quarta-feira, 6 de abril de 2011

Veia de juiz


Quase toda a gente tem uma veia de juiz: gosta de emitir opiniões e de julgar as pessoas pelas suas opções de vida. Se estas diferirem das suas, teremos direito a um verdadeiro julgamento do tempo da Inquisição. Aprendi a nunca julgar as escolhas/ sentimentos de uma pessoa. Posso discordar mas tento sempre meter-me na sua pele para a perceber.

Tento uma amiga que está a atravessar uma certa depressão pós-parto. Porque todas as mães que conhece lhe impigiram a ideia que tudo é maravilhoso, que tudo surge naturalmente, que nem o sono e berros constantes do bebé enervam, que são uma melodia suave para uma mãe. Disseram-lhe que uma boa mãe vivia unica e exclusivamente para o filho. O problema? Ela adoro o filho mas nada surgiu naturalmente, atrapalhou-se bastante com algumas tarefas, está exausta por causa das noites mal dormidas e porque gostava de esparrecer, porque viver a 100% para mamadas e fraldas é cansativo. O problema é que toda a gente a faz sentir má mãe por sentir isso. 

Eu acho que é normal. Que antes de ser mãe, se é mulher. Que o cansaço físico e psicológico toca a todos. Que ninguém nasce ensinado. Que também é preciso descansar e fazer outra coisa, para o bem de todos, até da criança. É fácil falar e julgar os outros quando se tem uma criança já criada (com o tempo, o ser humnano tende a esquecer as partes mais negras), quando se tem sempre a mãe ou sogra a cuidar do filho, etc.

É tão fácil julgar a vida dos outros, quando temos sempre alguém para nos ajudar a viver a nossa...

14 comentários:

Sairaf disse...

Eu cuidei da minha sobrinha pequenina durante seis meses e tirei uma lição para vida, os bebés o que tem de amorosos também tem de cansativos, mas com os passar dos dias as coisas tem tendência a compor-se é preciso calma.
As noites mal dormidas é das coisas mais desgastantes que acontece depois do nascimento de alguns bebés.
Espero que a tua amiga recupere
Abraço doce
Sairaf

Rita G. disse...

Eu falo como mãe, esses primeiros tempos são agridoces...estamos muito felizes por ter o nosso filhote no colo, mas por vezes o cansaço e o desânimo deixam-nos na maior das tristezas. Comigo foi assim, e acredito que seja para a maioria das mulheres. Espero que ela consiga ultrapassar essa fase, que tenha acima de tudo o apoio do marido. bj

Gelatina de morango disse...

Tive uma professora que dizia que se sentia horrível quando as amigas lhe diziam coisas do género "O meu filho não dorme muito mas isso deixa-me feliz porque assim temos mais tempo para estar juntos"...tretas!
Mais não seja pela mudança na rotina da mulher, deve custar a todas. O problema é que a maioria das pessoas não deixa cair a máscara e finge que são tudo rosas...e isso faz com que as outras, as mães "normais", se sintam mal só por isso mesmo, por serem normais.

Formiguinha disse...

Olá,

Já tive oportunidade de o dizer à tua amiga.... toda a gente passa por aquilo que ela está a passar,, toda a gente desespera, toda a gente tem maus pensamentos, toda a gente chora em silêncio (ou não), toda a gente fica descompensada...

Também lhe disse que quem não o diz é porque não o assume verdadeiramente, ou então porque se anda a enganar a si mesma!!!!

Vi que ela nem tem aparecido na blogosfera... tens que lhe dar todo o apoio e, na medida do possível, aliviar a carga que ela tem sobre os ombros.

Bêjos

Miss Star Pink disse...

Eu ainda não sou mãe, mas acredita que um dos meus maiores medos é viver o que a tua amiga está a passar. Logo eu que tenho imensos problemas de enxaquecas, insónias, sono leve, dificuldades a adormecer, que tenho paranóia com barulhos repetitivos... Bem, nem é bom pensar!
Ninguém tem o direito de julgar ninguém e muito menos uma pessoa inexperiente. Raio de sociedade em que vivemos constantemente a ser alvo de julgamento.

Beijocas e espero q tudo se resolva rapidamente com a tua amiga.

anf disse...

Tu não me assustes mulher!!!!
Eu concordo contigo a minha cunhada tem um bebé com dois meses e coitada anda cansada, diria um bocadinho perdida.
bjo

Joana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pistaxa disse...

As pessoas esquecem-se que para estarem bem com os outros têm que estar bem com elas pró´rias e as mães não fogem a essa regra.A tua amiga acima de tudo, depois da mudança toda na vida dela, tem que descansar recuperar forças como a bateria de um tlm.Os outros só opinam se nós lhes dermos vozes para isso.
Por acaso fui tia á pouco tempo e gosto muito quando vejo a minha cunhada a tirar uns tempos para tar com as amigas, para ir a um concerto, a um jantar, ao que seja.Depois do período inicial, acho muito bem que a mulher tire um tempo para fazer 1% do que fazia.Quem critica isso, é quem gostaria de ter feito o mesmo e só por opiniões igualmente alheias não o fez.

* * *

Duda disse...

Em primeiro lugar, nós devemos fazer o exercício de colocarmo-nos no lugar dos outros.
Pare tentarmos perceber um pouco melhor porque razão reagem assim. Concordo contigo, ninguém nasce ensinado, mas alguém sabe tudo? Desengane-se quem pensa dessa forma. Nós antes de sermos mães, somos mulheres, temos vida para além da maternidade. Ninguém é perfeito, logo as mães também não o são e nem têm de o ser. Vão aprendendo com as experiências boas ou más que os próprios filhos lhes ensinam.
O que ela está a sentir é muito próprio, que afaste dela o sentimento de culpa.

Maria Papoila disse...

Eu neste momento, preciso é de distância de gente assim.
Pessoas más, que como dizes e muito bem, fartam-se de criticar, mas nunca se lembram pelas coisas menos boas que já passaram e que nessa altura, tudo o que menos precisavam era de alguém para lhes apontar o dedo.

Muita força para a tua amiga, nesta fase mais difícil.

Beijinhos,
Maria Papiola. :)

Lux disse...

É perfeitamente normal que se sinta assim...
Não somos todos iguais, e a depressão pós-parto é algo bem conhecido.
No entanto, é preciso lidar com a ignorância dos outros, que não sabem o que isso é.

xoxo
Lux

*C*inderela disse...

não sou mãe mas acredito que nem tudo é um mar de rosas! cuidar de um bebé tanto tem de gratificante como de cansativo.

*Lili* disse...

Olha, pelo que a tua amiga está a pensar faz-me lembrar a minha adorada mãe...Pobre mulher teve duas de uma vez e de facto o que lhe valeu foi a força e a coragem que ela tem! É a melhor mae do mundo (para mim :)) e nunca importou o comentario dos vizinhos seja familia, nada...nunca uma só vez teve ajuda! Nunca... mas para ajudar também lá estava o papá não é mesmo? x) Enfim... Acho que sim, ela tem todo o direito de se sentir assim afinal de contas o ser humano não é de ferro! é precisamente isso um ser humano... Espero que fique melhorsinha a tua amiga ^-^

MissBlueEyes disse...

Este post podia ser para mim... :(

E sim, neste tb momento estou com uma depressão pós-parto e sim tenho que me tratar! E ter filhos não é fácil quando não temos a família por perto! E ter filhos para muita gente é ficarmos completamente de parte, para mim não, por isso esteja a ser tão DIFÍCIL gerir isto tudo!