terça-feira, 16 de agosto de 2016

Persuasão feminina



O homem lá de casa ficou traumatizado com tudo o que envolve concepção, gravidez, parto, pós-parto e recém-nascido. No entanto, sempre disse que não queria ter só um filho (ele é filho único) e eu sei que a minha validade está a acabar e que cada mês que passa os riscos serão maiores.

Francamente não sei se quererei outro filho. Mas fixei até ao final do ano de 2016 para ele tomar a sua decisão. Ele não vai pensar nisso até 31 de dezembro, tenho a certeza.

Ele também nunca quis ter um animal de companhia: os cães são demasiados exigentes, os gatos largam pelos, os coelhos roem fios, as tartarugas têm legionela, e os outros todos não se relacionam com as crianças. E claro, eu queria muito que o Simão crescesse com um animal de companhia. Mas o pai é irredutível: nada de animais em casa.

Mas a casa também é minha não é? Por isso dá direito a fazer jogo sujo, certo?

É simples: disse-lhe que este ano ou tínhamos um filho ou adoptávamos um gato. O nível de trauma é tão grande que podem já pensar no nome do gato. 


13 comentários:

Saltos Altos Vermelhos disse...

homens LOL

Um Mundo a Três disse...

haha Fartei-me de rir com esse ultimato.

Um Mundo a Três disse...

Ahhh eu também fiquei traumatizada com o tema, mas o tempo relativiza e vale tanto a pena passar pelas etapas menos boas... Além do mais não conseguia viver bem comigo mesma senão desse um irmão ao T. principalmente porque sei o que sente um filho único muitas vezes. Por isso aposto que vem aí um bebé, o gato terá que esperar :p

L. das horas disse...

Ainda te surpreendes e não há gato para ninguém!

Evy Percebes disse...

Ahahahah :)

Alminhas disse...

O gato dá menos trabalho e envolve menos riscos ;) Mas o cheirinho a bebé é insubstituível! ;) Beijinhos

Dina disse...

Vamos ver meninas, eu acredito fielmente que vai gostar mais da ideia do gato... Estão abertas as apostas ;)

Girl in the Clouds disse...

Faz-me lembrar a história de um amigo meu, a filha queria ou um irmão ou um cão :)

Jo disse...

Ahahah ;)

Cynthia disse...

Lol, aqui é unânime. Sem dúvida alguma, filhos. Até mais do que um, se preciso fosse, mas nada de animais.

CS disse...

Aposto no filho. O gato larga mesmo muito pêlo e não nos abraça ;)

Isa P. disse...

Ter um filho implica que duas pessoas o queiram muito. Nao me parece o caso.... Bj

Philipa Amaral disse...

É dar banho ao gato com produtos mustella. ;)