sexta-feira, 30 de março de 2012

Desabafo que não deve interessar a ninguém. E é uma pena.


Agora que a polémica das manisfestações da última greve geral já assentou, acho que posso falar. Tenho a dizer que não sou uma grande defensora da força policial: sei ver os seus defeitos e sou a primeira a apontá-los, sendo este um dos principais motivos de discórdia lá em casa.

Muitos criticam o papel da polícia: ora são uns chulos e caçam multas, ora estacionam mal os seus carros, etc. Mas há uma verdade que muita gente se esquece: que só multando e reprimindo os que fogem à lei, é que os outros cidadãos conseguem viver em segurança. E é pela segurança que estes homens trabalham. É para que nenhum bêbado cause um acidente ao volante e lhe mate o seu filho, se estacionam mal o carro é porque saem em urgência porque uma mulher está naquele momento a sofrer violência doméstica, etc. Os exemplos poderiam ser muitos.

E depois eu sou formada em Comunicação e decidi não seguir jornalismo por uma questão ética. Porque as notícias são feitas para vender. Porque são descontextualizadas para vender. E sem contextualização o povo só vê o que aquele editor quis. Há que tentar perceber o que vai além de algumas imagens e textos. Por exemplo, e é só um exemplo, aquela foto da jornalista da France Press. Alguém vos disse que o polícia exigiu a um manifestante que se afastasse. Este pegou numa cadeira e acertou no polícia com ela. O polícia pegou no cassetete e o manifestante pegou na jornalista e serviu-se dela como escudo... E aí está uma bela foto que correu mundo.

Não gosto de ouvir falar da repressão policial como se tivêssemos voltado ao tempo da PIDE. Eles estão ali para nos proteger e para vivermos em segurança. Para para isso há que por vezes lutar contra criminosos. Claro que por vezes também erram, não é isso que está em causa.

E não nos podemos esquecer que são homens. Homens destacados longe de casa, com um salário base de 700 euros, com ordens rígidas às quais têm que obedecer mesmo que não concordem, homens que têm que pagar a farda e o carro e material caso aconteça alguma coisa. Homens que não têm subsídios de risco. Homens que não ganham mais nos feriados e fins-de-semana, nem quando fazem horas extras para ir a tribunal durante as suas férias para o juiz soltar o bandido. Homens que dão a cara e a da família pelo ideal que é o da segurança. 

18 comentários:

Miss I. disse...

Esse tipo de desabafos interessa-me muito! Eu gosto de bloggers que expressam a sua opinião a determinados assuntos! E gostei muito deste! Realmente é verdade que muitas vezes os polícias são mal vistos, concordei em tudo o que disseste! Não tirava uma única palavra! Só tenho uma coisinha a dizer e esper que não leves a mal! É certo que há polícias honestos, e que realmente ganham por volta daquele valor, mas há outros que não levam só isso para casa, muitos desses andam à procura de pessoas que pagam para que a multa não seja tão elevada e de certeza que esse dinheiro que recebem não é entregue ao Estado. Penso que até já se falou nas notícias. É só isto que tenho a apontar a alguns deles! Mas de resto, se não fossem eles o país era destruído!

Beijinhos*

Dina disse...

Miss l.: Obrigada. Não levo nada a mal. Infelizmente há seres que desprestigiam a farda que vestem. E ao lidar com muitos polícias de perto conheço também alguns casos destes. Há muitos abusos: alguns são consequência de um círculo vicioso, mas outros são de pura maldade e deshonestidade: ambos deveriam ser mais punidos!

M a f a l d a disse...

Concordo contigo. Existem sempre dois primas sobre uma mesma situação..

Opinante disse...

Até poderei concordar, mas concordava ainda mais se todos os semestres fossem submetidos a testes físicos porque assim sim, poderíamos estar em segurança!

Agora há muitos (não todos!!) com uma bela barriguinha e que para se mexerem é preciso pedir licença, aí pergunto: se vier um ladrão, como é que esse polícia me defenderá??

Acho que era preciso mais rigor nesta área... é a minha opinião!

Rita G. disse...

Como em todas as profissões, há profissionais honestos e competentes, e outros que não honram os seus deveres. O pior é que pagam os justos pelos pecadores...bj!

Dina disse...

Opiniante: Concordo plenamente contigo!! Mas não achas que a insituição deveria ter alguns ginásios para os seus profissionais?

Ou outra. Aqueles homens têm uma arma ao cinto. Sabes que não há carreira de tiro para treinar? Sendo que há profissionais com 50 anos que só usaram a arma na escola? Mas se quiserem treinar têm que pagar do bolso (e acredita que não fica nada barato) e ainda têm que justificar todas as balas que gastam e que pagam do seu bolso, se não incorrem num processo?! Por isso alguns têm que comprar balas no mercado negro para poderem serem bons profissionais e manterem-se actualizados ;)

Lua disse...

Ora aqui está uma opinião como a minha. Pensei que era a única a pensar desta forma, mas já vi que não. :)

Gostei muito deste teu post. E a verdade é que há mesmo duas versões de uma situação só.

Beijinhos ♥♥

Miss I. disse...

É exatamente isso Dina! Mas também não posso recriminar muito, porque em quase todas as profissões, há sempre alguém que desprestigia a sua profissão! Mas ainda bem que percebeste, eu gosto sempre de ser sincera! E gosto muito deste tipo de temas!


Beijinhos

Alice disse...

Entendo que dizes... as pessoas também se fartam de falar mal dos Bombeiros e esquecem-se que eles nem são remunerados.As pessoas falam sem conhecimento de causa e a imprensa escreve o que lhes dá jeito (ou que lhes mandam) e o povinho lança inúmeras "postas de pescada" como se estivessem lá a ver, ou fossem especialitass no assunto.

Beijinho.

PS- Daqui deste lado do écran, os teus textos são sempre lidos, sejam ou não desabafos. Nem sempre são comentados. às vezes, não tenho palavras, outras não domino o assunto

Moa disse...

Escusado será dizer que concordo na totalmente contigo...

Cláudia disse...

Subscrevo cada palavra.

Sepois, além da muitas vezes incorrecta avaliação social, há ainda a questão legal. Um polícia no nosso país se der um tiro a um assaltante em fuga ou perigo eminente é alvo de processos intermináveis e pode ter a sua carreira em perigo. Estamos num Estado de direito em que se protege muito mais o bandido do que a vítima e, infelizmente, a maioria das pessoas que escreve manchetes não se lembra desse tipo de reflexões.

Nicas disse...

Olá Dina.
Gostei do teu post!
Sou casada com um psp. Ele não é de Lisboa mas constituiu família cá. Foi destacado para longe da sua terra, sem subsidios para alojamento, ao contrário de muitos ministros. Mas nem é isso que está em causa. É a falta de apoios até mesmo do próprio ministro da Adm. Interna, do Primeiro Ministro e do Presidente da Republica.
Quando um agente tem de usar a arma, se tiver mesmo de disparar e se por um azar acertar no alegado bandido, leva um processo, sai em todos os jornais e revistas, etc! Mas e quando é o contrário?
São homens e mulheres que lutam no dia a dia para que a população se sinta segura. E levam para casa os problemas e stresses da profissão como qualquer um de nós!
É uma profissão muito desgastante. Emocional e fisica.
Concordo que os policias deveriam ser todos atléticos. Mas e os apoios??? Deverão ser eles a pagar do próprio bolso? Já basta terem de pagar a farda, e garanto que não é barato! Têm de pagar a carteira de identificação, o nome que colocam ao peito e todos os acessórios obrigatórios. Quando vão a Tribunal, às vezes 4 e 5 vezes porque o Sr. Juíz não lhe apetece aparecer ou até o arguido, deslocam-se na própria viatura, por vezes nas horas de descanso ou dias de folga. Ninguém lhes paga mais por isso!
Um caso caricato. O meu marido mandou parar um Sr. porque ia a conduzir e a falar ao telemovel. O Sr. quando se apercebeu, atirou o telemovel para o chão. Quando foi abordado pelo agente, alegou que não ia ao telemovel e que o mesmo se encontrava no porta-luvas. Foi autuado mas sempre a barafustar! Saiu daquela zona e foi a uma esquadra de outra zona fazer queixa do meu marido. Apresentou como testemunha a esposa e o filho que garantiam que o telemovel estava em casa a carregar. O meu marido tinha 2 colegas com ele que serviram de testemunha e que presenciaram a situação. Foi instaurado um processo e o meu marido ficou com termo de identidade e residência! Qualquer ausência que ele fizesse, teria de informar os superiores. Teve de agir como qualquer bandido! Enfim. Depois foi provado que o Sr. mentiu e foi arquivado. Mas isto durou meses!!!
Enfim, poderia estar aqui a falar de N coisas mas não vale a pena.
Desculpem o desabafo longo mas volto a repetir que gostei da iniciativa do teu post.
Beijinho

Dina disse...

Nicas: Tb conheço muitas situações caricatas (acho que conseguiríamos alimentar um blogue só com elas), mas a do yeu marido é surreal. Como é possível!?

Opinante disse...

Todas as profissões tem as suas necessidades especiais, umas mais que outras, eu, se quero ser melhor profissional, tenho que me mexer, e tem que ser assim com todas as profissões! É claro que seria maravilhoso que todos tivessemos condições óptimas para trabalhar, como não temos, temos que nos esforçar... e seguir um outro caminho!

Fernanda disse...

Subscrevo tudo o que diz, Dina! Quando estamos em apuros queremos, esperneamos por agente de segurança e reclamamos se não está logo ali( costumo dizer que queremos um polícia para cada cidadão, para os termos sempre à mão), mas se autuam, meu Deus é a caça à multa! Mas se nos multam é porque estamos em incumprimeno ou não é? Emtão a culpa é de quem: do polícia ou do cidadão que não cumpre?Claro que há maus profissionais. Na polícia, como nos médicos, nos juízes (ó meu Deus, nos juízes então...), nos pedreiros, nos engenheiros, etc, etc. Somos humanos e como tal erramos. Bj e o desejo que tudo corra bem com a sua gravidez e que lhe nasça um bébé lindo e saudável.

Mammy disse...

Claro que interessa e eu concordo plenamente contigo. Escrevi um "post", no meu blogue, sobre o assunto com uma opinião muito parecida com a tua. Se quiseres dar uma espreitadela, está aqui:
http://sermaeetramado.blogspot.pt/2012/03/extremismos.html
Beijinhos

Maria disse...

Tens razão em cada palavra, mas as pessoas gostam de criticar sem se colocarem na pele!Bjinho

a Gaja disse...

Olha eu concordo com tudo o que disseste. Aquela manifestação ultrapassou todas as expectativas e violência gera violência. Infelizmente eles tiveram de agir e os jornalistas foram apanhados no meio.