sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Desabafo


Não queria falar política e não ponho em causa que alguns cortes são mesmo necessários. Mas chateia-me a injustiça social e que sejam sempre os mesmos a pagar: a classe média trabalhadora. Aos ricos ninguém toca porque comem todos juntos. Aos cancros da sociedade que vivem de rendimentos mínimos também ninguém chateia. Agora tentem trabalhar, pagar descontos e impostos e depois vão ver...

Alguém me consegue explicar o porquê de o nosso Estado agora perguntar o quanto temos de poupança do banco quando se recorre a certas ajudas? Afinal dois casais com exactamente o mesmo rendimento mensal podem fazer usos totalmente diferentes do seu dinheiro. Uns podem pagar contas, viver segundo os seus meios, não fazer férias todos os anos, só terem um crédito, comprar roupa com moderação e poucos luxos, para conseguir poupar algum. Põem o dinheiro no banco e ainda ajudam a economia.
Há outros que rebentem com o ordenado em luxos desnecessários, com vários créditos ao consumo, com dívidas, mas que depois recebem ajudas do Estado porque não têm dinheiro no banco. E com um pouco de sorte ainda pedem insolvência e perdoem-lhe as dívidas todas.

Sim, vale mais não ser responsável para viver bem nesta sociedade. O que me põe mais fula é que esses casais ainda gozam com a minha cara por eu ser assim responsável... Respira Dina, respira...

11 comentários:

Pipita de Chocolate disse...

E ainda fica mais rídiculo quando explicas a situação a estrangeiros...que ficam parvos em como é que as coisas podem ser governadas desta maneira...enfim, não há explicação! O melhor é mesmo emigrar! O nosso custo de vida é igual a países com economias muito desenvolvidas, a diferença é que eles recebem mais de o dobre de nós...

Beijinhos

MissApuros disse...

Eu as vezes também penso que não deveria ser honesta e trabalhadora... São sempre os que se lixam. Enfim...

Fashionista disse...

Não podia concordar mais! Não se percebe o que querem? Querem que poupemos? então porquê a perseguição?

Turista disse...

Querida Dina, calma... inspira... expira...!
Beijinhos e bom fim de semana. ;)

Soneca disse...

Estás a ver? É triste quando chegamos à conclusão que quem trabalha é sugado ao máximo e quem não faz nenhum vive com menos chatices.
Então e quando sabes de quem tenha declarado falência mas antes pôs o dinheiro a salvo noutro país e agora está na boa, de papinho para o ar?

Quando os sacrificados são sempre os mesmos, é uma *****!

Opinante disse...

Conta até 10 primeiro!

Estou como a Fashionista, ser trabalhadora neste país só me prejudica!!

Opinante disse...

Obrigada pelo teu comentário!!
Sabes, há dias que tudo nos parece cair em cima, é impressiontante...

Quanto ao meu marido, começará 3feira com os tratamentos de radio, mas está tudo muito bem encaminhado! É chato pela altura que é, mas também nos queremos livrar deste pesadelo quanto antes!

Em meados de Janeiro, se "Deus" (?!?) quiser, já estará tudo mais calmo...

O prognóstico, dentro do possivel, é muito bom, por isso resta levar isto para a frente!!

Obrigada mais uma vez pela tua preocupação!

Joana de Matos Neves disse...

Infelizmente parece que às vezes a honestidade não compensa. Estou convencida que é este o tipo de atitudes que impede Portugal de desenvolver-se, o que me deixa triste porque o nosso país precisa desesperadamente de andar para a frente.
Bem, pelo menos quem é honesto pode ir dormir de consciência tranquila. Valha-nos isso :)

Bomboca do Amor disse...

O nosso Estado só vê o que lhe dá jeito e acredita que não lhe dá jeito reparar que anda a sustentar gente que vive de bens desnecessários!
Beijinhos,
Bomboca do Amor.

anf disse...

Como tens razão,
bjo

Verita disse...

De facto, às vezes também que canso de ser honesta e fazer tanto sacríficio e ver os outros a ter uma postura de não querer saber...sinceramente querida, eu já estive mais longe de ter essa postura!
Não vou ser croma toda a vida!!