segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Uma questão de estética... ou não

A cirurgia estética é (ainda) demasiado mal-vista na nossa sociedade. A maioria das pessoas criticam-na porque olham para este acto médico de forma superficial, sem perceber que recorrer a uma cirurgia deste género pode esconder traumas profundos. Claro que há muita gente a abusar da cirurgia estética e os resultados são desastrosos. E penso que a culpa é dos médicos, pois se fossem bons profissionais, menos movidos pelo chamamento do dinheiro, iriam alertar as suas pacientes e recusar-se fazer certas cirurgias.

Eu admiro quem tem o coragem de o fazer, mas eu sou uma medricas com tudo o que tem a ver com operações e anestesias. Mas não critico quem o faça e sou apologista que o nosso SNS deveria apoiar mais certos casos. Porque há cirurgia estética que é um verdadeiro tratamento de problemas físicos e psicológicos. E não estou só a falar da cirugia reconstrutiva, como no caso de uma mulher a quem foi removido o seio depois de um cancro. Mas quem adivinha o sofrimento que uma pessoa pode sentir ao se sentir diferente, como uma mulher com seios totalmente planos?! Quem imagina como a vida social dela pode tornar-se um problema sério. Ou como uma mulher com seios muito grandes pode sofrer imenso de dores de costas?

Como em outras coisas, é por isso que não critico. Porque a estética envolve mais do que podemos pensar à primeira vista...

13 comentários:

Moa disse...

eu acho que quem se sente mal com algo no seu corpo tem mais é que mudar! sem exageros e com bom aconselhamento para não acabarem como a susana da casa dos segredos. eu sou como tu, demasiado medricas! neste momento tb não mudava mas mais tarde nunca se sabe!!

Nokas disse...

Há casos e casos...há quem uso por necessidade, há quem use como se fosse um corrector de olheiras!!

Cacarol disse...

Eu sou totalmente a favor,desde que seja um acto consciente*

Cláudia disse...

Já falei disto no meu blog em tempos e no geral discordo da tua posição.
Relativamente à questão da diminuição mamária por questões médicas, esta já está prevista e é feita nos casos medicamente aconselhados. Relativamente a tudo o que não provoque consequências físicas, ou seja em que seja somente a psicologia interior a comandar a decisão, acho sim que deve haver um apoio psicológico de aceitação. De fazer perceber que o "normal" é subjectivo. Tem que haver um exercício de auto-aprendizagem e auto-aceitação, que aí sim, poderá ser feita pela área de psicologia do sns. O SNS (ou seja, todo nós) não pode ser sobrecarregado com questões que vão para além do efectivamente necessário. Para isso há, então, o particular e os seguros de saúde que auxíliam nessa decisão.

Não sou contra quem faz qualquer tipo de cirurgia estética, muitas vezes posso não compreender - mas isso são questões diferentes -, sou contra é usar o SNS português cuja capacidade de auto-sustentação é tão débil para algo que na realidade não contitui uma necessidade física real.

Opinante disse...

Isso mesmo, a minha cunhada agora vai reduzir o peito pelo desconforto que isso lhe causa!

Turista disse...

Querida Dina, tens toda a razão! Nem sempre a cirurgia estética é uma questão de vaidade! Dei de uma pessoa que teve de reduzir o tamanho dos seios, porque lhe causavam problemas ao nível da coluna.

Mary disse...

Concordo contigo.
Sou totalmente contra aquele tipo de pessoas que se torna viciada em cirurgias e as faz apenas por prazer de mudar e de tentar alcançar o seu ideal de beleza. Contudo, existem outros tantos casos em que a cirurgia plástica pode fazer a diferença em problemas físicos e até mesmo psicológicos.
Toda a gente percebe que uma mulher que perdeu um peito por causa de um cancro deixe de se sentir mulher como outrora e que isso a afecta bastante. Esse é um caso onde não temos dúvidas que a cirurgia estética pode e deve ajudar. Porém, quando uma mulher coloca silicone sem antes ter tido qualquer problema de saúde, normalmente, é criticada por estar a usar a cirurgia estética apenas como uma questão superficial. Sim! Existem mulheres assim! Mas existem outras tantas que viveram fechadas sobre si mesmas durante anos porque quase não tinham peito (ou pelo contrário, por o terem em demasia)! Será que quem condena essas mulheres já parou para pensar os problemas psicológicos que essa ausência (ou no caso contrário, o excesso) de mama pode causar ao longo da vida de uma mulher?! Ás vezes esse tipo de situações pode afectar de tal maneira uma mulher, conduzindo-a, até mesmo, a comprometer a sua vida emocional e sexual. Algo tão importante para o equilíbrio psicológico do ser humano.

Bomboca do Amor disse...

Apoio a 100% a cirurgia plástica quando se tem fundamentos.
Cada um escolhe o que quer fazer consigo!
Beijinhos querida,
Bomboca do Amor.

Fashionista disse...

eh eh também sou uma medricas!

Sophie disse...

Conheço de perto pessoas que se submeteram a cirurgia estética. A minha cunhada que aumentou os seios (tinha mamilos e pouco mais) e duas amigas que fizeram uma rinoseptoplastia (tinham o nariz torto e não se sentiam bem com isso).
Como tu dizes não devemos abusar, nem o estado pode pôr estas cirurgias à frente de outras que implicam directamente a saúde física. No entanto, cada um sabe do seu bolso e quem conseguir pagar, que faça como se sentir bem. Se a ciência existe, porque não fazer uso dela??
Um exemplo: dentes. As pessoas esquecem-se que usar aparelho é uma questão de estética e nunca vi ninguém a apontar o dedo a quem o use. :)

***

B. disse...

Há casos e casos como em tudo mas não sou contra. Apenas contra exageros como se vê muitos hoje em dia :s
Vou seguir.
Beijinhos

Amour Fou disse...

é sempre bom refletir gostei das suas palavras o interessante dos blogs é que a maioria das pessoas que tem o que dizer não são vazias de serem ouvidas

Margarida Mendes da Maia disse...

Concordo plenamente! Eu sou a favor, sem exageros, de que alguém deva mudar o seu corpo se isso lhe revitalizar o interior também!
Todas sabemos que sentirmo-nos bem connosco, diariamente, é mais um pequeno brilhozinho a adicionar à nossa felicidade. É muito importante a forma como nos vemos e acho que quem se sente mal com alguma parte do corpo, deve modelá-la saudavelmente até que esteja bem :)

Muito bem dito!

www.thegottahaves.blogspot.com