terça-feira, 3 de abril de 2012

O amor convertido em €uros


Devo ser uma ingénua que vive de utopias e de sonhos irreais. Mas a mim parece-me estranho como em pleno século XXI ainda haja mulheres que casam por motivos económicos. No momento de escolher os seus parceiros para a vida, a conta bancária, a marca do carro e a profissão do homem são factores primordiais na escolha. Preferem dar primazia à estabilidade económica do que à estabilidade emocional. O amor, a paixão, o carinho perdem importância.

Claro que ajuda não se ter que contar tostões todos os meses. Mas não é o dinheiro que dá forças a um casal para aguentar as intempéries da vida: as doenças, os problemas, o peso dos anos, etc. E quanto há amor, consegue-se ultrapassar juntos os problemas económicos da vida.

Agora ouvir mulheres que namoram e parecem felizes dizerem «achas que vou casar com ele sendo ele trolha?», «somos felizes mas a nossa relação não tem futuro porque ele não tem curso superior», etc. choca-me. E agora vejo estas pessoas em relações de fachadas, mas com grandes vidas e grandes luxos. Mas prefiro olhar para outros casais, sem preconceitos, que podem fazer contas à vida, mas que são tão felizes juntos. 

Há mulheres que nem reparam que se vendem por alguns euros, por sonhos que podem não as fazerem felizes. Que no final da vida, quando a marcha-atrás já é impossível, hão-de ver que deixaram passar o mais belo que a vida nos pode dar...

18 comentários:

Anabela disse...

Infelizmente existe muita gente com esse pensamento!
Os sentimentos ficam para segundo plano e o "amor" ao dinheiro e status acaba por falar mais alto.
Na minha opinião, essas relações acabam por fracassar ao fim de algum tempo, uma vez que ninguém finge eternamente...

M a f a l d a disse...

A mim também choca-me imenso. São prioridades que eu não consigo entender! O amor..a cumplicidade..a paixão..são "coisas" insubstituíveis!

Cláudia disse...

Há muito disso, infelizmente.
Eu vou mais longe e digo-te que conheço quem escolhe até as amizades baseado nesse pressuposto...

MissApuros disse...

É mesmo muito triste e cada vez mais comum. bjinhos

Turista disse...

Querida Dina, tenho uma amiga de cerca de 40 anos que se mantem solteira, exatamente por este motivo: ninguém é perfeito em termos monetários, para ela!

*C*inderela disse...

conheço casos assim e um deles é bem famoso e próximo de mim!
não há nada que pague o amor.

Bjokas

Moa disse...

Eu conheço alguém assim...o casamento só durou um ano.

Dear Daisy disse...

Ai amiga...tu ainda vives noutro planeta?
Infelizmente, é verdade...
Conheço de perto algumas histórias que arrepiam de tristes que são :(
Beijinho my dear!

Devaneios.de.mestra disse...

Infelizmente há muitas mulheres que preferem ter roupas caras a ter um amor daqueles verdadeiros que nos fazem realmente felizes. Não trocava o meu namorado por carteira nenhuma, nunca :)

Rita G. disse...

E o problema é que situações dessas são cada vez mais comuns...bj!

Isa disse...

Se se puder ter tudo é que era bom! hihi

Bomboca do Amor disse...

Preferia acreditar que não existem pessoas assim.
Esta realidade é o auge da futilidade.
Beijinhos querida,
Bomboca do Amor.

Marisela disse...

E há aquelas que amam..incondicionalmente..que dão tudo pela outra pessoa..e ao fim ao cabo são tratadas como lixo..e trocadas por o físico..pelo exterior .. superficial.. pela fachada.. sem olhar para os sentimentos.. são convertidas em um zero a esquerda!
:(

MissBlueEyes disse...

Podem me bater que eu deixo! E vou falar o que costumo dizer, e não aquilo que na prática faço.

Se as pessoas tiverem oportunidade de arranjarem um bom partido, não pensem duas vezes. Não estou a falar em deixar alguém que amamos por outro com uma vida mais confortável. Estou a falar da escolha, se não amarmos ninguém e aparecer um com uma situação económica confortável, e que claro, seja boa pessoa. Não olhem para trás!

É a minha opinião, a opinião de alguém que está com a pessoa que ama, que já estivemos para nos separar duas vezes. Não por questões financeiras, mas está relacionado.

É SÓ a MINHA opinião!

Pipita de Chocolate disse...

Eu vivo de acordo com as mesmas bases que tu no que toca a relacionamentos, o amor em primeiro lugar. Mas digo muitas vezes, na brincadeira, que não soube escolher! Fiquei logo com o primeiro que me apareceu! :))) Claro que digo isto da boca pra fora! Mas de facto custa um pouco chegar o fim do mês a contar tostões e não conseguir fazer as viagens que se queriam, apesar de eu nesse campo estar para lá de feliz e realizada (apesar de o marido não me acompanhar). Mas pronto, é o que se chama a vida a dois e não a trocava por nada!

Beijinhos

Opinante disse...

Chocou-me quando me perguntaram, depois de ter casado, se o casamento rendia financeiramente!

Mas eu casei por amor e por tudo o que envolve o casamento, ou para fazer negócio? Por favor!

Não percebo, por muito que se seja agarrado ao dinheiro (eu também não sou de esbanjar), há que ver as coisas noutro prisma! De não esbanjar e reconhecer as possibilidades, a pensar apenas nas prendas que se pode receber...

Por isso é que muito casais contaram com o "ovo no cu da galinha" (desculpem a expressão), e se deram mal...

Amor tem que ser forte e ultrapassar tudo, o amor deverá crescer diariamente quando se passa mais um dia a enfrentar a vida como um só...

M.M. disse...

Pensava que estas coisas já nao existiam... Não sou pobrezinha, mas preciso fazer contas todos os meses para nao gastarmos mais do que ganhamos, mas nao trocava a minha vida por nada deste mundo! :)

Guinhas disse...

Olha eu conheci pessoalmente uma rapariga cujo namorado, de 5 anos, a deixou porque ela não tinha o mesmo estatuto social do que ele....