quinta-feira, 26 de maio de 2011

Romantismo (im)perfeito


Há dias em que penso que a culpa da falta de romantismo dos nossos homens é das mulheres. Primeiro, nós mulheres sonhamos com um príncipe encantado, um homem perfeito. Claro que a perfeição não existe, nem nos homens, nem nas mulheres. A desilusão e a procura incessante de algo impossível deixa-nos frustradas e não nos deixa ver a verdadeira magia e romantismo do outro.

A minha ideia de romantismo não é bem oferecerem-me presentes caros ou flores nos momentos menos esperados. Vejo o romantismo em pequenos gestos quotidianos: um olhar mais meloso, um gesto, uma partilha, um mimo. O meu marido nunca foi muito dado a extrapolar emoções (tudo devido à educação que lhe deram). No início queixava-me muito da falta de romantismo mas agora aprendi a apreciar mais os seus pequenos gestos do que a aguardar grandes cenas cinematográficas.

E sim, penso que muita culpa da sua falta de romantismo, é causada por mim. Apesar de me custar a admitir, sei que se eu não estiver bem, ele não pode deixar soltar a sua paixão e carinho. E nos últimos tempos ele tem sido irreconhecível: tem sido muito mais carinhoso e apaixonado (mais beijos, abraços, etc.), tem-me ido buscar o pãozinho fresco logo pela manhã, tem sido mais prestável, atencioso, cobre-me de mimos. A melhor de todas? Estavamos em Florença a descansar numa escadaria, e ele começa com os dedos a "picar-me" a cara e a dizer «toc toc toc». E eu perguntei-lhe o que ele estava a fazer, ao que ele me responde «estou a fazer a mais bela escultura dos tempos modernos». Não quero saber se foi piroso, mas este homem derrete-me como se eu tivesse 18 anos...

Em vez de nos queixarmos sempre dos homens que temos e dos seus defeitos, devíamos tentar ver para além disso. As mulheres têm que estar predispostas a amar e a que o outro tenha demonstrações de carinho. Sem estarmos conscientes disso, muitas vezes não abrimos todos o nosso ser ao amor. Não é fácil ser romântico, quando estamos sempre a exigir-lhes mais e melhor. Vale mais apreciar pequenos gestos, até porque se estes fossem constantes nem lhes daríamos tanto valor...

16 comentários:

Kikas disse...

ooooooooooooohhhhhhhhhhhhh que querido.

o meu tb é assim...pouco dado a romantismos e afins.
por vezes custa...mas que fazer???

madeMOIselle disse...

Como sempre, mais um texto que nos leva a reflectir (e a mim a concordar!)

Muito bem!

Li disse...

Sabes o que é estúpido Dina? É não termos a capacidade de ver isso a maior parte das vezes... enfim... grande post este teu - muito verdade!!!

CITRA disse...

São os pequenos gestos que contam mais dos que grandiosos...

Filipe disse...

ai se a familia Medicis sabe disso... ainda o contrata! :)

(bonito)

Nokas disse...

O meu marido é pouco dado a actos românticos, mas eu já sei disso, já faz parte dele...mas mesmo assim ainda me surpreende à sua maneira e não há nada melhor!!

Flutuações da mente disse...

Pois digo: o meu companheiro/marido/namorado/amante/amigo é a criatura com mais defeitos à face da terra. ih ih ih. Recordo-me duma única vez que me ofereceu flores. Mas, o que quero dizer com isso é que, nós vivemos o nosso romance à nossa maneira, do dia-a-dia, das coisas rotineiras.
Garanto que por enquanto somos apaixonados, cumplices e romanticos (esperemos que sempre). Não vivemos de jantares romanticos, de idas ao cinema, de anéis, de flores, etc etc
Não é isso, é muito mais.
Aplaudo-vos :-)

Lux disse...

Minha querida, mais uma vez não poderia deixar de concordar contigo...
O romantismo está nas pequenas coisas, nos pequenos gestos!
Eu penso que as mulheres, na sua maioria, vêem comédias românticas a mais, e depois, ao confrontarem-se com a realidade, pensam que têm pouco ou que o outro lhes dá pouco!
Já alguém sábio uma vez disse que as comédias românticas aruinam as relacções!

xoxo
Lux

susiedesonho disse...

Dina, por isso é que eu gosto tanto do teu blogue e das tuas reflexões: eu não diria melhor. Mais uma vez, tens toda a razão. Todinha.

Tsuri disse...

Acho que focaste o tema de um prisma muito interessante, para variar. E acho que disseste algo que muita gente não entende. Eu, pessoalmente, também sou da opinião de que, se têm atitudes românticas ou de carinho, é também pela nossa "abertura" a isso mesmo. O meu marido é romantico e carinhoso ao jeito dele, e eu moldei-me a isso e dou muito valor a cada pequeno gesto. Amo, adoro. O simples facto de se abraçar a mim enquanto cozinho para mim é algo de muito especial mesmo, e quem diz isso diz muito mais. Temos é de saber enquadrar tudo e dar mais valor ao que realmente interessa.

beijinho

Liliana disse...

Concordo com tudo o que escreveste e muito sinceramente, no meu caso e se pensar bem...sou menos romantica que ele!

é nos pequenos gestos que se vê o amor!

*C*inderela disse...

Ele foi um querido :)
O meu não é mais romântico graças a mim! não sou dada a grandes "mariquices" mas não vou dizer que não goste de pequenos gestos.

bjokas

Gelatina de morango disse...

É verdade, não somos todos iguais e nem todos são dados a romantismos. Mas o amor não se vê só nisso. Se bem que frases como essa que ele te disse, vindas de alguém não muito dado a essas coisas, deve saber ainda melhor =).

Pistaxa disse...

Eu concordo com tudo o que disseram, mas não vou dizer que não gosto ou não dou valor aos pequenos gestos românticos porque não estaria a ser sincera comigo mesma.
Claro que sei que fantasiamos muito logo desde cedo mas adoro miminhos, e quando falo em miminhos não falo em jantares e prendas caras, falo como esse episódio amoroso que contaste.
Adoro essas pequenas coisas e não conseguia estar com alguém a meu lado que não demonstrasse os sentimentos.

Beijinhos*********

Purple disse...

Tão verdade Dina, andamos sempre à procura de grandes gestos e esquecemos a importância que os pequenos gestos deles têm.

Às vezes andamos tão absorvidas por não sei quê, que nos escapa o significado tão sentido de um abraço, de um beijinho, de um silêncio ou de uma frase fora do contexto.

Beijinho

Tany disse...

Lindo ;)

Principalmente a parte da escultura...