quarta-feira, 7 de março de 2012

Preconceitos femininos


Depois de ter sido confrontada com a teoria de que só se é mãe de filhos paridos e não adoptivos (o que continuo a não perceber), fui confrontada com uma nova teoria: para se ser mãe a sério, as mulheres têm que parir os seus filhos por parto natural (vaginal) e com mais dores possíveis. 

O pior é que estes preconceitos vêm das próprias mulheres. Não consigo perceber porque se hão-de discriminar mulheres só porque estas têm um medo/ fobia terrível ao parto e preferem optar por uma cesariana logo à partida. Sim, porque acredito que haja experiências traumatizantes para algumas e se podem escolher porque não?! Eu não o faria à partida mas há uma coisa chamada liberdade de escolha. E cada mulher é dona do seu próprio corpo. Cada uma é livre de ponderar os prós e contras das suas decisões.

E depois há os casos como os meus em que os médicos já ponderam cesariana por motivos de saúde da mãe e complicações na gravidez. Há algumas mulheres que já me disseram que se fossem eu não ligava e arriscava na mesma um parto normal, como se fosse capricho meu tentar proteger-me de complicações reais. Se o meu médico, profissional de saúde experiente, julgar que é melhor para mim, que seja!

E depois há ainda a teoria de que para parir é preciso ter dores. Estamos no século XXI e considero estes pensamentos tão retrógrados. Claro que admiro quem toma esta decisão e respeito (mulheres de coragem), mas ninguém tem que criticar quem prefere optar por epidural. Afinal a medicina teve os seus avanços por alguma razão! Eu não tenho vergonha de dizer que quero drogas!!!

Há demasiadas mulheres que julgam ser donas da verdade absoluta, quando cada uma é livre de se assumir como quer e de ser mãe da forma mais conveniente para ela...

40 comentários:

*C*inderela disse...

É uma grande verdade, infelizmente são as próprias mulheres a discriminarem. as mulheres não são mesmo nada amigas umas das outras! LOL.
Estive num estudo sobre aleitamento materno onde se fazia perguntas também sobre o parto e devo dizer que fiquei traumatizada com os relatos ... quero uma cesariana quase de certeza! Tenho liberdade de escolha, graças a deus.

Bjokas

Nokas disse...

Mas em que século estamos??

Pepper disse...

Já ouvi muitas dessas teorias também, o que só prova a estupidez que anda por aí.
Eu cá sou pelo epidural e todas as outras drogas que ajudam a não ter dores nessa hora.
O meu parto foi totalmente "nas nuvens", ahahahahah.

Mac disse...

Tive ambos de cesariana, por motivos de saúde, e não me considero menos por isso, mas sei que há quem o ache, enfim.

Se é para doer, diz quem já passou pelas duas experiências, cesariana e parto natural, que o após cesariana em termos de dores, é muito pior do que o parto dito natural.

Portanto se a medida materna é quantificada em grau de dor, estamos conversadas ;-)

Tixa disse...

enfim... eu então nunca vou ser mão... nasci com luxação congénita bilateral das ancas e fiz 5 operaçoes para compor a coisa. E há conta desse meu historial a minha ginecologista já me avisou que médico algum no seu prefeito juízo me propõe um parto normal! E agora? vou ser menos mulher ou mãe por isso?

Aliás para mim o ser mãe está mais voltado para a parte do criar do que para a do parir! Há muita mulher que pariu e nunca foi MÂE de verdade!

*beijocas

Passado Futuro e Presente disse...

Eu tive o meu pequenino por cesariana e não me considero uma má mãe, nem uma mãe menos boa...

Conto de Fadas disse...

Olha, isso é simplesmente estúpido. Um dia que seja mãe quero sofrer o menos possível...

Dina disse...

Tixa: Concordo plenamente. Sempre pensei assim: ser mãe é criar e não parir. Disseram-me muitas vezes que iria mudar de ideia quando fosse mãe mas continuo a pensar o mesmo!!!

Rita disse...

pois.. eu já tive um parto normal, com direito às dores e tudo e não achei nada de traumatizante.. acho que é tudo uma questão de até onde se aguenta, ou o que se consegue aguentar. Não escolheria uma cesariana logo à partida, mas não acho que uma mãe seja menos mãe por ter feito uma!! E em relação ao parto sem dor, é tudo uma questão de escolha da mulher, como tu bem dizes: liberdade!
Ainda bem que os avanços já permitem que se tenham partos 'santos'! :)

Opinante disse...

Completamente de acordo! Detesto a teoria de: para parir é preciso ter dores!

Tenho um desafio no meu blog, caso queiras aceitar ;)

Tânia disse...

É um assunto que tem muito que se lhe diga! Mas tens de fazer o que tens em mente e sentires-te bem com a tua decisão!
Eu prefiro normal e o mais natural possível mas isso sou eu! Quase todas as minhas amigas querem epidural, eu não porque pode ser muito bom mas pode ser mto mau e eu tenho problemas de coluna posso ter consequências graves!
Faz o que o teu coração mandar e se tens condicionantes de saúde não arrisques pois terás um ser dependente de ti! bjinhos e boa sorte :)

Fashionista disse...

que parvoíce! No meu caso nunca deram a volta e tive de fazer cesarianas!

Palco do tempo disse...

há com cada teoria que ate doi...

Tsuri disse...

Não sei muito bem a que propósito surgem essas ideias que depois dão origem a teorias mirabolantes. Seja como for acho que cada uma tem o direito de decidir o que quer. Mas se for fisicamente impossível parece-me apenas que o mais importante é dar à luz uma criança saudável.
Quanto à "medida" de quem é mais mãe, francamente, mas subscrevo a Mac, não por experiência própria mas pois sempre ouvi dizer que na recuperação as dores são absurdas.

Ignora Dina e sê tu mesma. O importante é a tua saúde e a do teu pequenino.
beijinho

Moa disse...

Que ideias do século passado, credo!

Dina disse...

Tânia: nesta altura do campeonato, também preferiria parto normal por mil e umas razões, mas os médicos que me seguem estão a ponderar cesariana apesar de estar pendente de exames mais próxima da data... E é verdade que já ouvi que a recuperação é muito mais dolorosa! Em relação à epidural, sei que há riscos, como em qualquer acto médico, mas nunca a pûs de parte. Sou uma mariquinhas em relação à dor, admito, pelo que se puder tornar tudo mais fácil que seja ;)

Sophie disse...

Concordo perfeitamente com o que tu disseste o problema é que muitas vezes, estes mitos e as religiões se sobrepõem à saúde da própria mulher. Depois acontece como aquela notícia da mulher defensora/activista dos partos naturais em casa que morreu no parto. Querem tanto ser mães "perfeitas" que o bebé nasce órfão ...

Cláudia disse...

é destas cabeças que saem pérolas tão jeitosas como "não queres ser mãe és má pessoa", "não queres ter filhos, nunca serás uma mulher à séria!"

Mentes pequeninas e preconceituosas.

Maggy disse...

concordo contigo. Eu tenho um medo terrível da dor, e ainda ontem comentei com umas amigas, se um dia tiver filhos será de cesariana se possível, os relatos de partos naturais assustam-me demais

Fios de Vida disse...

Há teorias que nem dá para entender onde nascem. Nem sequer têm fundamento cientifico. Parir sim mas não significa que tenha que ser com sofrimento. Mãe é quem cria e dá amor, quem está lá nos momentos bons e maus. Parir é o mais fácil. Beijinhos e tudo correrá bem:-)

mimi disse...

Olha fiz cesariana, embora já soubesse que possivelmente iria ser assim, arrisquei um parto normal sem sucesso e uma carrada de dores porque não fiz dilatação suficiente para a levar, se me arrependo ter tentado fazer parto normal? Sim sem saber pus em causa a minha filha, estupidez minha pensar que ainda o poderia fazer.
Mais isso não faz de mim menos mãe!
Para o próximo, dou logo ouvidos ao medico, portanto se ele diz para fazeres cesariana não hesites.
bjs

Su disse...

Isso de quem não sente dores não é mãe é pura e simplesmente ridículo.
Mas eu tenho reparado que há um aumento do número de cesarianas. Sempre as houve e eu não nego que, a bem da mãe e da criança, sejam muitas vezes necessárias. Só que também é importante não esquecer que são uma intervenção cirurgia, ao contrário de um parto normal. E que por casa cirurgia, o médico ganha mais. Por isso não admira que estejam a sugeri-las a mulheres que não precisam.

Anabela disse...

Teorias é o que não falta às pessoas.
O parto normal só tem uma vantagem em relação à cesariana: é o tempo de recuperação.
Mas ninguém é melhor ou pior mãe por fazer cesariana ou parto normal.
Interessa é que corra tudo pelo melhor.
Beijinho

Devaneios.de.mestra disse...

Era o que faltava ter de sofrer para me sentir mãe...

Miss Star Pink disse...

Dina,
relembra-me por favor em que século estamos. Obrigada.
Sem comentários, mas sim já ouvi essas parvoíces todas e mais algumas de gente desprovida de juízo e inteligência.

Beijocas

Vee disse...

Essas teorias parvitas (vá lá) normalmente saem da boca de gente ainda mais, como dizer, parvita.
O que não faltam são mulheres que pariram uma data de rebentos da forma "natural" e que não lhes ligam nenhuma (é mais um para o rendimento). Segundo essas teorias são também extremosas mães, exemplos de dedicação e sofrimento materno.

Ritokas disse...

Ora nem mais, quanto ao que essas ditas senhoras podem pôr as ditas teorias num sitio que eu cá sei. Tive até à data duas filhas, a primeira nasceu de um parto relativamente rápido com epidural, CLARO, e a segunda tb mas só não foi cesariana porque os próprios médicos não sabiam a prenda que ela trazia. A minha filhota mais nova agora com 19 mesinhos nasceu com 5 voltas de cordão no pescoço de parto normal com epidural mas o que correu bem poderia ter corrido mal, muito mesmo, por isso Dina faz o que dita a tua consciência e quanto a opiniões nunca vão deixar de ser isso mesmo. Beijokas e desculpa lá o testamento

Dina disse...

Su: também já me tinham avisado que os obstetras no privado sugeriam cesarianas por ganharem mais. Até acredito que haja casos desses, mas o meu é bastante prático e relativiza qualquer problema :) E apresenta argumentos fortes e no meu caso até foi o médico de outra especialidade que aconselhou o meu obstetra a pensar em cesariana ;)

Alminhas disse...

É pena que nos dias de hoje ainda continuem a haver comentários tão tristes, ignorantes e retrógados. Fico mesmo irritada quando oiço coisas dessas!!
Eu fiz cesariana, por indicação médica e digo já que tive dores, que a preparação e a recuperação de tal intervenção não são tão fáceis como muita gente pensa...mas isso não interessa, pois segui o conselho médico sobre o que seria melhor para o meu filho e para mim. Quantas mulheres têm filhos por parto natural e não têm dores! Quando é que as pessoas começam a interiorizar que o amor por um filho não tem medida e muito menos se mede pela sua origem (adoptivo ou gestacional), local de saída (vaginal ou abdominal), ou pela dor que provoca!!
Arrgghh gente ignóbil!
Minha querida Dina, segue apenas os conselhos dos teus médicos, pois eles sabem o que é melhor para vocês:) Beijinhos

Alminhas disse...

É pena que nos dias de hoje ainda continuem a haver comentários tão tristes, ignorantes e retrógados. Fico mesmo irritada quando oiço coisas dessas!!
Eu fiz cesariana, por indicação médica e digo já que tive dores, que a preparação e a recuperação de tal intervenção não são tão fáceis como muita gente pensa...mas isso não interessa, pois segui o conselho médico sobre o que seria melhor para o meu filho e para mim. Quantas mulheres têm filhos por parto natural e não têm dores! Quando é que as pessoas começam a interiorizar que o amor por um filho não tem medida e muito menos se mede pela sua origem (adoptivo ou gestacional), local de saída (vaginal ou abdominal), ou pela dor que provoca!!
Arrgghh gente ignóbil!
Minha querida Dina, segue apenas os conselhos dos teus médicos, pois eles sabem o que é melhor para vocês:) Beijinhos

Maria disse...

Já dizia a minha avó: "Parir é dor, criar é amor"...o resto é conversa (da treta)

Pulseira disse...

Concordo completamente com a tua opinião. Ser mão é muito mais que dar a luz num parto normal e com dores. Pensar que isso é o mais importante é completamente ridículo na minha opinião. A medicina evoluiu e nos mulheres também.
E hoje, no dia internacional da mulher só devemos dar vivas as mulheres e a sua liberdade de escolha, liberdade de viver e liberdade de ser feliz como quer!

Flávia disse...

Dina,
Eu fui mãe há exactamente 4 meses e meio e fiz uma cesariana. Principalmente por minha vontade, mas também porque o bebé estava no P90 e poderia haver problemas. Sempre disse q adoraria ser mãe, mas o facto de fazer uma parto normal deixava-me apreensiva e com mto medo, assim fui mãe do meu piolho e não me considero menos mãe por isso. Amamentei em exclusivo até á 5 dias e agora já come uma refeição de papinha :-). Se tiveres q fazer cesariana faz, o meu pós operatório fói fantástico nunca tive uma unica dor e sempre consegui andar bem... Bjs e boa sorte... Flávia

Nany disse...

Os meus nasceram os dois de parto normal, daqueles que desejo a todas porque foram horas pequeninas, rapidinhas e se tive dores no primeiro rapidamente passaram com a santa epidural, na segunda a epidural veio mais por precaução de ser necessária uma cesariana de última hora, já que dores nem vê-las.
Quando me dizem que só são mães aquelas mulheres que sofrem horrores, têm filhos por parto vaginal e ficam completamente rasgadas, mas pela dor vem o amor (?), pergunto-lhes sempre o mesmo (a minha mãe incluída): A minha avó teve 5 filhos por parto vaginal, 3 em casa e 2 no hospital, numa altura em que epidural era algo inexistente. Não criou nenhum além dos 2 anos, nunca amou nenhum, deu cada um a quem lhe apeteceu. Nenhum dos cinco soube o que era amor de mãe. Não seria de esperar um extremoso amor materno em partos desses?
Nany

pensativa disse...

Concordo plenamente Dina. Com muita pena minha não tive essa sorte (epidural) porque vivo na provincia e mesmo à 10 anos atras a epidural era uma pequena miragem! Mas se hoje voltasse a ser mãe nem pensava 2 vezes!!! Se as coisas existem são para ser usadas! E se podemos apreciar melhor o momento sem sofrer não será legitimo faze-lo!!! Por favor! Digo eu que até tive 2 pequenos budas de parto natural:4,100kg e 3810 e sei bem o que sofri!! Quanto ao pós parto de cesariana a e recuperação ser mais dificil, depende obviamente dos casos. Depois do nascimento de 2 budas acham que alguem se consegue sentar antes de uma semana?!?! com pontos, pontos e mais pontos!! Não morri pois claro, e voltei a ter outro pois claro!! e a minha avó teve 9 pois claro e os 3 ultimos sozinha sem uma vizinha a ajudar pois claro ... Porque arir é a coisa mais natural do mundo

Fernanda disse...

Minha querida futura mamã,
Nunca comentei no seu blog, apesar de o ler frequentemente. Gosto da maneira como escreve . Por vezes concordo com aquilo que nos transmite, outras vezes não. Mas ainda bem que somos todos diferente.
Neste assunto em particular, só tenho a dizer isto " VIVA A CESARIANA".
Tenho 2 filhas, com 13 e 9 anos.
A mais velha nasceu de cesariana, pois estava sentada e correu tudo bem.
A mais nova, também estava sentada, e por isso seria novamente cesariana. Mas a malandrona (já me estava a mostrar o seu mau feitio - que eu adoro)resolveu dar a volta às 37 semanas.
Rebentaram as águas e lá veio o horror do parto normal (13 horas de sofrimento) e depois veio um mês de infeções. Tudo correu mal.
Por isso minha qerida, viva a cesariana, viva a epidural, viva a anestesia.
Não entendo como há quem defenda a dor, quando podemos fugir dela. É que eu sofro de alergia à dor ;-)

Beijinhos e muitas felicidades
Fernanda Souto

Suspiro do Norte disse...

Minha querida, nao ligues.. Segue o teu instinto..

Eu tive que marcar o meu parto (algo que nao queria),escolhi parto normal, estive umas valentes horas a fazer indução e não passei dos 3 dedos dilatação. Infelizmente no meio disto o meu bebe entrou em paragem cardíaca por duas vezes. Fui para cesariana e infelizmente foi um pouco chata.. mas acabou tudo bem. Se tivesse optado inicialmente por cesariana acusavam-me disso, como tentei parto normal levantaram-se as vozes que eu devia era ter ido logo para cesariana, pq X, porque Y. Enfim.. as pessoas gostam de falar por falar e nao se apercebem que na maior parte das vezes, e principalmente nestas alturas, mexem mais com a ansiedade das pessoas.. desnecessariamente. Cada caso é um caso.. A mim falaram-me que doía horrores levar epidural. A mim nao me custou nada..entre outras coisas..

Aconselha te com o medico e ouve sempre o teu coração... vais ser sempre uma mae maravilhosa..

beijinho nosso de bom fim de semana...

Suspiro do Norte disse...

Minha querida, nao ligues.. Segue o teu instinto..

Eu tive que marcar o meu parto (algo que nao queria),escolhi parto normal, estive umas valentes horas a fazer indução e não passei dos 3 dedos dilatação. Infelizmente no meio disto o meu bebe entrou em paragem cardíaca por duas vezes. Fui para cesariana e infelizmente foi um pouco chata.. mas acabou tudo bem. Se tivesse optado inicialmente por cesariana acusavam-me disso, como tentei parto normal levantaram-se as vozes que eu devia era ter ido logo para cesariana, pq X, porque Y. Enfim.. as pessoas gostam de falar por falar e nao se apercebem que na maior parte das vezes, e principalmente nestas alturas, mexem mais com a ansiedade das pessoas.. desnecessariamente. Cada caso é um caso.. A mim falaram-me que doía horrores levar epidural. A mim nao me custou nada..entre outras coisas..

Aconselha te com o medico e ouve sempre o teu coração... vais ser sempre uma mae maravilhosa..

beijinho nosso de bom fim de semana...

Sónia disse...

Mãe é mãe, independentemente de como pare o filho! Não importa se teve dores ou não, se foi parto normal ou cesariana, ou se é adoptado. O que importa é todo o amor que sentimos por eles, tudo que fazemos por eles.
Eu tive 2 partos normais e com epidural (abençoada seja)e não me venham cá dizer que sou menos mãe por não ter estado ali aos gritos feita uma tonta porque é bom sofrer!!!
Cada uma é livre de escolher o que quer fazer desde que não se ponha a ela em risco ou o bebé.

Guinhas disse...

Isso faz me imensa confusão, haver quem se aponte o dedo a outra pessoa porque teve parto com mais, ou menos dores. Antes de mais, muitas vezes, não é opção da mãe...tem de ser assim e, muitas vezes, em prol do filho (não pode ser parto natural porque, por exemplo, o bebe tem o cordão à volta do pescoço). Irritam me esses julgamentos à cabeça. Ah ok, eu tive um parto cheioo de dor e, por isso, serei eternamente boa mae!!Por favor....
Por causa de opiniões destas tive uma amiga, cujo filho nasceu de cesarina e ela teve uma depressão pós parto e uma das coisas que ela se sentia era "menos mulher". Ninguém devia de ter de passar por isto.
Eu não sou mãe mas aviso que , se for, que seja com o minimo dor possivel e, de preferência, bem rápido!