quarta-feira, 31 de março de 2010

A ignorância é santa


[Não, não estou a falar do Papa Bento XVI porque este era tema para gastar muitos caracteres...]

Confrontados com a morte de um conhecido, eu e o L. estávamos a conversar se gostaríamos de saber qual será o nosso último dia. Ele gostaria de saber porque assim viveria ao máximo os dias que lhe restava, cometiria as maiores loucuras que de outra forma não iria fazer, com o medo do amanhã.

Eu sei que as pessoas só dão valor à vida quando ela se tenta escapar de nós. Mas eu não gostaria de viver com este peso em cima de mim, esta sombra colada a mim, sempre a visualizar a meta certa ao fim do caminho da vida. E como viveriam os que me amam, sabendo que à hora X do dia Y deixaria de estar juntos dele. Viveriam o sofrimento da minha morte durante a minha vida. A morte paira sobre nós e chega quando menos se espera: uma doença que vive dentro de nós sem o sabermos, um carro descontrolado na esquina da nossa rua, um acidente banal, ...

Se já sabemos que a vida é uma corda bamba, eu acho que não é preciso saber quando ela irá quebrar para lhe dar valor e a achar o fio de seda mais belo e macio... E vocês, gostariam de saber?

9 comentários:

Inês disse...

Eu não gostava de saber.
Como o teu L., poderia saber para desfrutar da melhor maneira o resto dos meus dias mas, se formos a ver, não o iriamos sentir completamente porque, inconscientemente teriamos sempre na nossa mente o dia em que iamos morrer e ficariamos insensiveis a maioria das emoções só com o medo de morrer. Percebes?

beijinhos*

Aninhas disse...

Acho que não gostava de saber!

Isso faz-me lembrar uma série que dá na SIC: Flashforward. As personagens tiveram um vislumbre do futuro e querem fazer de tudo para que ele não se concretize. No entanto, ao tentar impedir as coisas, só fazem com que elas aconteça.

Será que não em iria acontecer o mesmo se soubesse como vou morrer?

Bjx

Jo disse...

Mesmo que fosse possível eu não quereria saber. Para viver cada dia ao máximo basta pensar que um dia tudo isto acaba. Mas não precisamos de saber quando!
Acho que seria demasiado difícil gerir essa informação e todas as emoções subjacentes.


Bjs

Purple disse...

Prefiro a doce ignorância.

E por não sabermos quando tudo termina é que devemos viver da forma mais plena possível.
Afinal o fio de seda é mesmo o mais valioso que temos e é tão imensamente frágil.

Beiju

Soinita disse...

Eu não queria saber.
Acho que iria viver muito ansiosa quando estivesse a chegar esse dia e não iria desfrutar a vida da melhor forma possível.
Bisoux

Miss Apuros disse...

Eu prefiro não saber... Não ia aproveitar nada se soubesse ia ficar super ansiosa e com receio. bjinhos*

MagicWoman disse...

Adorei essa imagem.

kiss

Chuva de Prata disse...

Eu prefiro não saber! Acho que devemos é viver todos os dias da melhor forma possível, dando valor a todos os momentos e a todas as pessoas que fazem parte da nossa vida... No fundo, viver cada dia como se fosse o último, porque nunca sabemos se será ou não!

lin disse...

I agree with many points. But in some areas, I feel we need to be more aggressive. Just my opinion. Love ya. halter neck wedding dresses!?! QWERTY Cell Phones Louboutin Shoes christian louboutin platforms. Accessories