sexta-feira, 1 de junho de 2012

O verão da minha infância

O Verão era sempre motivo de alegria. Era sinónimo de fazer as malas e rumar ao país. 1500 quilómetros que adorava partilhar na intimidade do carro com os meus pais: aquelas paisagens maravilhosas e as aventuras certas ao longo do caminho. Tenho tantas lembranças. Eu e o meu pai ainda planeamos pegar no carro e voltar a fazer a viagem, mas não tivemos oportunidade. Mal chegávamos a Zamora, ficava cheia de entusiasmo ao ver aquelas placas a anunciar Portugal.

O Verão sempre foi passado na aldeia dos meus pais em Trás-os-Montes, com a companhia dos meus sobrinhos (com a minha idade). Verão era sinónimo de liberdade e felicidade. Só quem passou pelo mesmo é que sabe o sabor doce destes verões. Brincávamos de manhã à noite, sendo que as tardes eram passadas no resguardo de casa, à fresca, porque lá fora fazia demasiado calor. Adorava aquele clima tropical e as trovoadas quase diárias. Os dias eram passados a brincar: caças ao tesouro, bicicleta, brincadeiras inventadas, algumas idas à piscina ou ao rio Sabor. Chegávamos ao fim do dia todos sujos (mesmo), mas não nos importávamos e a minha mãe via-se tramada para nos fazer lavar os pés que estavam da cor do alcatrão. E aqueles sabores? Ainda hoje adoro comer uma maçaroca de milho assada!

Fui tão feliz no Verão durante a minha infância. Uma felicidade pura e tranquila. Um sentimento verdadeiramente único.

12 comentários:

L.O.L. disse...

Feliz daquele que teve uma infância feliz:)

Turista disse...

Querida Dina, estas tuas memórias dos Verões da tua infância, serão comuns a algumas pessoas!
Mas o andar a brincar o dia inteiro, e chegar ao fim do dia, sujos mas felizes, serão comuns a muitas mais! A mim, por exemplo! :)
Lindo!

lena disse...

Olá. Também participo no desafio e gostei do post. Na minha infância também fazia uma viagem grande de cerca de Paris para o Porto e grandes recordações também...
Beijinhos grandes.

Anabela disse...

Ainda na segunda feira falava com um amigo sobre a nossa infancia: o percorrer a aldeia toda, descobrir uma espécie de gruta e fazer daquilo uma casa secreta, andar 3 kms a pé para ir para o rio... enfim, eramos tão felizes :)

Opinante disse...

Obrigada por esta partilha :)

Era tudo tão genuíno não era?

Scarlet Red disse...

A felicidade é uma coisa que se guarda no coração, para sempre, mesmo que às vezes recordar faça doer, é bom saber que um dia fomos livres e felizes e que isso ficou para sempre em nós, gravado no nosso ADN.
:)

ombemua disse...

ahahah a minha avo tinha o mesmo problema com os nossos pés!
Ficavam tão pretos :)))
Chegava a queimar o alcatrão tão quente, mas nunca desistia.
Adorava e adoro andar descalça :)

Baci*

Palco do tempo disse...

infancia feliz :)

Maria disse...

Partilho...e quem me dera voltar a sentir-me criança no verão...Bjinho grande

Maria disse...

Vi que tens de lado nos teus amores de blogues, o meu antigo blog, Só de Pensar, onde eu era a Drinha, tive que o fechar porque me expus a demasiadas pessoas por ingenuidade...Bjinho

mão da mãe disse...

é tão bom guardarmos estas memórias de tempos idos, em que a inocência e a brincadeira sem limites eram uma constante!

Dear Daisy disse...

Zamora, Rio Sabor...
Também eles são a minha infância :))))
Infância maravilhosa!
Beijinho