sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

E se houvesse um batom que nos deixasse mais feliz?


Deparei-me com uma notícia que me deixou simultaneamente céptica e muito curiosa. Não é que existe um Batom da Felicidade? O Batom Oh Yeahh! tem uma fórmula exclusiva, com base em kiwi, cacau e outros ingredientes cujas propriedades terapêuticas estimulam a boa-disposição. Depois de aplicar o batom, basta deixar passar 30 minutos para que os nossos níveis de serotonina, a susbtância do bom-humor, aumente quase 3 vezes, o que reduz a ansiedade, ajuda a controlar a agressividade e inibe a fome. O batom Oh Yeahh! está disponível em cinco cores, tem protecção solar e tem um PVP de 12,95€. Está à venda em parafarmácias. Vou procurá-lo este fim-de-semana para testar. Eu sei: o marketing tem demasiado influências em mim. Pode ser que me ajude a enfrentar a próxima segunda-feira! 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Um casa de gente doida



É o que diz o homem lá de casa... Ontem ao jantar o pequeno disse que só podíamos dar beijinho depois de casar (ele já anda um tempo a dizer que quer casar com a sua princesa - eu). Não era tarde nem era cedo: fui vestir o meu vestido de noiva e casámos! Tivemos alianças a fingir, dançamos que nem uns perdidos, fizemos uma sessão fotográfica e divertimos-nos muito! Segundo ele, não há casamento sem doces e acabámos a noite a brindar e a deliciar-nos. É tão simples ser feliz! E se para isso temos de ser doidos, então sejamos loucos! 

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

RIBS & Company - das melhores experiências gastronómicas





Depois de semanas de clausura,  fomos experimentar o RIBS & Company, um restaurante que se dedica às carnes fumadas. E digo-vos: foi uma experiência muito positiva. Localizado nas Colinas do Cruzeiro, em Odivelas, o restaurante promete uma experiência à americana. Estava tudo delicioso! Amei o entrecosto, levemente doce, que se desfazia completamente na boca. Estava fenomenal.

Para iniciar provámos, as Skin Potatoes, uma batata com pele recheada com porco desfiado e outra metade com chili com carne, tudo com queijo gratinado por cima. Gostei mais do de chili e tive pena de não provar as asas de frango (mais uma razão para lá voltar). Depois pedimos o combinado Baby Back & Pulled Pork, isto é, o famoso entrecosto e o porco desfiado, acompanhado por arroz Cajun (até o raio do arroz era delicioso), pão de milho, salada de couve (deliciosa) e batata frita (aí acho que poderiam colocar uma ervinha).

Mas há muitas opções, ideais para partilhar entre amigos, numa refeição descontraída: peito de novilho, salsichas frescas, manta de entrecosto, frango, hambúrgueres (tinham um aspecto brutal), hot dogs, etc., até opções vegetarianas (com carnes tão boas até é pecado). A carta de cerveja é muito boa e as sobremesas são pecaminosas. Optámos por partilhar um Cheesecake de Oreo que estava muito bom. As doses são muito bem servidas. E percebemos que às quartas-feira, há um desafio para quem conseguir comer um hambúrguer com 1,5kg de carne (e muitos mais ingredientes) em 30 minutos. Corajosos, levantem as mãos.

É raro ir a um restaurante e ter uma experiência 100% positiva e foi isso que nos aconteceu. A decoração enquadra-se perfeitamente no conceito: muita madeira, as pernas das mesas feitas com tubos de construção, pratos de esmalte. E o atendimento também foi 5 estrelas.

Pode ter sido sorte, mas prometo voltar para ver se o nível de qualidade se mantém (ai o entrecosto a chamar por mim). Recomendo mesmo a visita. O preço nem é assim tão elevado.

Morada: Urbanização Colinas do Cruzeiro | Rua Pulido Valente, 5, loja 3, Odivelas.
Podem consultar em pormenor a Carta aqui.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Produtos (mais) saudáveis testados e aprovados


Estou sempre à procura de novos produtos que me permitem diversificar a minha alimentação de uma forma mais saudável. Estes são alguns dos produtos que experimentei recentemente e que mais gostamos:
Granola Superior Salutem
Foi das granolas de supermercado que me pareceu ter uma ficha nutricional mais interessante. Gostei muito do sabor e é bem rica: com muitos frutos secos (avelãs, amêndoas, nozes pecan), sementes (pevides de abóbora, sementes de girassol e de linhaça). É maravilhosa ao lanche (ou pequeno-almoço), com iogurte grego magro e fruta. A embalagem de 500 gr custa 4.99€. E sempre é melhor os mais pequenos comerem isto do que Chocapic´s. 
Iogurtes de soja Apro
Não sou fã de iogurtes nem costumo beber leite de soja. Em janeiro, estive alguns dias sem poder consumir produtos com lactose e comprei estes iogurtes muito a medo. Mas são uma pequena maravilha! Amei! Tem uma textura mais densa e são deliciosos. O preço não é muito convidativo (quase 3€) mas valem bem a pena. 


Skyr do Lidl
É o iogurte do momento. Após várias semanas esgotados, consegui provar os vários sabores. Tem uma textura mais grossa/ densa, mais de queijo do que de iogurte, e é muito pouco doce. Rico em proteína e interessante a nível nutricional, é um bom complemento para quem aposta numa alimentação saudável. Acredito que haja quem não consiga comê-los porque são realmente muito pouco doces e muito densos. Não fiquei particularmente fã (mas eu de uma forma geral não sou grande amante de iogurtes) mas de vez em quando hei-de voltar à comprar. Os sabores vão desde o natural, morango, maracujá/pêssego (de maracujá não tem nada), mirtilos e framboesas. Custam cerca de 0.69€/ unidade. 

Doce Dalfour
Não é novidade para muita gente mas nunca tinha provado. Este doce contém apenas o açúcar natural da fruta. Mas é muito saboroso e muito mais saudável. Pena o preço um pouco proibitivo. Mas recomendo, porque é realmente uma opção inteligente. Há diversos sabores disponíveis. 
Marinheiras
Porque é que as opções mais saudáveis são tão caras? Em vez de taxar produtos com muito açúcar, porque não baixar o IVA a produtos mais saudáveis para incentivar o consumo? Enfim... Experimentámos também as marinheiras integrais, mas as nossas favoritas com as de chia. São bolachas a base de farinha, água e azeite (não têm açúcar). Assim simples, ou com queijo fresco, tomate e orégãos: são deliciosas!


Mistura para Pão de Sementes Pingo Doce
Faço pão em casa de forma regular. Permite-me fazer pão sem aditivos e conservantes. E consigo fazer pão integral, com sementes de forma muito mais saudável e acessível. A verdade é que há dias em que não há tempo para comprar pão, nem para fazê-lo. Para esses dias, costumo ter na despensa essa mistura para pão de sementes do Pingo Doce e o pão fica delicioso. É só juntar água e azeite. O pão é muito fofo e tem mesmo muitas sementes. Custa 0.89€. 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Sushi para crianças


Nem sempre é fácil ir jantar fora com uma criança de 4 anos. Não temos onde o deixar e há sítios onde me recuso a ir com ele, nomeadamente aqueles restaurantes mais "in": por um lado porque ele não iria sentir-se bem e porque os outros casais não têm de aturar o meu filho. Ele porta-se bem mas é um crime obrigá-lo a estar à mesa durante muito tempo, num sítio onde se deve falar baixo e onde por vezes demora-se muito tempo a comer. 

Por isso temos sempre em consideração o bem-estar do pequeno quando vamos comer fora em família. E o Sushisan da Ribeira (Cais do Sodré - Rua da Moeda) foi uma agradável surpresa. À partida não seria um espaço kids friendly mas amei o serviço. Fomos comer o rodízio de sushi e as crianças já pagam metade do valor. Em outros espaços do grupo, não recebemos cuidados extra. Mas desta vez o Chef preparou um prato especial só para o Simão: peças de sushi mais pequenas, adequadas à boca dele, e peças especiais. Ele delirou com a atenção! Gosto quando os restaurantes vão mais além do que nos servir uma mera refeição, e o fazem com uma atenção extra, adequada às nossas necessidades. Não deu tempo para tirar fotos ao sushi dele, porque devorou tudo (estou a criar um monstro, eu sei). 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Fechada para o inverno | Jorn Lier Horst


Este título poderia descrever a minha vida nas últimas semanas. Estamos a meio de fevereiro e este ano ainda não conseguimos fazer nada de especial porque há sempre alguma maleita a atacar um membro da família. Em 45 dias, contamos com 2 gastro, 1 varicela, 1 otite, 2 inflamações respiratórias, 1 conjuntivite, alergias, e problemas gástricos. 2016, onde estás tu?

Voltando ao tema central deste post: acabei ontem o policial Fechada para o inverno e gostei bastante. A história passa-se numa zona remota da Noruega, onde se localizam várias casas de férias que estão fechadas durante os meses de inverno. Numa noite de nevoeiro, um homicídio grotesco é cometido na casa de um famoso apresentador de televisão...

Há factos demasiados óbvios na história, mas mesmo assim o autor prende-nos até ao fim, com desenvolvimentos surpreendentes. O autor é ex-polícia, o que traz muito realismo aos procedimentos policiais. Não é dos melhores que já li, mas a história é intrigante, e conta com um ritmo cativante. 

Este é o sétimo livro protagonizado pelo detective Wisting, mas o primeiro publicado em Portugal (mania das editoras não começarem pelo início das séries!!). Vamos aguardar e ver se são editados mais volumes... 

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

História de um Canalha | Julia Navarro



Julia Navarro é uma das minhas escritoras preferidas. Li todos os seus  livros publicados em Portugal e não houve nenhum que me desiludisse. Os mais marcantes: Diz-me quem eu sou e Dispara, eu já estou morto. Recomendo mesmo.

Julia Navarro sempre nos habituou a romances históricos, mas desta vez fugiu ao estilo habitual, e conta-nos a história de Thomas Spencer desde a infância até ao fim dos seus dias. Thomas sempre foi uma pessoa detestável. O livro retrata imensos temas sensíveis: o amor, a violência, a inveja, relações familiares, os procedimentos mais negros das agências de comunicação (uma realidade que bem conheço), a manipulação, etc., o que torna a história atraente. Mas quem gosta do estilo da autora espera mais, muito mais. O livro é demasiado extenso (mais de 800 páginas), para aquilo que é. A autora vai apresentando a versão dos acontecimentos de um ponto de visto moralmente correcto, o que se torna aborrecido. E falta explicar o porquê de Thomas ser assim. Não foi um mau livro, mas francamente não recomendo. 

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Fazer exercício em casa



Vai agora fazer um ano que decidi fazer exercício em casa. Adoro ginásios, mas infelizmente os meus horários de trabalho não me permite frequentá-los com uma regularidade certa, até porque não tenho com quem deixar o Simão quando o pai trabalha e porque não consigo levantar-me mais cedo do que já me levanto. 

Fazer exercício em casa pode não ser o ideal e exige uma motivação extra para treinar. Tenho a sorte de me "viciar" rapidamente no exercício físico. Mas também tem várias vantagens: não perder tempo em deslocações, fica mais barato, permite encaixar os treinos mais facilmente na rotina familiar e treinamos ao nosso ritmo, sem vergonhas. 

Podem optar por seguir treinos no Youtube ou por exemplo, como eu, seguir os planos da Kayla Itsines, cuja aplicação oferece 7 dias grátis para os indecisos. No início apenas precisam do peso corporal, e acreditam vão ver resultados. Não sigo os planos de forma precisa, porque exige intercalar com corridas, etc., e eu não tenho tempo. Mas mesmo assim perdi massa corporal, ganhei muita resistência e defini o corpo. 

Para começar podem investir num tapete de fitness (os mais baratos custam 2,49€ na Decatlon) e numa corda de saltar (1,99€) e depois ir adquirindo uns pesos, elástico, etc. 

Há cada vez mais pessoas a optar por treinar em casa. A falta de tempo não é desculpa: os treinos da Kayla por exemplo demoram 28 minutos. 

Se seguirem a Kayla no instagram podem ver alguns treinos e os resultados partilhados por pessoas comuns. 

Nunca pensei aguentar o ritmo de treinos durante um ano: estou muito orgulhosa de mim mesma. Não me comparo a ninguém, mas é bom saber que hoje tenho uma melhor condição física do que há um ano atrás. 

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Do fim-de-semana: Ciência e doces à mistura




O fim-de-semana foi bom, embora precise de resolver definitivamente uns assuntos que me andam a atormentar... Ultimamente tenho tido fins-de-semana mais caseiros, porque me apetece e porque o tempo também não tem ajudado.

Mesmo assim fomos ao Museu do Conhecimento com o Simão. Tinha receio que não se entusiasmasse porque afinal ele ainda só tem 4 anos, mas gostou imenso das experiências, principalmente a exposição DOing em que as crianças podem criar desde aviões de papel, a objectos para testar colunas de ar quente, criar percursos para berlindes, circuitos eléctricos ou fazer costura. O pequeno também gostou muito da zona Brincar Ciência onde se divertiu na Casa Inacabada, conduziu um carro com rodas quadradas e simulou andar na lua. Foi uma tarde bem passada. O bilhete família (2 adultos e 2 crianças) tem o valor de 20€. 

Dias de chuva significam sempre ligar o forno e experimentar algo novo. Desta vez foi a Bimby que nos brindou com um Creme de Arroz. Não provei mas os homens adoraram. Deve saber a arroz doce mas sem os grãos de arroz.


Curiosos? Vão precisar de:
  • 60gr de farinha de arroz (fiz na Bimby)
  • 500 ml de leite
  • 50 gr de açúcar (a receita original fala em 90gr)
  • Casca de laranja (ou de limão, como preferirem)
  • Canela
Na Bimby, é só juntar tudo no copo e programar 9 minutos, 90º de temperatura, vel 3. Ou para quem não tiver Bimby, levar ao lume até engrossar. Depois é só colocar em taças e polvilhar com canela.

Receita daqui

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Frango Agridoce




Gosto de receitas que sejam rápidas e simples, para aqueles dias infernais em que tenho de pôr algo na mesa da família sem stress, complicações e com pouco tempo disponível. E claro que têm de ser saborosas e nutritivas.

Esta é uma receita da Titá e está aprovadíssima! O molho é mesmo delicioso. E já a fiz quando recebi amigos lá em casa e fez um sucesso.

Vão precisar de:
  • 1 pimento vermelho cortado aos bocados
  • 1 pimento verde cortado aos bocados
  • 1 cebola picada
  • 1 lata grande de ananás
  • 800 gramas de peito de frango (aos cubos ou às tiras)
  • 2 colheres de sopa de maisena
  • 2 colheres de sopa de molho de soja
  • 2 colheres de sopa de polpa tomate
  • 4 colheres de vinagre de vinho branco
Prepare o molho, misturando a calda do ananás, o molho de soja, a polpa tomate, o vinagre e a maisena. Apesar da receita original não o dizer, costumo temperar a carne de frango com um pouco de molho de soja e um pouco do sumo do ananás.

No wok, colocar um fio de azeite e alourar o frango. Retirar e reservar. Colocar a cebola e os pimentos na wok e saltear, deixando-os ficar crocantes. Adicionar o ananás em pedaços e envolver bem. Juntar a carne. Adicionar o molho e deixar levantar fervura. Corrigir o sal e servir de imediato. Podem servir com noodles ou arroz branco. 

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Da eutanásia



Não percebo muito de teologia. Nem de filosofia. Nem de outras teorias que têm abundado por aí. A morte não pode ser tabu: afinal é o acto mais natural que temos em vida. Um segundo apenas. Por vezes antecipado por longos minutos e longas horas de sofrimento. E não há dignidade nesses últimos instantes. Claro que precisamos de apostar forte nos cuidados paliativos. Mas a verdade é que não são suficientes. E em certos casos já nem isso é solução. Eu acredito que devemos poder escolher. Se é verdade que existem milagres, não é menos verdade de que quando "chega o momento" se sabe. 

Não percebo muito de teologia, nem de filosofia, mas vi morrer com um sofrimento atroz o homem da minha vida. Por isso sei exactamente qual a minha opinião sobre este assunto.