quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Equação familiar


Ontem à hora de almoço, comentávamos eu e a M., que há tantos famosos que passado pouco tempo de serem pais se divorciam. O que também acontece à nossa volta em casais que pareciam ter relações muito felizes.

Eu penso que, em parte, isso acontece porque têm filhos sem alcançar primeiro a solidez do casal. Sim, no amor, também existem patamares, que têm uma sequência lógica e que não podem ser saltados. Primeiro, há que criar laços fortes de amor (totalmente diferente da paixão), há que tornar o sentimento forte e quase inabalável, onde poderemos ir buscar forças para enfrentar todos os problemas da vida. Eu não digo que um filho é um problema, mas que tudo muda com a sua chegada lá isso é verdade. 

Têm filhos pouco depois de casar. Quase ainda não criaram uma rotina a dois (tão difícil de alcançar) que já se têm que habituar a um novo ser com hábitos muito difíceis! Um filho não salva um casamento. Tem antes todas as potencialidades para minar uma relação. Só um casal coeso terá força e determinação para criar um filho, enfrentando todas as mudanças.

Por isso é que esperei tanto tempo antes de pensar em engravidar. Porque precisei de sentir primeiro a nossa relação amadurecer e criar fundações sólidas para pensar num filho. Há quem diga que não se deveria esperar tanto (foram cerca de 4 anos de vida em comum) e que se tivesse engravidado logo, que possivelmente não teria tido estes problemas. Claro que penso nisso, mas penso que tudo tem a sua razão de ser. Que sem este tempo de amor a dois, nunca teríamos ter tido as condições para pensar mais além...

22 comentários:

Sini disse...

Concordo plenamente com tudo o que disseste! Onde posso assinar?!
O "problema" é que quando te casas começam logo a peguntar pelos rebentos e muitos casais, de certa forma, sentem-se pressionados!

Luisaeadriano disse...

Ola ....O amor constrói-se com o tempo ...Com verdade ,lealdade , carinho , valor e dialogo ....
bjs com carinho .
luisaeadriano

Palco do tempo disse...

tens toda a razão... por isso não percebo como algumas pessoas pensam que um filho pode salvar um casamento... ter um filho muda a rotina de um casal, altera a disponibilidade entre casal para coisas que faziam antes e talvez com a chegada de um filho tenho que se reajustadas :)

Rita G. disse...

Sinceramente acho que não é por ter um filho 2 anos depois de casar ou 6 anos depois de casar que faz a diferença. A mudança existe sempre quer tenhas filhos pouco ou muito tempo depois de casar. O casal pode ter uma relação sólida, esperar 6 ou 7 anos para ter filhos e acabar por divorciar-se. O que leva a isso é a volta extrema que a vida dá quando se tem filhos.Por mais preparados que tentemos estar, a verdade é que nunca estamos. Sei disso por experiência própria. O que é preciso é uma grande dose de compreensão e paciência com o outro, saber efectivamente que a vida já não pode ser a mesma e adaptar a rotina do dia a dia à chegada daquele novo ser. Se o casal pensa que tudo pode continuar igual então é meio caminho andado para o divórcio, é preciso saber que ter filhos implica abdicar de muitos momentos a dois, por exemplo.bj!

Fashionista disse...

Concordo! Há que consolidar o casal primeiro!

Isa disse...

Assino por baixo. Após quase 4 anos a vivermos juntos é que decidimos ter filhos. Obviamente não adivinhamos se vai ser fácil ou não! Mas, apesar de todos os problemas que tenho e de não saber se algum dia conseguirei ser mãe, acho que cada coisa a seu tempo!

Nokas disse...

Eu ainda acho que há casais que têm filhos para salvar o casamento...o que é impensável!!!

susiedesonho disse...

Assino por baixo pois tenho a experiência.

Bj,

Susie de Sonho.

Dina disse...

Rita G.: Eu entendo que não seja uma questão de «anos». E que cada relação tem o seu tempo. Há casamentos de meses mais saudáveis do que alguns com 10 anos. Mas acho que é importante consolidar primeiro uma relação antes de ter um filho. Para estar melhor preparado para a sua chegada e as mudanças (mesmo que nunca se chegue a estar totalmente preparado). Para que a relação entre os dois seja mais forte para enfrentar as mudanças!

PS: tinha saudades das tuas opiniões e contribuições ;)

Rita G. disse...

Obrigada Dina:)
Isso é verdade, uma relação imatura e frágil dificilmente sobrevive à chegada de um filho, mas mesmo uma relação sólida e estável pode balançar perante tanta mudança. O que acho é que o casal deve estar consciente de que nem tudo são rosas, de que um bebé deve ser muito desejado por ambos para que a mudança seja encarada como algo positivo. bj:)

roupa online disse...

Ter um filho vai implicar uma mudança enorme na vida do casal e a verdade é que nem todos estão preparados para isso. É uma mudança de se viver só a pensar no outro para passarmos a ter de pensar no conjunto "Familia"

Alminhas disse...

Oi Dina! Acreditas que tenho um post começado sobre este mesmo assunto...
Na minha opinião acho que não deve ser bem o tempo da relação, mas sim a qualidade da mesma. Acho que normalmente isto acontece com casais que não conseguem lidar bem com a rotina e com outras exigências que a chegada de um bebé traz. Acho que tem também a ver com incapacidade que algumas pessoas têm de serem altruístas. O nascimento de um filho é tempo de cedências. A prioridade é o filho, o casal durante algum tempo fica em segundo lugar. Mas isto é perfeitamente normal e inato. O casal tem que adaptar o seu espaço e a sua intimidade à chegada deste novo ser que depende totalmente deles. O problema é mesmo o egoísmo e incapacidade de alguns membros do casal a adaptarem-se à nova rotina. Gostam de sair à noite, gostam de dormir, detestam barulho, gostam de ter horas certas para os seus compromisso... etc.. E quando não existe um backgroud de apoio, só pode ser mesmo o casal a dar tudo por tudo. Um filho exige muita maturidade de um casal e isso, infelizmente, nem sempre o tempo traz.
Beijocas

estrela disse...

a sociedade impinge certas coisas para as quais deveriam estar caladinhos...uma delas é logo que acabas de casar e filhos?
se namoras...- então e casamento?
depois do 1º filho começam logo - e o 2º só ficas com este?
concordo com o que tu dizes (aliás tenho gostado todos os dias destes posts) um casal precisa de equilibrio pq um filho não salva casamento nenhum muito pelo contrário...começam as crises, as desavenças, tudo!
tudo muda na vida de um casal e as coisas não são como nos filmes!!!

Bomboca do Amor disse...

Muitas vezes nem se conhecem bem e quando vêm realmente a pessoa que está à sua frente é numa situação limite, quando além do casal ainda têm mais uma criança dependente deles!
Beijinhos,
Bomboca do Amor.

Dina disse...

Alminhas: É isso mesmo! Dizestes tudo o que não disse ;) A tua frase «A prioridade é o filho, o casal durante algum tempo fica em segundo lugar.» resume bem a nossa postura perante o desejo de ter um filho. Quisemos ser egoísta e aproveitar-nos ao máximo um ou outro: fazer coisas mais difíceis de se fazer quando se tem um filho: viajar, sair, etc. E acredita que senti que a nossa relação tinha chegado a um ponto em que senti, agora sim quero ter um filho :)

abspinola disse...

Concordo plenamente contigo, vi nas tuas palavras o que sempre pensei, criar primeiro uma relação solida a dois e depois pensar em filhos.Eu fico confusa como é possivel alguem casar e depois uns meses a frente já esta gravida.
Primeiro quis saborear a vida a dois durante 4 anos e depois veio o piolho e ao fim de 4 anos com o piolho nas nossas vidas e rotinas quero outro filho.
Cada decisão deve ser na hora certa.

Eu sou dada a decisões e gosto de decidir tudo em conjunto com a cara metade.

Bjs

aloucura disse...

tive sentimentos e pensamentos ambíguos a ler este post, estando eu em plena separação e c uma filha.
não concordei bem c o q escreveste pois não tem a ver c anos mas c maturidade.
eu lidei perfeitamente bem c a filha não lidei foi c o marido lol
e a sepração acaba por não ter a ver c os filhos. é pelo casal em si já não se entender enquanto casal. hj posso dizer q com ou sem Ema esta separação ia acontecer.

e não é por haver filhos ou não q se deve manter o casamento, parece cliché mas eu pensei assim durante um tempo, qd percebi q já não funcionava.
enfim, continuo sem conseguir expressar-me mt bem mas é mais ou menos isto :/

Turista disse...

Querida Dina, como tenho estado arredada das lides blogosféricas, por motivos de força maior, ando meio perdida! Diz-me: já te posso dar os parabéns? Já?! ;)

Dina disse...

Turista: podes me dar os parabéns por ser uma menina bem-comportada, simpática, blablabla :) Mas para os motivos que estás a pensar, ainda não, infelizmente...

Fizestes-me lembrar a última vez que fui à CUF à urgência de ginecologia. Quando fui pagar a senhora dá-me os parabéns e eu para mim «parabéns pelos 50 euros que acabastes de me chular?!». Devias ter visto a cara da senhora quando lhe disse que era mesmo por doença que estava ali :)

Nokas* disse...

Eu acredito que um casamento exige, de facto, esse período de amadurecimento que falas. Ter um filho é provavelmente dos maiores desafios que uma pessoa tem ao longo da vida. Conheço pessoas que mal casaram, desejaram logo ter filhos e assim aconteceu. Pessoalmente acredito que são pontos de vista diferentes mas sem dúvida que prefiro esperar. Amadurecer. E depois sim, dar um novo passo quando o casal considera que chegou a hora certa.

Tsuri disse...

Concordo plenamente, em tudo.
Sou abalroada inúmeras vezes com perguntas sobre "para quando um rebento",desde o primeiro mês após o casamento. Até dói. Acho que devemos mesmo crescer em casal e depois trazer o fruto desse amor ao mundo.
beijinhos

Panda disse...

Tens toda a razão, também já vi isso a acontecer a amigos. Eu pessoalmente casei há 2 meses, no dia em que fizemos 10 anos de namoro e já vivemos juntos há 5 anos e mesmo assim acho que ainda é cedo. Sei que se esperarmos pela altura ideal para termos um filho nunca o teremos, mas também há que dar tempo ao tempo. É um filho, não uma coisa passageira.