segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Prioridade de mãe*


Dizem-me que quando se é mãe, as prioridades mudam. Tudo que é melhor destina-se aos filhos. Mas eu acho que não se deveria ser tão linear. A minha amiga T. tem uma filha linda de 9 meses. A mãe queixava-se que não tinha nada de bonito para vestir, que desde que teve a filha, só comprava roupa para ela. Eu disse-lhe que, se há pouco dinheiro, que comprasse menos roupa para a filha, que afinal não trabalha e nem 1 ano tem, e que comprasse mais qualquer coisa para ela.

Afinal a T. trabalha  num escritório, e precisa de estar minimamente apresentável. A filha de 9 meses tem mais acessórios para o cabelo do que ela, tem sapatos de todas as cores, ... A mãe tem uns sapatos pretos que combinam com tudo segundo ela e nunca mais comprou nada para ela.

Não acho que uma criança necessita de tantas mariquices para estar bonita (quando não há meios financeiros). Porque não podem usar roupa da C&A ou marcas mais acessíveis, mas sim terem sapatilhas da Nike e vestir só roupa da Chico, Petit Patapon, etc.? 

Parece que quando têm filhos, as mulheres deixam de se afirmar por si, mas sim pelas crias. Os filhos têm que ser os mais bem vestidos da creche (às vezes mais valia apostar "no mais bem educado", mas isso já é outra história). Têm que ser o que fazem mais cocós, os que dormem mais horas,  osque têm mais brinquedos,  osque têm mais outfits, etc. E deixarmos as crianças terem valores mais nobres, e serem simplesmente crianças em vez de serem um mostruário de roupa?

Para mim é uma questão de equilíbrio. Nem 8 nem 80. Adoro ver as crianças bem vestidas, mas não devemos fazer disso uma prioridade. E deixar que uma mulher de 30 anos se desleixe completamente para a bebé ter roupa de marca, acho isso degradante. Pior ainda é ver pais a ralhar constantemente com os filhos porque não podem sujar as roupinhas de domingo (que têm todos os dias da semana) porque custaram os olhos da cara. Olha, e comprar umas calcinhas baratinhas para deixar a criança poder rebolar na relva, brincar com lama de vez em quando e ser feliz?

* Post generalizado a um grupo restrito de mãe...

10 comentários:

MAG disse...

Concordo plenamente e a roupa da C&A além de barata é boa. Tem muito algodão orgânico e evita alergias. Sapatos as crianças não ligam: 2 pares e já é muito. Se as mães não estiverem satisfeitas também não vão dar o seu melhor, para além de que intuitivamente as crianças apercebem-se do ressentimento. Bjs

Miss Apuros disse...

Concordo e acho um desperdicio gastarem muito dinhiero em roupa para criança visto dar apenas para uns meses e depois já não serve. Elas crescem em 3 tempos...

Nokas disse...

Realmente é um bom ponto de vista! Também não concordo que se gaste muito em roupas de bebé, passado um mês já nada serve e a roupa fica nova...

Fios de Vida disse...

Concordo plenamente. Não sou mãe mas tenho amigas com filhos pequenos e de vez em quando deito um olhinho às roupas das H&M e outros sitios que tais e parecem-me bem giras e muito mais em conta que Petit Patapon e Neck&Neck. Afinal de contas as crianças devem poder brincar à vontade. Além de que crescem tão rápido que nem vale a pena! As mães devem também continuar a ser mulheres. A não esquecer. Beijinhos

Clara disse...

Como tudo na vida, deve haver um ponto de equilíbrio. A mãe deverá dedicar um tempo para si, assim como apostar no seu filho. Roupas de marca em crianças acho um assalto à carteira porque deixam de servir muito rapidamente e se querem uns filhos saudáveis, deverão deixá-los brincar sem medo que se sujem ou rompam a roupa. Eu faço isso com os meus sobrinhos, tanto que a minha irmã e a minha cunhada já sabem, sempre que vêm cá pra casa trazem a roupa mais velhinha... vê-los felizes a pintar com guaches ou a jogar futebol é a minha satisfação e prioridade!!!

*C*inderela disse...

Até porque a roupa deixa de servir num dia para o outro! É um desperdicio de dinheiro investir em tanta roupa para crianças. Há coisas tão giras e baratas. Adoro as roupinhas na C&A, são tão fofinhas.

Fiona disse...

Confesso que sempre me fez muita confusão aqueles pais que gastam tanto dinheiro em roupa de determinadas marcas para os seus filhos, principalmente quando falamos de bebés. É nestas idades que as crianças crescem bastante e a roupa deixa de servir num ápice. Então para quê gastar fortunas nestas idades? Quando são maiores e praticam por exemplo um determinado desporto não me faz confusão nenhuma que se comprem ténis da Nike ou afins, porque são situações em que o calçado já deve ter uma qualidade diferente. Agora ténis Nike para bebés acho omaior desperdício. E ainda que as mães tentem dar de tudo aos seus filhos nunca devem desleixar-se, nunca. Pois é meio caminho para a auto-estima baixar e depois isso um dia mais tarde vai trazer problemas.

Eu... disse...

Sou mãe, mas como mãe concordo a 100 % contigo. É verdade que gosto de ser vaidosa com a minha cria, que não gosto de enfiá-lo num fato de treino e está a andar, mas pecadora me confesso, também sou muito vaidosa comigo.
Sou mãe, uma mãe muito babada, mas sou mulher!

Miss Gloss disse...

concordo plenamente com o que disseste.. nem 8 nem oitenta. Não é por termos filhos que temos deixar de existir... nunca tive filhos, mas acho que em vez de se gastar um pipa de massa num sapatos de marca, ou numa camisola da gant, era bem preferivel investir esse dinheiro na educação e nao na roupa que essa criança veste. Se já que não é para a mãe, pelo o menos que se invista na educação. É bem melhor andar vestido pela C&A e ter educação do que muitas crianças que ai andam todas cocos, que nem obrigado sabem dizer...

Desculpa o desabafo!

Beijinhos

Rita disse...

Concordo plenamente contigo. Existem mães que se anulam por completo pelos filhos.
*