terça-feira, 29 de janeiro de 2013

A verdadeira seita do século XXI

As mães são uma verdadeira seita dos tempos modernos. E tudo começa quando há uma grávida à sua volta. Começam logo a dar conselhos e avisos (muitas vezes sem serem pedidos) sobre tudo, como se fossem donas da verdade absoluta. Não comas isto, o teu médico disse para fazer isso?  mas faz antes aquilo, prepara-te o parto é horrível, blablabla.

Mas se eu pensava que a preparação a grávidas por parte de outras mães era dura e chata, quando a cria já nasceu a seita torna-se ainda mais fanática. As mães têm a mania de considerar o seu filho a regra absoluta de como é criar um filho, e esqueçam-se de que cada bebé tem o seu tempo, as suas necessidades, a sua personalidade.

Claro que há mães e mães. Há mães que só opinam quando a isso são convidadas. Há mães que são umas queridas por simplesmente partilharem a sua experiência. Mas há outras que têm um tom acusatório só porque não fazemos o mesmo, só porque não damos o mesmo que comer, só porque impomos outras regras, só porque a nossa cria ainda não faz isto ou aquilo.

Quase parece que existe uma competição latente. Os nossos filhos têm que ser os primeiros a andar, a falar, os mais bem vestidos, etc. Mas também têm que ter as mesmas dores, as mesmas maleitas, as mesmas dificuldades, porque senão és tu que estás a falhar porque não te preocupes o suficiente. És desleixada. Se dizes que o bebé é calmo, é porque te armas e tens a mania que para ti tudo é fácil e cor-de-rosa. Se dizes que o bebé é um diabo, és uma bruxa, que não mereces o que tens.
 
Só tenho um conselho a dar (afinal já faço parte da seita): deixem as crianças crescerem, sem stress. Têm tempo para tudo. E já agora deixem as mães vê-los crescer, com calma. Porque têm tempo de aprender com os erros. Porque ninguém é perfeito e toda a gente os faz.

18 comentários:

Maria disse...

há maes de "todos os tipos" :)

Bonitices Bijuteria disse...

Benvinda a essa grande realidade do mundo das mamãs! :)

Opinante disse...

Grande post Dina :D

Filipe disse...

Como sempre digo... as mães são as dominadoras do mundo! :) E se algumas mulheres criticam a forma de ser e agir dos seus companheiros/parceiros/maridos/namorados... lembrem-se que muitos deles são o reflexo da influencia maternal! :)
Eu até acho piada a essa troca de "sabedoria"... é a velha guerra entre maes e filhas... seja ela na adolescencia...seja aquando da maternidade... mãe é sempre mae... e terá sempre em sia a ideia de que a sua filha/filho, continua a ser aquele seu bebe indefeso! :) No fundo... elas só querem sentir-se valorizadas, querem sentir que ainda contribuem para a educação da sua filha... querem ajudar e sentirem-se uteis! Por mais que digam o contrario, por mais que discordem daquilo q possas fazer, no final, ela sempre achará que és uma mãe melhor que ela o foi! E isso, isso sim, muitas vezes custa a encaixar! :)

Purple disse...

Eu acho que o importante é não nos deixarmos melindrar. Muitas Mães precisam de aprovação alheia ou então sentem-se TÃO realizadas neste papel que perdem a noção do quão maçadoras são.
Como em tudo na vida, todos temos maneiras diferentes de encarar a vida, de educar os filhos e de demonstrar o imenso amor que sentimos por eles. E se o débito incessante de informação e opiniões não nos interessa então fazemos um belo reset and life goes on.
Beijinhu grande

Tsuri disse...

Não sou mãe, ainda, mas detecto isso e até me choca às vezes.
É bem verdade.
beijinhos

Papoila disse...

Obrigado.
Kiss

Cynthia disse...

A minha cria tem 4 anos e nunca me considerei dessas mães. Opino qd me fazem perguntas ou partilho a forma como ajo qd o assunto está a ser falado. Mas isso de querer impor as próprias regras aos filhos dos outros parece-me só parvo. Eu, como mãe, entendo q os miudos n são todos iguais, nem os pais, nem a educação, nem o ritmo... n percebo como há mães q n conseguem ver isso.

Alminhas disse...

O teu conselho é perfeito:) É assim mesmo. Palavras sábias:)

Moa disse...

Ui, não digas nada...já começaram a fazer isso comigo!!

Pipita de Chocolate disse...

Não sendo mãe, às vezes foge-me a boca para os palpites e tento controlar-me! Porque somos humanos e vemos melhor as "falhas" dos outros do que as nossas, e gostamos de opinar! Muitas vezes eu não digo nada simplesmente porque ninguém me pediu a opinião. Mas acontece ver coisas que me fazem alguma confusão, mas felizmente já interiorizei que cada um sabe de si e sabe o que é o melhor para os seus filhos.

Exemplos: uma grávida cheia de restrições alimentares simplesmente porque o médico (a) é um exagerado e ficam um pouco obsecadas sem terem um minimo de bom senso. Do género: não pode comer enlatados, nem ir ao Mc donalds. Vamos pensar que nenhum médico recomenda o uso abusivo deste tipo de alimentos, mas uma vez por outra não me parece mal...mas lá está cada mãe "protege" o filho como bem entender! Outro exemplo: a minha sobrinha prima é um bebé espectacular, sempre bem disposta, vai a todos os colos, está entretida no parque e vai a qualquer lado sem birras e stresses, mas se por um motivo qualquer, afinal é um bebé, começa com uma birrinha qualquer, seja porque quer um objecto que não lhe querem dar, ou quer fazer algo que não pode (tem 14 meses), choraminga um pouco e lá está a mãe, minha prima, começa a dizer que ela tem um feitio tramado, que não se aguenta e que quando quer uma coisa bla bla bla... ai não me contenho e digo que até parece mal ela falar assim de um bebé tão maravilhoso e que tomara a muitas! LOL Posso estar errada, mas também tenho olhos na cara e sei ver quando uma criança é uma peste e quando é fantástica! E a minha sobrinha é maravilhosa! Um anjo! :)

Beijinhos

Dina disse...

Purple: pessoalmente (já) não me afecta. Mas por exemplo no início sofri bastante. O pequeno não dormia, só chorava, tinha os peitos rebentados, etc., e toda a gente a apontar-me o dedo e a mandar-me fazer coisas que estava a dar em louca. E sei que há mães que sofrem quanto o filho tem um «atraso»..

Pipita: eu percebo-te. O meu filho é este tipo: um anjo e tem momentos de demónio. E parece-me que eles gostam de ser diabos quanto estão sozinhos com a mãe e depois ninguém acredita :)

ML disse...

Gostei tanto de te ler! É que é mesmo isto!

Dina disse...

Ah Pipita e em relação às grávidas: pensava exactamente como tu. Considerava-as umas exageradas. Mas depois quando fiquei grávida, fiquei igual, seguia asa recomendações fielmente: não queria que nada corresse mal, quanto mais por minha culpa. A vida muda-nos ;)

Pipita de Chocolate disse...

Dina se calhar é o que um dia se vai passar comigo! Não faço ideia! Só sei é que a ideia de estar 9 meses sem comer mousse de chocolate me causa uma certa ansiedade! Mas sinceramente acho que ai vou ceder de vez em quando! A minha mãe teve 3, eu sou a mais velha, e comeu sempre de tudo e nós fomos todos bem gordinhos e saudáveis! Tive uma colega que comia sushi todas as semanas e o bebé dela também é saudável e a médica nunca a proibiu.

Beijinhos

Dina disse...

Pipita: Pois, as coisas evoluem :) Antigamente não havia tantas limitações, mas tb havia mais complicações. E depois depende de cada mulher, das tuas análises, etc. Eu era rigorosa nas coisas que podiam fazer mesmo mal ao feto (charcutaria, carnes/ peixes mal passados, etc.), agora as coisas que não convém, eu experimentava e logo vi a reacação dele. Mas Fazemos assim, quando engravidares, voltamos a ter essa conversa para ver :)

Orianes disse...

Bom dia Dina, tenho passatempo a decorrer, queres participar? https://www.facebook.com/pages/Orianes/400891413328626

Miss Star Pink disse...

E tb há aquela seita "se tu casas, tens q ter imediatamente filhos". Como eu sofro!