante (eu não coloquei nada mas podem pôr 10gr de stevia, ou 1 colher de sopa de agave, ou 30 gr de açúcar amarelo,...)
  • Cerca de 80gr de mirtilos (podem ser congelados) 

Num recipiente, misturar todos os ingredientes secos (farinha, fermento, edulcorante- se este for seco). Noutro recipiente, misturar os ingredientes líquidos: ovos, leite, edulcorante (se for líquido), e o iogurte. 
Misturar os líquidos na mistura seca, até obter uma massa homogénea. Juntar os mirtilos e misturar com cuidado. Depois é só cozinhar as panquecas numa frigideira anti-aderente, decorar a gosto e deliciarem-se. 

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Mais poderosa que a espada | Jeffrey Archer



Quem acompanha as minhas leituras sabe o quanto gosto da série "Crónicas de Clifton". Este é o 5º volume da saga. O livro anterior acaba quando uma bomba do IRA está prestes a explodir na viagem inaugural transatlântica do Buckingham. Quem morreu e quem sobreviveu? O livro decorre nos anos 60/ 70 e aborda  a questão da Rússia comunista com Harry Clifton a lançar uma campanha para libertar o escritor Anatoly Babakov, preso na Sibéria. Embora este volume não seja dos mais apaixonantes, a saga é muito interessante, repleta de intriga e suspense. É muito interessante conseguir acompanhar a evolução do mundo e da sociedade internacional através das mesmas personagens. Recomendo mesmo, mas quem ainda não se rendeu à mestria de Jeffrey Archer, comecem pelo primeiro volume "Só o tempo dirá".