quarta-feira, 5 de maio de 2010

In Justiça


Gostaria de um dia poder ir almoçar com quem decide o que é comparticipado ou não no nosso benevolente Sistema Nacional de Saúde.

Afinal este nosso Estado apoio financeiramente quem decide fazer abortos. Eu não sou contra mulheres que recorrem a este processo em último recurso, por motivos fortes. Agora mulheres que fazem dos abortos um modo de vida e de contracepção? Porque é que eu tenho de pagar todos os meses 9.78€ por uma pílula porque tenho uma sexualidade consciente e certas mulheres (cerca de 340 mulheres fizeram mais do que 1 aborto em 2009) são recompensadas pela sua inconsciência?

Em vez de se instituir uma educação sexual sólida, apoia-se o aborto. E os meus impostos servem para isso. Mas eu preferiria apoiar aqueles pais cujos filhos têm uma doença rara e que precisam de dinheiro para o tratar no estrangeiro, preferiria pagar exames ginecológicos a mulheres com poucos recursos, gostaria mais de pagar vacinas contra o cancro do colo do útero, preferiria que fossem comparticipados tratamentos para a Psoríase que são excessivamente caros mas que são considerados tratamentos de estética, ...

A saúde é um bem precioso e caro no nosso país. Mas tudo se tornaria mais fácil se fossem tomadas decisões mais conscientes por quem manda no SNS!

13 comentários:

Poetic GIRL disse...

Sem dúvida que tens razão, eu também preferia que as minhas contribuições fossem usadas para esses fins em vez de pagar abortos a quem é incosciente dos seus actos. Enfim, é o país que temos não é?* bjs

Soinita disse...

Esses são apenas alguns exemplos de como o SNS não está bem.
Revolta-me que aquilo que descontamos todos os meses não seja suficiente para os médicos do SNS passarem exames de diagnóstico decentes.
Deixam sempre para a última. Até parece que a comparticipação do Estado sai do bolso deles. Bah!!!!

coisasdacleo disse...

É mais um reflexo do estado deplorável do nosso querido SNS.
Não sei o que o cidadão comum pode fazer para o mudar. Podemos mudar
PM's, podemos mudar PR's, que todos eles deixam o mau como está... Não entendo. Estas coisas ultrapassam-me!

(( Gostei do blog!! ))

Goma disse...

100% apoiada :)

Rita G. disse...

Totalamnte de acordo! Acho que as prioridades do nosso país andam na direcção errada!Bj:)

Clara disse...

Concordo contigo, mas o nosso SNS é um dos melhores da Europa, mesmo com as falhas gravíssimas que tem (digo isto porque fiz um estudo aprofundado sobre os diversos SNS de vários países europeus). Claro que há coisas boas e coisas menos boas e penso que isto gira em torno dos lucros de certos lobbys que ganham milhões com o nosso SNS.

Quero informar-te tb que podes obter a tua pílula de forma gratuita nos centros de saúde portugueses (qualquer um). Eu vou lá buscar a minha! Se tenho direito a ela e pago os meus impostos, então usofruo do serviço...

Agora que é um contracenso "financiar" o aborto e não haver fundos para se financiar uma educação sexual de base, idónea e consciente, lá isso é bem verdade!!!

Dina disse...

Clara: Eu tb ia lá buscar a minha. Mas devido a problemas de saúde, tive que mudar para outra, que não é comparticipada ;) Ou seja, se precisas de uma pílula mais recente e adequada ao teu quadro clínico, é preciso desembolsar dinheiro;)

Em relação aos outros sistemas de saúde, não tenho dados concretos. Mas conheço bem o da França. Apesar de ter mudado nos últimos anos, sinceramente estamos a anos-luz! Nada se compara! Nada mesmo...

Deusa disse...

Infelizmente tens toda a razão, e não é apenas na área da saúde que se verifica essa situação.
Infelizmente, quando se trata de "gastar" o fruto do nosso trabalho, vulgo impostos, muito pouco ou nada temos a dizer.
Mas o que se vê é uma parte da população a usufruir de situações que "fogem" aos parametros ditos normais e nós a pagarmos por eles...
Estão incluidos nesse rol, o caso que falas, do aborto resultado de (falta de) consciência de alguns, mas também os casos de muitos beneficiários do RSI, de situaçãos de detidos que têm melhor vida na prisão que muitos trabalhadores têm cá fora e que estão a pagar para manter o nível de vida e formação de criminosos e etc... podia ficar aqui o dia todo.
Por isso, subscrevo a tua indignação.
bj

Olhos Dourados disse...

100% de acordo contigo!

Chica Francisca disse...

Eu cumpro o código da estrada e ando sempre abaixo de 120. Há imensa gente que não cumpre o código e anda a mais. Essas pessoas têm acidentes e também sou eu que pago a estadia delas no hospital...
Há muita gente que fuma e depois fica como cancro de pulmão e enfisemas pulmonares e o diabo a 7 e vai para o hospital e sou eu que pago também a estadia deles no hospital.
Há comas alcoólicos e cirroses hepáticas de pessoas que bebem porque querem e vão para o hospital e sou eu que também pago os seus tratamentos...
Queres que continue?
Um dia a tua pílula pode não fazer efeito sem dares por isso. E ficas grávida e podes querer abortar por razões várias. Vais fazer no privado?
Ficam estas reflexões.
Ah, quanto a França, o SNS pode até estar a anos luz; mas averigua quanto são os impostos, ou seja, quanto mais os franceses dão ao SNS deles.

Dina disse...

Chica Francisca! Eu percebo a tua opinião. E tem a sua razão. Mas cuidado, eu falo de excessos. De quem faz 2, 3 abortos por ano. Porque não se precaveu. Sou totalmente a favor que o Estado pague abortos a quem o meio de contracepção falhou e não tem condições para criar um filho, porque foi violada, etc.

Em relação ao SNS de França: não me importo de pagar muitos impostos a partir do momento em que quando preciso do Estado, ele assegura-me meios de tratamentos, escolaridade gratuita, etc. Que de facto acontece. Os meus pais são contribuintes franceses e sinceramente não acho que paguem mais impostos do que eu. E os apoios que eles têm nem se comparam!

Nicas disse...

Olá Dina.
Descobri hj o teu blog e deparei-me com este post!
É realmente indecente a forma como os portugueses são tratados pela nosso governo. Não falo só da área da saúde mas também do ensino. Enfim, dava pano para mangas falar de tanta coisa errada que os nossos governantes consideram certo como, baixarem os nossos ordenados ou não haver aumentos mas, e nos rendimentos deles? Alguém mexe??? Muitos ordenados de muitos tachos davam para muita coisa.
Em relação à saúde gostaría de falar de uma situação que aconteceu comigo. Quando a minha filha era bebe, precisava de tomar um medicamento. Como era dificil dar-lhe com colher, fui à farmácia e pedi uma seringa. Acreditam que me cobraram dinheiro por uma seringa??? Depois lembrei-me que poderia ter solicitado um kit para drogados, porque para esses, é de borla! Olhem as prioridades no nosso país!!!
Beijinhos

Dina disse...

Nicas: Bem vinda! :)

Tens toda a razão, se começassemos a falar de questões financeiras, estaríamos aqui uma eternidade a expor as injustiças que se vivem no nosso país!
Por acaso já me aconteceu o mesmo com as seringas e pensei exactamente o mesmo: afinal és drogado e vão ter contigo para te dar seringas, e tu (a minha mãe) és doente crónico mas tens que as pagar...