quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Vencer o preconceito

Sempre o disse e agora sinto-o ainda com mais convicção: o mais importante para mim é a felicidade e bem-estar do meu filho. E para isso terei que apoiar as suas decisões de vida, seja a nível pessoal, profissional ou afectivo. E sendo assim, sempre disse que se ele fosse homosexual sempre o apoiaria incondicionalmente.

Mas mesmo assim fiquei impressionada (pela positiva) com uma conhecida. É recorrente perguntar-se às crianças pequenas se já têm namorado (o amor nestas idades é tão bonito). A pergunta foi feita à miúda mas a mãe corrigiu logo dizendo: «namorado ou namorada, não é filha?». Considero-me uma pessoa liberal mas não sei se seria capaz de eu própria levantar a questão assim ao meu filho: «tens namorada ou namorado?». Mas admiro quem o faça com esta naturalidade. Pode ser que assim se vença o preconceito.

17 comentários:

Anabela disse...

Eu também não sei se conseguia fazer a pergunta dessa forma, mas é de louvar e deve ser quase caso único.
Bjs

disse...

Confesso que também não sei se seria capaz, embora tenha a certeza de que não teria qualquer problema em ter um filho homosexual.

disse...

BTW, estás a gostar do "último segredo"? Ainda ando na dúvida de me embrenho ou não pelos livros do JRS!

Lux disse...

Seria preciso muitas mais pessoas a pensar assim para destruir este preconceito.
Infelizmente este país não é rico em pessoas assim...

Lux

Karina sem acento disse...

Ehheheheh lindo! Gosto do à vontade dessa mãe, sinceramente. Lá está, não sei se alguma vez faria essa pergunta dessa forma a um filho, mas é bonito ver que há pessoas que aceitam e querem é ver os seus filhos felizes :)

Purple disse...

Nem 8 nem 80. O importante é respeitarmos as decisões deles na devida altura.
Beijinhu grande

Conto de Fadas disse...

É realmente fora do comum esse à vontade da tua conhecida, acho até que é desnecessário pois pode causar confusão em tenra idade. :)

Kinhas disse...

Dependendo da idade essa pergunta pode ser um tornado para a cabeça e personalidade das crianças. é o que digo sempre, passamos do excesso do nada para o excesso do tudo... Bom senso e meio termo só faziam bem. :/

Guinhas disse...

Nem mais!No outro dia ouvi um comentário que me chocou, ainda mais de um rapaz na casa dos trinta..."Prefiro que a minha filha seja drogada, a ser lésbica".

Dina disse...

Bê: Os livros dele são bosn no geral. Por vezes peca um pouco pelo excesso de descrição. Os meus preferidos dele até agora foram o Codex e o Sétimo Selo. Este estou a gostar mas ainda estou muito no início ;)

Guinhas: Tb já ouvi dizer isso :(

Opinante disse...

Também me faz confusão...

Moa disse...

Eu acho que uma pergunta dessas em idades pequenas pode gerar muita confusão na cabeça da criança...acaba por influenciá-la. Devemos estar do lado deles nas opções que tomarem, na devida altura...

Isa disse...

Pois eu acho que não seria capaz de fazer um comentário assim. Alguém ser homossexual é coisas que não me afecta minimamente, cada pessoa sabe de si, tenho vários amigos que namoram/vivem com os companheiros, e tenho noção que um filho meu também pode ser homossexual. No entanto, não deixo de ser da opinião que a natureza do ser humano é a relação entre dois sexos diferentes, caso contrário a reprodução natural acabaria.

Nokas disse...

Não me choca, mas não sei eu eu o faria!

*C*inderela disse...

Não me importa a orientação sexual do meu futuro filho mas acho que não teria essa naturalidade toda.

O Sexo e a Idade disse...

Só não sei se será preciso logo de tão pequenino...

Moon Light disse...

O que interessa é que gostam, amam.. o resto não interessa.. esse genero de perguntas não se fazem nem se pensam....
"FAÇAM O FAVOR DE SEREM FELIZES"

BJS