terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Maminhas, para que vos quero...


Hoje em dia, voltou a tendência de amamentar os filhos, o que acho muito bem, visto ser a melhor opção para o bebé como para a mãe. No entanto, parece que está na moda amamentar até tarde, até aos 3/4 anos. E isso francamente incomoda-me:seria incapaz de o amamentar até tão tarde (vá não me chamem já de egoísta e de má mãe).

Mete-me bastante confusão ver uma criança crescida a mamar ao peito. Não sei explicar, mas mete-me impressão. Acho que a amamentação em bebé até aos 6, vá 9 meses, ou até ao ano de idade, é um momento único de partilha entre mãe e filho. Mas acho que depois deve haver ali um momento de corte. E depois que me desculpem as almas mais sensíveis mas onde fica a sexualidade do casal? Não interfere? A mim iria ser confuso e difícil partilhar a mama entre a alimentação do meu filho e a sexualidade do meu marido. Acho que tudo tem um momento, um período ideal, mas claro que pode variar de família para família...

26 comentários:

*Lili* disse...

Não podia estar mais de acordo...No meu caso nunca houve amamentação por parte da minha mãe pois não podia...mas já vi de tudo e realmente é estranho como crianças já com corpo formado ainda mamam...quer dizer ...uma coisa é bebés outra coisa são crianças :/ ...só quero chegar à mesma conclusão que a tua, mete-me impressão...

Mac disse...

Andava para falar no assunto, também não acho normal, ou se o é, a mim não passa pela cabeça. Não sei se é já por terem dentes, se o quê, mas faz-me confusão.

Nany disse...

Eu amamentei pouco cada um dos meus filhos porque as minhas maminhas não deram para mais. Se queria que tivesse sido diferente? Sim, mas não deu. E se sinto tristeza por isso não me considero menos mãe por tal.
A minha mãe, daquelas que se escreve com M bem maiúsculo nunca me amamentou por razões de saúde e isso não alterou em nada a nossa relação.
Sim o aleitamento materno é importante, sim trás grandes benefícios à mãe e ao bebé, mas...há sempre o belo do mas. E as mulheres que não o podem fazer? E este podem refere-se a questões de saúde, de vida, de opção.
Tenho uma amiga que amamentou a filha até quase aos 3 anos e andava de rastos, literalmente. Ela desabafava não raras vezes que o fazia por pressão familiar e da própria criança, porque necessidades alimentares não eram ai supridas.
Até 1 ano ano e meio não acho anormal, mas depois depende da vida, das opções e das possibilidades de cada um.
Giro é dizerem amamente, vá, até à primária se for preciso. Não se preocupe com o seu trabalho que só dá redução de 2h/dia até a criança ter um ano; não se preocupe se andar de rastos; se não o conseguir fazer; se isso interferir com a vida de casal.
Mas isso sou eu que acho que a partir de um certo momento esse "corte" é preciso e benéfico. Opiniões minhas.
De repente lembrei-me daquele tipo de "amamentação adulta", um fetiche de alguns adultos que adoram ser amamentados. Ao ponto de se vestirem de bebés e tudo. E isso sim é coisa que me causa um asco descomunal.
Peço desculpa pelo testamento.
Nany

Nany disse...

Eu amamentei pouco cada um dos meus filhos porque as minhas maminhas não deram para mais. Se queria que tivesse sido diferente? Sim, mas não deu. E se sinto tristeza por isso não me considero menos mãe por tal.
A minha mãe, daquelas que se escreve com M bem maiúsculo nunca me amamentou por razões de saúde e isso não alterou em nada a nossa relação.
Sim o aleitamento materno é importante, sim trás grandes benefícios à mãe e ao bebé, mas...há sempre o belo do mas. E as mulheres que não o podem fazer? E este podem refere-se a questões de saúde, de vida, de opção.
Tenho uma amiga que amamentou a filha até quase aos 3 anos e andava de rastos, literalmente. Ela desabafava não raras vezes que o fazia por pressão familiar e da própria criança, porque necessidades alimentares não eram ai supridas.
Até 1 ano ano e meio não acho anormal, mas depois depende da vida, das opções e das possibilidades de cada um.
Giro é dizerem amamente, vá, até à primária se for preciso. Não se preocupe com o seu trabalho que só dá redução de 2h/dia até a criança ter um ano; não se preocupe se andar de rastos; se não o conseguir fazer; se isso interferir com a vida de casal.
Mas isso sou eu que acho que a partir de um certo momento esse "corte" é preciso e benéfico. Opiniões minhas.
De repente lembrei-me daquele tipo de "amamentação adulta", um fetiche de alguns adultos que adoram ser amamentados. Ao ponto de se vestirem de bebés e tudo. E isso sim é coisa que me causa um asco descomunal.
Peço desculpa pelo testamento.
Nany

Amorinha =) disse...

Concordo mesmo com isso. Acho que um dia se tiver um filho vou optar por esse corte. Embora, terei todo o gosto em dar de leite até um ano e tal. Acho que a vida do casal deve ser também importante nesta fase. Até porque as mães nessa altura vivem muito mais para o filho e um pouco menos para o seu companheiro, porque assim o bebé exige. E acho que isso é o primeiro corte para que a vida sexual se mantenha saudável.
E acho que se visse uma criança de 6 anos a ser amamentada ia-me manter bastante confusão.
Mas são opiniões...

Beijinhos

Pistaxa disse...

Mais uma vez não poderia estar de acordo, a meu ver até ao 1 ano está bom.Já ouvi falar de mães que amamentam até aos 4/5 e mete-me muita muita confusão para não dizer outra coisa...
Ah, Dina o número é o 119 =D

susiedesonho disse...

Não dei muito tempo de mamar à Leonor porque tive uma série de complicações e não sinto que tenha uma relação menos cúmplice com ela por causa disso.

Bj,

Susie de Sonho.

Cláudia disse...

Aqui eatá um óptimo post! Amamentar enquanto mãe não me faz (muita) confusão, mas conciliar isso com a vida íntima do casal é algo que me deixa aprrensiva. Do meu ponto de vista e do ponto de vista do pai/marido.
E se nos primeiros tempos acho essencial, prolongar isso quase add eternum não me parece favorável para a minha saúde psíquica.


Mas também falo de cór. Quando chegar a altura poderei ter uma visão totalmente diferente, não sei. É esperar para ver.

Cat disse...

Concordo contigo Dina, não sou mãe, mas já andamos a pensar nisso :) 6 a 9 meses é o suficiente, assim o dizem os pediatras, pois desta forma, as crianças ganham as defesas necessárias...

Outra coisa que eu não acho bem, a normalidade com que algumas mulheres expoem os seios... passam a ser património mundial! E que tal irem para um sítio mais recatado, não só pra vossa comodidade como também é mais tranquilo para o bebé... a sério já vi em cafés as "belas damas" de fora :P. Andamos todas tapadinhas e depois toca a destapar porque temos a desculpa de ser mães... A sério senhoras toquem-se!

Sorry :P mas estava entalado.

Beijinho

Moa disse...

Não sei se viste a reportagem da sic noutro dia acerca disso. Mostraram uma mãe que ainda amamenta um filho de 7 anos!! Acho um exagero e não sei até que ponto é ético. Como dizia uma amigo meu, no gozo, deixa de mamar na mãe e passa logo a mamar nas gajas lol. Pretendo amamentar mas nunca para além dos 2 anos.

Opinante disse...

Nem mais, também concordo que tudo tem o seu tempo, nada de excessos!

Tânia disse...

Bom não sou indiferente ao assunto e serei mãe daqui a uns 2 meses.
Na minha familia também há casos de crianças que mamaram até aos 2 anos e eu já achei demais! O meu sobrinho mamou até faltarem 15 dias para completar 2 anos e sinceramente além de para ele ser apenas um consolo (acho que aí o facto de não usar chucha não ajudou também) não o alimentava e ele começou a fazer birra em locais desapropriados porque queria mamar e como já era grandito a minha irmã já tinha uma certa vergonha! Pessoalmente também não concordo com a amamentação de CRIANÇA....a mama é para os bebés!

Me disse...

Querida, tudo o que é demais... já se sabe.

Quanto à história da sexualidade, daqui a uns meses vais perceber (por razões práticas) que, enquanto deres de mamar, as tuas mamocas serão só do teu bebé... é que o leite não sai só quando o bebé mama ;)

Alminhas disse...

O que vou dizer pode ser polémico, mas não me importo. Eu acredito que o leite materno pode ser óptimo para o bebé porque dá-lhes tudo o que eles precisam, mas a verdade é que algumas mães transformam esse acto num acto de egoísmo (eu friso, algumas mães). Muitas amamentam simplesmente para emagrecer mais depressa ou então porque sentem que são únicas para o bebé, é o tal momento só delas, em que muitos pais são postos de parte.
Eu amamentei o meu filho até poder. Não emagreci e de certa forma foi um alívio quando deixei de amamentar. Aquilo não era uma tarefa fácil, de 2h em 2h, uma 1h em cada peito... era dose. Nem ele descansava, nem eu!O meu leite deixou de ser forte o suficiente e as pessoas diziam para insistir...Sim, e o meu filho passava fome! Ahhh e dizem que a sexualidade não muda nada.... nahh, tas a fazer amor e salta-te leitinho das mamocas... sexy não é? Mas pronto, esta é a minha opinião. O meu filho bebeu fórmula até um ano de idade e tem uma saúde igual à das outras crianças. E foi lindo, maravilhoso dar-lhe biberão e houve a mesma ligação maternal e (também) paternal. Eu antes do leite materno, considero mais importante a criopreservaçao das células estaminais, que muitos pais descuram. Cada um estabelece as suas próprias prioridades.

Dina disse...

Alminhas: Concordo contigo! Dizer que o leite materno é melhor é relativo à saúde de cada um! Pois há crianças/ adultos que não foram amamentados e que sempre foram saudáveis. E sim, consegue-se um relação com o filho com o biberão: tudo depende da ternura do momento. Se uma mãe insiste em amamentar mesmo cheia de dores, será que não está a prejudicar mais o seu filho? pois ele sente o mau-estar da mãe!

Moa: vi essa reportagem. E aquela mulher que já estava há mais de 20 anos a amamentar conitnuamente :/

Cat: é verdade que sempre fui pudica, mas com a gravidez uma pessoa perde a vergonha de expor certas partes do corpo... Mas a verdade é que se tem que pensar nos outros que estão à nossa volta. E há mulheres que abusam!! Há sempre um sítio mais recatado ou uma fralda para tapar...

StressAda disse...

Olá, foi a primeira vez que passei neste blog e adorei! Vou sem dúvida regressar, porque me identifiquei com imensos posts que não consegui parar de ler! Quanto a este em especial, concordo! Um ano no máximo! Penso que a partir daí a própria criança tem mais a ganhar, até em termos de autonomia e "cortar o cordão umbilical" mais um pouco! É isso que é ser mãe, também... preparar para a independência, um passo de cada vez!

Pipita de Chocolate disse...

Post certeiro, como sempre! Conheço um caso em que o bebé de 18 meses ainda mama...e o paizinho dorme no sofá que é para o menino dormir ao pé da mãe e servir-se quando quiser! Eu não gosto de opinar nestas situações porque cada um sabe de si, mas sinceramente acho um disparate abdicar da vida de casal por causa de amamentar uma criança que já come à mesa!

Bjs

S* disse...

Mamar até tão tarde já não me parece nada bem... amamentar, claro, mas até a criança começar a comer. :)

disse...

Concordo. Conheço alguns casos assim e acho que é só um péssimo hábito, que cria uma dependência na criança (tipo chucha...) e sim, só pode afectar a relação do casal.

vanda disse...

Eu amamentei os meus filhotes ate por volta dos 6 meses, depois tive de regressar ao trabalho!!! Tambem nao acho correcto tanto tempo a amamentar, mas sei la....acho que o periodo da amammentacao MUITO bonito, e tehno muito boas recordacoes!!!!
Beijos, Vanda

*C*inderela disse...

estive num estudo de aleitamento materno em que teoricamente o ideal seria dar de mamar entre 1 a 2 anos. Pessoalmente, 1 acho mais que suficiente, sobretudo depois de ouvir tantas complicações no aleitamento :S
mas cada caso é um caso. mas quem excede os dois anos é um abuso a meu ver.

bjokas

Verita disse...

Fiquei baralhada. Desde quando é que amamentar não foi uma tendência?
Acho a coisa mais linda e um laço entre a mãe e o bebé inexplicável!

Para mim até aos 2 anos é consensual!

bjs

Vee disse...

Eu discordo um bocadinho do post. Não me mete confusão nenhuma amamentar até tarde se não for por obrigação ou por querer ter a criança só para si (sim, acho que há mulheres que fazem da amamentação um acto egoísta). Não estou a amamentar mas não por vontade minha pois tinha decidido que enquanto houvesse ia dar, não importa que durasse 1, 2, 3 anos ou mais. Mas acho que o ponto a reter é que a mãe deve cortar com a amamentação quando não se sentir confortável e não continuar apenas porque se sente culpada se não der e isto não tem mês definido é apenas quando já não quiser dar.
Quanto à sexualidade tambem não concordo em absoluto, com um filho há mudança (mesmo que a mãe não amamente) e p.e. no meu caso o leite só saltava da mamoca enquanto as quantidades não se estabeleceram (no 1º mês e meio) depois só quando ela mamava é que havia leitinho.

D disse...

Não sou mãe, mas é um assunto que também me põe a pensar bastante, onde fica a sexualidade do casal quando se amamenta?

Gostei do blog :)

Je disse...

Concordo. Amamentei até aos 5 meses, deixei na semana antes de começar a trabalhar. Era o meu objectivo. E sim, acho que interfere na sexualidade, a mim psicológicamente, nos 1ºs tempos foi complicado e para ele,mais que não seja pelo possivel cheiro. bleck.

CS disse...

Não querendo julgar a mim também me mete confusão. Estou a amamentar e é um esforço físico e mental, apesar de ser também um momento de grande ligação entre mim e a minha princesa. Penso amamentar até ao fim da licença - 4 meses. Se prolongar mais um pouco, tudo bem.
A partir do momento que ela conseguisse dizer: "Quero mama, nunca mais a via."
Não acho saudável esse acto mantido na infância de um filho...