quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Desabafo

Vivo a pensar que deixei de ter vida. Quem vive em cidades do Interior não sabe a sorte que tem.

Tenho-me levantado antes das sete, para sair de casa às 8h15 mas mesmo assim tenho chegada atrasada. Tenho passado cerca de duas horas parada no trânsito de manhã e mais uma e pouco no final do dia. Quase quatro horas diárias totalmente desperdiçadas. Horas que não passo com o meu filho, horas que não passo a ler, cozinhar, a tratar de mim, enfim a fazer coisas que me fazem feliz. Sinto que não tenho vida além do trânsito e trabalho. E depois à noite o cansaço é tanto que me sinto uma péssima mãe porque nem sempre tenho tempo, paciência e forças de estar de forma adequada com o mais pequeno (já para não falar do mais velho).

Não gosto de viver assim. Apesar de estar a gostar muito do trabalho que estou a fazer. Outubro é mês de renovação de contrato e ponho-me a pensar se aguento mais um ano com este ritmo ou pior. Francamente sinto-me à beira do esgotamento e sei que a saúde e os meus estão em primeiro lugar. Mas por outro lado, não quero desperdiçar uma oportunidade de trabalho e ficar em casa.


Estou confusa e cansada. Deveria conseguir pensar numa solução conciliadora. Trabalhar a partir de casa ou em part-time seria o ideal, mas não sei se a empresa estaria de acordo. É tão complicado ser mãe de um bebé com um pai polícia com turnos, sem o apoio de uma avó ou outro familiar. Claro que há os amigos, mas eles também têm os seus horários, os seus compromissos profissionais, etc.

9 comentários:

Daniela Santos Silva disse...

como eu te entendo linda !! se bem que ainda nao fui mae ..mas quando se tem um namorado/marido policia tudo é tao dificil para nós ..claro que aguentamos mas quando vemos q eles nao sao compensados por tudo que fazem e ainda ter que lhes dar animo é complicado ... no teu lugar acho que optaria por um part time , na mesma empresa porque nao falas com eles ... as vezes sao sensiveis a este tipo de situaçoes ... porque chega a um ponto que vais esgotar mesmo ... eu que sou eu e nao tenho filhos ja me senti assim ... ja vi que ja nao estas a morar onde estavas , estas em lisboa ?? viver numa grande cidade como lisboa muda mesmo muita coisa .. eu ainda nao sei mas se o meu namorado ainda demorar mais 2/3 anos em lx p o ano talvez desça do porto p lisboa ... ele ja la esta ha 6 anos e meio ... mas as diferenças sao mtas entre porto e lx , entao em questao de transito e transportes .. bem vejo amigas q p entrarem as 9 saem de casa as 6 da manha ---jesus ...enquanto que aqui no porto basta me sair as 8 de casa p entrar as 9 e em transportes . ai vida vida* animo linda qualquer coisa estou aqui p te ajudar * facebook pessoal : https://www.facebook.com/danielafilipass

Helena C. disse...

Olá,
Passei exactamente pela mesma situação à 1 ano. Nos também somos transmontanos (com muito orgulho!) e moramos em Alenquer sozinhos, sem família próxima. Qd a nossa bebé nasceu eu trabalhava em Cascais e de transportes demorava cerca de 2horas de manhã e à noite, o caos! Quando chegou a altura de a por no infantário comecei a achar que não ia ter qualidade de vida nenhuma. Deixa-la no infantátio às 7.30 da manhã e ir busca-la às 7.30 da noite, que tempo é que ela ia passar comigo? Era mesmo isso que queria da minha vida? Não!!! Como trabalho na área construção e há uma diminuição significativa de trabalho propus à empresa passar a trabalhar em part-time a partir de casa e eles aceitaram, e agora acho que foi o melhor que podia ter feito! Espero que encontres uma solução que vá de encontro às tuas necessidades enquanto profissional, mãe e mulher! muita força:)

Maria João disse...

Olha minha querida,
Junta-te ao grupo, acordo todos os dias às 6:00 da manhã para entrar à 8:30, tal como tu, nunca chego a horas.
Tenho que atravessar a ponte 25 de Abril diariamente, o marido está um mês cá um mês em Angola, o tesouro mais velho no 4º ano, tem que estudar e trabalhos de casa todos os dias para fazer, o mais novo é ainda um bebe, tem 3 anos e requer muita atenção.
Antes das 19:00 não estou em casa, sozinha, tenho que dar banhos, fazer jantar, ajudar nos tpc, preparar lanches e roupas para o dia seguinte.
Ainda assim, e embora me custe muito esta labuta diária, dou graças a Deus, pois quando chega o fim do mês, tenho o meu ordenado na minha conta e assim posso proporcionar aos meus filhos aquilo que de outra forma não podia.
Ninguém disse que a vida era fácil, temos é que saber tirar dela, o melhor que ela nos dá!
Bjs, força e coragem,
MJ

Na Província disse...

É complicado e sinto-me um privilegiada por viver numa pequena cidade, que acaba por nos dar um bom nível de vida.
Um grande beijinho

Maria disse...

Compreendo-te muito muito bem...a minha vida está um corre corre terrível e não vejo como possa mudar...ao contrário as coisas têm-se vindo a complicar...Acho que por vezes podemos tentar mudar e isso é positivo...no entanto temos de ter a certeza que mudança podemos fazer..vai com calma...mas se achares que podes não hesites...saúde e filhotes estão sempre primeiro...quanto à saúde descobri já muito tarde!!!
Bjs
Maria

desabafosemrodape disse...

será que a empresa não tem abertura para uma proposta de trabalho a partir de casa?às vezes vale arriscar,depois de percecionar se haverá possibilidade de lançar o desafio. eu, que vivo por aqui numa cidade do litoral centro, quando tenho 6 ou 7 carros à minha frente , já me enervo, teria que ter muito jogo de cintura para esses horários.realmente a vida requer muitos sacrifícios, e nós mulheres, somos umas valentes

Daniela disse...

Realmente viver numa cidade assim não deve ser tarefa fácil. No entanto também terás imensas vantagens. Isto em termos de trabalho não está fácil, e se tu gostas do que fazes acho que isso te motiva para o continuares a fazer. Tenho pena que não possas ter mais ajuda por causa do teu filho, mas se até aqui conseguis-te gerir da melhor forma que conseguis-te não desvalorizes o amor que lhe dás.Boa sorte.

Jo disse...

O trânsito tira-nos anos de vida. É terrível e desesperante... o tempo desperdiçado dá comigo em doida!

Tania Fernandes disse...

o meu marido é GNR e esteve em Lisboa 5 anos, nunca quis deixar a qualidade de vida da cidade do interior. sabia que mais tarde ou mais cedo ele viria para o pé de mim, o que aconteceu, mas perdeu a minha gravidez e parte do primeiro ano de vida do nosso filho. Se iria viver para Lisboa por causa disso? Nunca, pode ter perdido estes momentos especiais da nossa vida, mas todos os dias brinca com o filho, todos os dias temos tempo de nos namorarmos, no verão podemos ir até ao parque assistir ao desmaiar de mais um dia, podemos deitar-nos mais tarde e ver tv em familia porque no dia seguinte só precisamos de 40m para a nossa rotina diária. Nas cidades do interior também podemos construir carreiras e ter sonhos, e acima de tudo podemos ter uma vida em familia. Não imagino o que seja estar a viver numa cidade como Lisboa, porque nunca me interessou saber... beijinhos e aproveita sempre todos os momentos, por mais pequenos que sejam, o tempo é como as Finanças.. implacável...