terça-feira, 11 de outubro de 2011

Falamos línguas diferentes


Quem nunca olhou para um homem e pensou «parece que falamos línguas diferentes»? A comunicação entre um homem e uma mulher revela-se um desafio. As mesmas palavras podem ter significados totalmente diferentes. Os homens são mais racionais: comunicam factos e informações. Usam palavras com significados literais. Enquanto que nós mulheres temos uma alma poética, em que expressamos sentimentos, em que cada palavra tem uma conotação emocional. As nossas palavras têm muitas vezes segundos significados e a nossa linguagem abunda de generalizações, metáforas e comparações. Que deixam os homens baralhados e loucos... Acredito que muitas discussões advêm da nossa incapacidade de perceber que comunicamos de maneira diferente.

Tente dizer a um homem: «Sinto que não me ouves», e ele revirará os olhos e irá repetir literalmente, palavra a palavra, tudo o que acabou de dizer. Mas nós queríamos apenas dizer com aquelas cinco palavras, que sentimos que ele não tem percebido aos nossos sentimentos e que sentimos que a nossa relação está a resfriar, blablabla. Ou melhor diga-lhe que a casa está sempre desarrumada. E ele irá responder com calma que não está nada sempre desarrumada, só alguns dias. E que nesse dia até fez a cama. A mim, estas respostas-tipo tiram-me do sério, e acreditem, são recorrentes...

Outro problema comum é lidar com o silêncio masculino. Felizmente já ultrapassei (na maioria das vezes) este problema de comunicação. Nós mulheres falamos, falamos, falamos. Pensamos em voz alta, debitamos palavras para tomar decisões, para falar de coisas banais, para transmitir ordens, para dizer o que sentimos, o que não sentimos, etc. Pensamos falando. Os homens simplesmente pensam calados. Eles não exteriorizam as coisas da mesma forma. Mas quando uma mulher se depara com o silêncio masculino pensa logo nos piores cenários: «já não gosta de mim», «quer dar me uma má notícia», etc. Eles só estão a pensar, mentalmente. Se os confrontarmos e tentarmos perceber à força os seus silêncios só gera confusões e discussões.

Francamente, deveríamos ser preparados desde jovens a lidar com o sexo oposto. Afinal aprendemos línguas estrangeiras, e até latim, que por vezes nem iremos usar. Enquanto que diariamente teremos que comunicar com homens. E que tal alguém lançar um dicionário de Mulherguês-Homemgualês?

16 comentários:

Sofia disse...

Não sei se, mesmo com o dicionário, iriamos lá...somos diferentes o suficiente para sermos colocados em palavras-versão-dicionário!
Beijinhos, vou seguir o teu blog :)

Palco do tempo disse...

uma bela ideia :)

Ana disse...

Talvez por ter vivido desde sempre apenas com dois homens em casa (pai e irmão), tenha muito mais facilidade em entender a língua deles e até, em muitas coisas, me identifique mais com esse "homemgualês". Não é complicado entende-los, basta descomplicar:)

TM disse...

Li a primeira frase e pensei para comigo: Tottally :\
Adorei o post. Concordo com tudo. *

Bomboca do Amor disse...

Eu até acho que devia ser uma daquelas disciplinas obrigatórias!
Beijinhos querida,
Bomboca do Amor.

Opinante disse...

I agree! :D

Venha esse dicionário :D

Moa disse...

sinceramente nunca senti muito essa dificuldade mas sei que a maioria das pessoas tem.

La Boheme disse...

O simples facto do cérebro masculino e feminino serem anatomicamente diferentes e os neurotransmissores e outras funções cerebrais entre neurónios se darem a um ritmo diferente faz com que como os homens sejam e serão eternamente de Marte e as mulheres de Vénus. Não adianta, o segredo é adaptação e uma dose colossal de paciência. É que não é mito nenhum, é mesmo verdade, eles amadurecem mais tarde e acho que são eternamente mais imaturos e irresponsáveis para as mulheres, para quem sobra sempre tudo, casa, filhos etc. e tal...
Beijinhos

Nokas disse...

Acho que não há dicionário que nos valha...aquilo já está nos genes, nada a fazer!

Tsuri disse...

Eu estou totalmente de acordo. Muito bem focado:)
beijinhos

Faz de Conta disse...

:) Por cá esse problema não se põe.. também não sou de muitas palavras e adoro os silêncios, de ambos, ajuda a reflectir.

Fashionista disse...

ia dizer o mesmo.. sou muito masculina nesse aspecto. Não falo muito, gosto do silêncio, não sou muito emotiva, sou prática e racional!

Isa disse...

Esse dicionário era mesmo uma grande ideia!
Cá em casa temos uma grande solução: eu sou super directa. Com ele não há metáforas, nem meias palavras. Desta forma tenho a certeza que a mensagem chega ao outro lado exactamente como eu a estou a pensar! Mas às vezes nem assim...

Maria disse...

Tambem euconcordo contigo

Alminhas disse...

Olá Dina:)
Hoje não é um bom dia para eu fazer qualquer tipo de comentário sobre esse ser que por vezes de tão básico que é, me leva a questionar o porquê de gostarmos tanto dele?!;)
Tenho dito:)
Beijocas e é bom ter-te de volta**

estrela disse...

à partida somos completamente diferentes homem/mulher mas há coisas em que ambos temos o mesmo pensamento, gostamos de atenção e ser mimados e nisso por vezes eles não sabem utilizar o dom da palavra e falar connosco como se fosse musica para os nossos ouvidos!!
:( pena não saberem....