segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Oh lá lá


Uma das coisas que mais me marcou quando vim para Portugal, foi o meu pai dizer-me que se sentia mais emigrante no seu país do que em França. Chegamos a ser uns sem terra, porque somos emigrantes em todo o lado...

Fui emigrante durante 15 anos. A alegria de voltar todos os anos a Portugal é inexplicável. O meu pai foi emigrante durante mais de 35 anos. Chega esta altura do ano e é ver toda a gente desagradada com o regresso dos seus emigrantes.

Eu sei que alguns abusam. Pensam que são os reis da terriola só porque vêm lá de França, Suíça ou outro país mais evoluído. São arrogantes, não falam português porque pensam que lhes dá estatuto, etc. Eu sei que há peças dessas, e sou a primeira a criticá-los directamente. Mas não são todos assim.

Em minha casa sempre se falou francês, até porque há membros da família que não percebem uma palavra de português. Ainda hoje tenho conversas em francês com a minha mãe: simplesmente porque é espontâneo! Há palavras que só sei dizer em francês! Contar e o alfabeto só em francês: claro que sei fazê-lo em português mas o meu cérebro não assimila os dados. Irritam-me pessoas que criticam só por criticarem, sem tentarem perceber que estamos pereante uma sub-cultura. Ah há pessoas que dizem palavras meias francesas meio portuguesas? Eu vejo os meus pais: sairam daqui, uma aldeia remota, com pouco mais de 20 anos, com uma cultura limitada. Foram para um país, onde tiveram que aprender uma língua nova e conheceram novos objectos que nunca tinham vistos cá. Claro que as palavras certas não surgem em português, porque só conheceram a realidade de lá. 

Gostava que as pessoas olhassem os seus emigrantes e imigrantes com mais respeito e compreensão. Afinal eles tiveram que sair do seu país para não morrer a fome. E afinal, muito do dinheiro que ajudou este país a desenvolver-se veio das poupanças dos nossos emigrantes...

22 comentários:

Fashionista disse...

adorei o post!

Kristianna disse...

Eu tambem vivo na suiça ha mais de 15 anos, os meus pais estiveram cá 25...
Isto que eu vou dizer, nao è de todo uma critica, visto que tambem sou emigrante, mas acho que essa tendencia de falar na lingua estrangeira, è mais evidente nas pessoas que vivem em países de lingua francesa...
Isto porque na minha familia todos (menos as crianças como a minha filha, que tem dois anos e meio) sabemos falar alemao, mas...em casa, so se fala Portugues...o meu marido ja tem mais anos de suiça que de Portugal, e entre Portugueses fala Portugues, e a minha cunhada que nasce na suiça, estudou, e so vai a Portugal de vez em quando, em casa tambem so fala Portugues...e o meu sogro tambem ca esta quase ha 30 anos...
Depois tenho familia na parte francesa (que estao ca ha pouco mais de 10 anos) mas ja teem muita dificuldade em falar Portugues.
Nao sei se è devido ao grau de dificuldade da lingua alema, que nao temos qualquer tendencia em o fazer, mas è uma realidade!!!

Como disse anteriormente, nao è uma critica, è somente a maneira em como vejo cada situaçao!

Nokas disse...

Há emigrantes e emigrantes...e eu conheço ambos. Se tenho o maior respeito por alguns, também tenho indiferença por outros!

Marta Inês disse...

Partilho a tua opinião. Há emigrantes e emigrantes... Tenho na minha família emigrantes e quando vêm visitar a família falam só e apenas o português. Claro que já não se pode dizer o mesmo dos miúdos que nasceram lá.

Beijinhos*

Rita disse...

Tens toda a razão. Também tenho família emigrante, e tenho o maior respeito por pessoas que tiveram que sair do país e passaram a maior parte da sua vida noutro país.
Mas a verdade é que também há emigrantes... como dizer... arrogantes! E esses infelizmente fazem os outros pagar as favas :(

Lux disse...

Queria, faço das palavras da Nokas minhas!

xoxo
Lux

Lana disse...

eu respeito alguns e admiro-os pelo sacrificio que tiveram de fazer e fazem. Mas há uma grande parte que me irrita profundamente. Pela conversa, pela falta de humildade...enfim...

Tsuri disse...

É verdade. Confesso que conheço uma série dos que se exibem, mas também conheço muitos e bons dos que voltam à terra com alegria e humildade. Mas há de tudo e acho que se devem respeitar todos, pelo esforço, pela luta, dentro ou fora do país.
beijinho

Gelatina de morango disse...

Emigrantes ou não, há palavras para as quais não conseguimos encontrar tradição exacta na nossa língua e que dão um jeitão.

Eu só estive seis meses em França e juro, juro, que chegou a faltar-me palavras em português algumas (raras) vezes quando falava com a minha família francesa e me perguntavam como se dizia qualquer coisa em português. Chegou a haver uma cena engraçada de eu não me lembrar como se dizia "obliterar" em português e ser a "mãe francesa" (que não sabe falar português de todo) a me dizer como é que se devia dizer, porque foi buscar o latim...e resultou! Foi a risota total, ela a "ensinar-me" português :p!

Alminhas disse...

Isto é como tudo... nunca se consegue agradar a todos! Cada um é como cada qual. Eu admiro quem vai para fora à procura de um nova vida... Acredito que tem o seu lado positivo, mas também tem o lado negativo, nomeadamente as saudades daqueles que ficam e por vezes, a difícil integração no outro país. Creio que os que falam mal, é simplesmente por puro despeito, inveja!
Enfim, se eu pudesse também me fazia ao mundo...
Beijinhos Dina

Anabela disse...

Concordo contigo: há aqueles que são genuinos e depois há os outros que só se sabem exibir.
Este fim de semana estive numa vila de Trás-os-Montes e fiquei impressionada com a quantidade de emigrantes que havia lá. A maioria dos carros eram estrangeiros.
Bjs

em Li Pink High Heels disse...

Olaa =)
Eu faço verniz gel/gelinho 15 Euros apenas, em Carnaxide.
Visita o blog, é recente mas da para ter uma ideia do meu trabalho!

Da uma espreitadela http://lilnails.blogspot.com/
http://bypinkhighheels.blogspot.com

Espero que gostem meninas! =) Bjinhos e fico á espera ;)

Um brasileiro disse...

ola. estive aqui dando uma olhada. muito interessante. apareça por la. abraços.

Verinha disse...

É verdade, há emigrantes e emigrantes.
Tenho pessoas na familia que são emigrantes, estão nos EUA há uns 30 anos e sempre que cá vêm, tentam ao maximo falar português, mas por vezes é inevitável e começamos todos a falar inglês, principalmente a minha mãe que apesar de nunca ter emigrado apanhava facilmente outras linguas.
Também acontece muito as nossas conversas serem um misto de português e inglês tudo misturado.
Mas tenho cá para mim que por exemplo o meu tio é bem capaz de falar inglês na rua, só para se "armar", nunca o vi fazer tal coisa, mas é o tipo de homem que era bem capaz de o fazer.
Acontece que por vezes os emigrantes pura e simplesmente ensinam muito pouco o português aos filhos. Eu quando estive a passar ferias nos EUA notei que miudos da minha idade com pais portugueses pouco falavam português e também não se mostravam interessados em aprender.
Uma coisa que me chocou um bocado foi quando fui a uma convenção portuguesa em São Francisco, à partida era tudo português, chego ao bar peço água, ninguém me percebe, peço em inglês nada, tive de usar pornuncia americana para me perceberem! Então mas eu não estava numa convenção portuguesa, onde tudo era português?!
Há por aí muito bom emigrante, muito saudosista e tal, mas na realidade sem se esforçam para manter um bocadinho que seja a cultura portuguesa! Eu percebo que querem estar integrados e até acho muito bem que o façam, mas não concordo que percam total interesse pala cultura onde nasceram. Um habito que os meus tios sempre incutiram nos meus primos foi o de ver o telejornal português todos os dias, sempre é uma forma de terem mais contacto com a ligua e com a nossa cultura, já que os meus primos foram para os EUA ainda bebés. Os meus primos mantêm conversas com os meus tios normalmente num misto de português e inglês, uma palavras usam em português outra em inglês.
Eu não olho com maus olhos para os nossos emigrantes, reconheço a coragem que têm por largar tudo e ir para um pais diferente, coisa que eu não me imagino capaz de fazer exactamente por falta de coragem e por medo.

Bjks***

susiedesonho disse...

Tenho na minha família muitos emigrantes e nunca tiveram a mania. Pelo contrário, até acho que se sentem mal pelas pessoas olharam para eles com o rótulo de bimbos. Mas há de tudo em todo o lado.

Verita disse...

Concordo com o que dizes!! Por um lado, regressar a Portugal é mt bom. o R. veio cá na Pascoa e agora está cá e é maravilhoso :) diz que já tem energia para os próximos 6 meses :)

A mim também me irrita às vezes ver as pessoas a falar em francês quando são portugueses, mas compreendo que se é a lingua que falam com mais regularidade é natural que seja instintivo!!

Quando o R começar a falar alemão nem sei que lhe faça :)))

beijinhos

Isa disse...

O meu pai foi emigrante 17 anos, eu, a minha irmã e a minha mãe ficamos aqui. Lembro-me bem, (foi das coisas que mais me marcou), o choro cumpulsivo de todos, quando chegava a hora de ele partir. Sei o sofrimento que muitos emigrantes tiveram e têm. Tenho muitos tios emigrados e sei o sacrificio que fazem só para juntarem mais uns trocos. Respeito muito essa geração de emigrantes. Vivo em terra de emigrantes e conheço a "nova geração" de emigrantes. Vejo portugueses que só sabem falar mal do seu país e "lá" é que é bom, nem é pela lingua: eles que falem como quiserem, desde que para mim falem em português, mas é pelo total desprezo por Portugal e por o comportamento de que são melhores e mais evoluidos que nós. Cheguei a ouvir uma a dizer: "Eu não sou portuguesa, não tenho a mentalidade tacanha das portuguesas." Desculpa alongar-me muito, mas isto é um assunto que me toca muito!

Bomboca do Amor disse...

Há emigrantes que voltam com saudades do país e da família e fazem tudo para matar essas saudades, mas também há aqueles que acham-se donos do mundo e para esses eu tenho paciência nenhuma.
É pena que o povo português tenha a mania de generalizar!
Beijinhos querida,
Bomboca do Amor.

*C*inderela disse...

depende dos casos.
tenho tios ainda no canadá já há muitos anos que só falam português lá em casa para os miúdos conhecerem a lingua materna deles.

bjokas

pensativa disse...

Olá Dina,concordo plenamente contigo. Ainda hoje estava a tentar explicar a uma amiga minha exactamente o que estas a tentar transmitir aqui. Tenho uma tia que tem mais anos de Suiça do que de Portugal e é ve-la a falar e a misturar tudo e nós todos a rir!!! Simplemente porque a instrução era pouca, foi para um país diferente aprendeu coisas diferentes, palavras que em muitos casos nunca as tinha ouvido em portugês!! É perfeitamente natural trocar-se toda :) Mas claro também à os que gostam de se armar ... Ainda no sabado estive em Olhão no Festival do Marisco e valha-me Deus a atitude de alguns era de fugir para longe!! Mas obvio que acontece a emigrantes e não só!! Adoro ser portuguesa e adoro o meu país mas por vezes fico triste com o comportamento das pessoas e com a mania que são "xico espertos" ... Foi só um desabafo :) Beijokas e boas férias

Patricia disse...

Nao concordo em nada,mas em nada com esta ultima parte,a minha mae tem 4 irmãs e nunca nenhuma delas teve que ir para o estrangeiro para morrer a fome!!Os meus pais foram mas passados tres anos voltaram porque nao aguentaram deixarem-me com os meus avós...o que fizeram para sobreviver cá??O mesmo que faziam lá,trabalhar para ganhar dinheiro,eu sou uma daquelas pessoas que ninguem consegue convencer que quem quiser viver bem tem que ir para o estrangeiro!!Nao estou a falar de pessoas licenciadas que encontram melhor oportunidades la fora.

ana disse...

Na minha humilde opinião acho normal que quando se vive num outro país que não o nosso, quando temos lá a nossa vida e quando nos nascem lá os filhos se adopte tb a lingua. Obviamente que não se esquece a origem e tb não concordo em falar noutra lingua para se armar mas, é um processo natural.
Eu sou casada com um imigrante e a nossa filha só fala português, conhece uma ou outra palavra da lingua do pai mas o dia a dia é feito em portugues. se tivesse nascido noutro pais e fosse lá nossa vida seria igual, ia ser a lingua desse pais que ela iria falar.
E qd vamos de visita a terra do meu marido ele tb fala português, não com a familia de lá mas comigo, com a filha, com pessoas ao telefone sobre trabalho e até mesmo com amigos que tb estejam ou que estiveram em Portugal.