quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Homenagem a este rico povo de Lisboa


Os Lisboetas não sabem o que é ceder passagem numa cedência de passagem. Lisboeta não sabe o que é circular pela direita. Lisboeta não sabe o que significa distância de segurança. Lisboeta trava a fundo, quiçá chega a parar, perante avisos luminosos, carro de polícia ou acidente. Lisboeta sabe bem o que são manobras perigosas, do género travar a fundo na faixa mais à esquerda e virar tudo para sair da estrada. Lisboeta faz rotunda por fora. Carro de Lisboeta não vem equipado de pisca-pisca. Lisboeta fica louco com duas pingas de chuva. Lisboeta é um ás ao volante. Tanto que me faz desejar diariamente ter um camião para levar em frente alguns.

Os azeiteiros depois são os do norte, mas lá em cima, conduz-se com chuva forte, com neve, trovoada, gelo. E somos bem menos perigosos.


Isso é uma generalização barata. Venham os Lisboetas a contradizer-me, porque afinal metade dos Lisboetas são originário do Norte, centro ou Alentejo (deve ser o ar que nos afecta com o tempo). Mas francamente estou tão farta desta condução doentia. Existem verdadeiros assassinos por essas estradas fora...

7 comentários:

Cacau disse...

Deixando o regionalismo de parte, a verdade é que cada vez mais as pessoas conduzem pior! Ainda no outro dia comentava isso... as pessoas estão menos civilizadas!

Jo disse...

Acho que os há em todo o lado. Obviamente que, onde há maior número de carros a circular ao mesmo tempo, maior confusão, mais tráfego, etc, estas características se elevem ao máximo...

desabafosemrodape disse...

são um bocadinho assim, são. a ciência está em evitá-los.

Irina Cardoso disse...

Lisboetas e Portistas são loucos a conduzir... Ah gente apressada, stressada e doida...

Beijinhos :)

Cherry Pie disse...

Quando deixei de viver em Lisboa há cerca de um ano essa foi das maiores diferenças que notei na minha qualidade de vida. Onde moro agora também existe hora de ponta mas nada tão exasperante como o trânsito diabólico de Lisboa que deixa os condutores assim, desvairadas.

LURBA disse...

Olá Dina,
Aqui nem sinto tanto isso... já no Porto é a loucura!!! ;-DDD

Mónica disse...

E aqui no Porto?
Às vezes apetecie-me conduzir um 'monster truck'!!