sábado, 23 de outubro de 2010

Mulher descartável

Há dias em que me sinto um mero acessório neste casamento. Em que simplesmente posso ser descartada e colocada numa estante quietinha até voltarem a precisar de mim. Tenho a sensação que só sou importante quando não há mais ninguém de prioritário. Acho que tenho o direito de ser a prioridade do outro. De sermos só um pelo outro. Mas não só sou a mulher mais importante da sua vida enquanto a Outra não precisa.

Tenho uma sogra a 500km e mesmo assim tem um poder devastador na nossa vida. Mas a culpa é dele porque a deixa fazer. Em mais de um mês só tínhamos esta manhã para dormir, perguiçar juntos na cama, tomar o pequeno-almoço juntos e tratar de uma coisa muito importante para nós. Sem falarmos já da nossa intimidade. E do facto de eu estar bastante em baixo e de precisar de alguém junto de mim. Mas a mãe dele, apesar de lhe dizermos que não podíamos sucumbir aos seus caprichos, ela fez o que bem entendia e o filho foi atrás.

Resultado: acordei cedo, não consegui voltar a adormecer, tomei o pequeno-almoço sozinha e estive só o resto da manhã. Sei que se vivesse mais perto dela, já estaria separada. Sem dúvidas. Já nos prejudicou tanto e ele continua a defendê-la. E estou numa fase da minha vida em que não me apetece lutar por quem não merece o meu amor.



16 comentários:

Clara disse...

Dina,

Eu não sei o que é ter uma sogra do diabo, portanto arrisco-me a não conseguir expressar a minha opinião convenientemente. É certo que há momentos só nossos, do casal que devem ser respeitados, mas ela tb significa alguma coisa para ele, é mãe! Não quero criticar-te, longe disso, mas acho que ele deve sentir alguma pressão para se desdobrar pelas duas, afinal vocês são o amor dele. Eu sei que é difícil, mas terás de ter alguma paciência, porque ela sempre estará presente na vossa vida!
Um beijinho grande ;)

zira disse...

Minha querida... é assim; sou assídua leitora do seu blogue, mas não costumo comentar, porque me delicio a ler e a calcular mentalmente o que vocês a malta nova me ensina indirectamente. Sou uma cota com filhos e netos. Acompanho a sua ternura para com a sua mãe e...aquela relação especial que por vezes acontece entre pai e filha...Infelizmente perdeu-a e ainda lhe doi muito.Dou-me muito bem com as minhas filhas-noras. Dei-me muito bem com a minha sogra. Contudo há uma verdade intrínseca que ainda não viveu e que viverá a seu tempo.O ser mãe, o ter um filho. São amores muito diferentes os de pais, maridos e filhos, não têm bitola sabe? E... a voz do sangue está sempre presente. Nunca desvalorize esse aspecto. Sabemos os defeitos dos nossos mas não gostamos de os ver salientar pelos que são nossos por afinidade e não por sangue.Não há mistica... só a sabedoria de quem já viveu 60 anos.
Partilhe com ele esse amor que tem pela mãe ajudando-o a ajudar. Ele ESCOLHEU-A, a si como a mulher da vida que tem para viver. Não foi o seu caso, tem uma sogra porque sim. Então... deixe-o ser filho. Vai ver como é tudo mais fácil. Penso...que está muito carente. Tem razão... perdeu um amor muito forte, uma referência de dádiva...Mas aqui nos afectos é que "ninguém é insubstituivel".Acredite...São amores diferentes os que hoje tem.É uma mulher jovem fantástica, e... a filha que gostaria de ter além dos meus dois rapazes. Bora lá!!!Eu sei que são desbafos os seus, como os meus diários de muiiiitos anos,mas quero-a a sorrir. Amanhã ele compensa-a.
Posso mandar Bj?

zira disse...

Ah!... leio muito. Li recentemente a triologia do Stieg Larsson, conheço bem o Carlos Ruiz Zafón(Moro a 12 Kms se Espanha)mas desconheço a Dorothy Koomson(?)e Sam Bourne.Vou procurar. Agora leio "Justiça até Certo Ponto" de John T. Lescroart e,tem a ver com racismo.Pois, digo isto pelo que postou há dias.Desculpe o tempo que lhe "roubei"

formiga disse...

Como eu te entendo querida. A serio que sim. E ainda não sou nem casada. Nem sei o que te dizer, porque quando sinto o mesmo que tu fico com uma revolta tão grande que ele nunca percebe, por mais bruta que seja a falar-lhe e por mais directa que seja. E o pior é que sei que ele nunca vai trocar a familia dele por mim. ok...familia é familia, mas a partir do momento em que há uma vida a dois é o inicio de uma nova familia.

beijinhos querida. Força

Kikas disse...

Dina, não deixes que o vosso amor seja prejudicado por uma mulher assim. meu Deus, nem imagino o que deves estar a sentir.. espero muito sinceramente que ele caia em si e veja que a mulher necessitada que tem ao lado vale muito mais que os caprichos de uma mãe parva :s

Chokkie disse...

Dina tens toda a minha empatia já que também não gosto muito da minha sogra, não lhe quero mal mas irrita-me solenemente, é conhecida na família por tentar controlar a vida de toda a gente especialmente dos filhos para quem vive desde que se reformou. Desde que perdi o meu pai não faço fretes com os meus sogros, sei que não é o mais correcto para o meu namorado mas neste momento é o que sinto e a minha sogra não respeita minimamente a minha dor ou saudade. Luto pelo meu amor mas namoro e vivo com ele e não com a família dele que não escolhi... Espero que o marido te compense e que fique tudo bem. bjos e um bom fim de semana

teardrop disse...

Percebo perfeitamente o que escreveste! Acho que tens que ter muita calma porque neste momento estás em baixo e, sim, era de esperar que o teu marido estivesse do teu lado e te tivesse como prioridade. Mas eles têm uma ligação muito forte com as mães e temos que nos encher de peciência... Sê forte, tenta ser feliz, tenta que as coisas melhorem. Não desistas se o amas de verdade e se sabes que ele também te ama!

Beijinhos

Vera disse...

compreendo-te mais do que possas imaginar...por isso mesmo não posso tecer comentários...pois estariam fortemente influenciados...

uma coisa aprendi...temos de fechar os olhos às nossas sogras para que possamos viver bem com os nossos maridos.

Big kiss

*MARCIA E CARLOS* E LINDAS MENSAGENS disse...

EI TUDO BEM ESTOU PASSANDO PARA LHE DESEJAR UM OTIMO FINAL DE SEMANA E UMA OTIMA NOITE E DIZER QUE TEM SELINHO DE HALLOWEEN PARA VC NO MEU CANTINHO BJOS

Fiona disse...

Realmente é uma situação bem complicada pois a convivência com uma sogra (ainda que a 500km...) pode sempre causar distúrbios num casamento, quer queiramos quer não... Resta-me dizer,força!

Dina disse...

Obrigada a todas pelos vossos comentários...Eu sei que tenho que perceber porque é a mãe dele, Mas...

Eu não acho que as mulheres tenham direito a ser apelidadas de mãe só por o terem parido. Mãe é amor e respeito. Coisa que essa mulher não tem pelo filho. O filho é sinónimo de dinheiro e trabalho. E como quando casou deixou de trabalhar para casa, ela odeia-me. já me disse que eu e os meus filhos não seriam da família. Ela já prejudicou o filho de tal forma!
Mas a culpa deve ser minha de saber o que é uma família, e é por isso que para mim aquela mulher não é mãe não é nada....

Carla disse...

Eu estive 3 anos sem falar com a minha sogra, nem ia lá a casa nem ela vinha a nossa, caso viesse saia eu. Felizmente reconheceu que fez mal, que teve pessimas atitudes e hoje em dia trata-me melhor que a minha própria mãe!
É terrivel passarmos por fases más sejam porque motivo forem!
Força e beijinhos

Nokas* disse...

Eu adoro a mãe do meu namorado. E ela sabe que depois de nos casarmos, pretendemos marcar uma certa distância e uma certa independencia. Acho que não terei problemas. Mas conheço um caso de uma sogra que já pôs por diversas vezes em casa o casamento de uma amiga da minha mãe. Nunca foi fácil, e está cada vez pior. O teu marido tem de perceber que é casado contigo e não com a mãe. Mas eu sei que são sempre situações muito desgastantes, acima de tudo. E nem sei se há receitas milagrosas para resolver essa dependência excessiva em relação à mãe.

Tany disse...

Ola,

espero sinceramente que consigas superar estas fase pior e que possas receber todos os mimos e carinhos que mereces para te animares rapidamente.

Muitos beijos e não deixes estes problemas consumirem-te*

Rita disse...

Felizmente tenho uma óptima relação com a minha sogra e sinto sinceramente que o meu namorido me coloca muitas vezes em prioridade relativamente a ela. Apenas posso imaginar a tua situação, mas espero que não percas a esperança. Não ponhas em causa o vosso amor por causa dela.
*

Dina disse...

Formiga: vi agora o teu comentário (vão sempre parar ao spam...): conseguistes traduzir perfeitamente o que sinto e o que se passa entre mim e o meu marido...