quinta-feira, 14 de março de 2013

Inveja conjugal

Há dias estavam na televisão a falar da inveja entre membros do casal. É incrível como pode existir um sentimento tão negativo e destruidor entre duas pessoas que são, na teoria, um só, um porto de abrigo, uma família.
 
Dizem que há mais inveja no masculino, porque a mulher está habituada e preparada para o sucesso do homem. Agora há muitos homens que vivem muito mal com o facto, por exemplo, da sua companheira ganhar mais do que ele ou ter uma carreira de sucesso que ele não alcançou.
 
E acho isso tão, mas tão parvo. Incompreensível mesmo. Se o outro ganha muito, melhor: é mais dinheiro que entra em casa, o que vai proporcionar uma melhor qualidade de vida para ambos, certo? Não importa qual a proveniência do dinheiro. Como é possível acusar, prejudicar, fazer a vida num inferno à sua companheira por uma questão destas. Mas isso pelos vistos penso eu. Porque pelo que tenho vindo a perceber no que diz respeito a dinheiro conjugal tenho um pensamento antiquado...

11 comentários:

Mamã Apuros disse...

Sem dúvida. Um casal luta pelo mesmo, luta pela vida em conjunto que tanto desejaram. O que raio interessa que um receba mais que o outro? Acho uma grande parvoíce.

Cacau disse...

Então já somos duas, porque penso como tu!

Beijinho*

Petra disse...

Há tantos casos assim... sentem-se frustrados e descarregam nelas o alvo da inveja e o alvo de projecção das frustrações.

Tsuri disse...

Completamente, é absolutamente descabido. Falo por mim que me encho de orgulho pelos sucesso do marido e que vejo o mesmo a acontecer se for ao contrário... enfim.
beijinho

Opinante disse...

Incompreensível mesmo!!

Guinhas disse...

Sem palavras....acho tão antiquado!!

Luar (I.P) disse...

Penso tal como tu. Mas acredita que há muita gente assim. Tenho casos na família. Por a mulher ganhar mais, ou por ter um emprego de mais responsabilidade. Até tenho um caso em que ele não aceita que ela ponha saltos que a deixem mais alta do que ele. Enfim.

Felizmente o meu marido não é nada dessas coisas.

*C*inderela disse...

O que interessa é que caia dinheiro num agregador familiar para as contas serem pagas. De onde vem mais ou menos, não interessa.

Partilhar é bom disse...

Se há amor não pode haver inveja, no amor há partilha.

Bjs

Su disse...

Inveja acho que é um pouco demais.
Mas eu admito que não sei como lidaria com grandes diferenças salariais com o meu companheiro.
Talvez porque não queira ter filhos, não concebo a ideia de um bem comum e superior para o qual o casal trabalha.
Grandes diferenças salariais dificultam a divisão 50-50 das despesas. Mas eu não consigo imaginar outra forma de serem divididas.

Fernanda disse...

Cá em casa sou eu que ganho mais e gostaria muito que ele ganhasse mais do que eu (mas os polícias não vão ser aumentados, pois não?). Sinal que entrava mais dinheiro que graças aos nossos "queridos amigos" está cada vez mais curto!E não! Nunca foi problema! Porque seria? Não vai tudo para o mesmo saco?