quinta-feira, 9 de abril de 2009

Medooo



Avizinham-se quinze dias de férias. Prezo e tenho imensas saudades dos almoços e jantares em família. Momentos de partilha, de satisfazer a gula, e de conversas animadas. Mas nos últimos meses, esses momentos de paz e felicidade familiar foram marcados a ferro vermelho. Perguntas como «só comes isso?» (quando ainda só estou a levantar a colher para me ir servir), «tás tão magra, assim não te aguentas...», «não comes para sobreviver», «O gato come mais do que tu», «Vi a semana passada uma reportagem sobre anorécticas...», e outras muito similares. E se não sou pessoa de muito apetite, depois de ouvir uma frasinha destas apenas, a pouca fome que eu tinha desaparece logo a seguir...

É infernal fazer compreender às pessoas que vivo bem com o que como, e que não estou de dieta, que simplesmente não tenho mais fome. E não como assim tão pouco (lá está, as anorécticas da reportagem também não se dão conta que têm um problema arght). Só ficavam contentes se eu comesse por trinta. E para os pais estamos sempre magros demais, mesmo quando a balança se queixa de quilos a mais! Não conseguem perceber que devido a um problema do foro intestinal que tive há uns dois anos, tive que alterar a minha alimentação: beber muita água, comer alimentos com muita fibra, comer mais vegetais e menos hidratos de carbono brancos, etc. Substitui bolachas e bolos por fruta e iogurtes magros. Enfim, uma opção saudável que me faz sentir bem melhor e me fez perder uns quilos.

Estou há uma semana a mentalizar-me que vou ter que aturar os meus pais e os meus sogros e mais o Luís que, como tem as costas quentes, aproveita para me chateiar também. Não posso esquecer de colocar quilos de paciência na mala de viagem...

4 comentários:

Liliana disse...

Tb vou trocar as bolachas por fruta! Tb o faço, mas vou passar a fazer mais!

Tou q nem posso...mt desanimada pq n consigo perder 1kl q seja :(

Dina disse...

Quando era adolescente sofri muito por causa de alguns kilos a mais. Nunca consegui perder nada e o que perdia recuperava logo a seguir. Pelas piores razões, tive que cuidar da minha alimentação. Ao fim de dois anos perdi cerca de 10 kilos. Sem passar fome, sem me privar de um docinho. Mudei os meus hábitos alimentares. E tenho mantido o peso. No início não é fácil mas depois não consegues viver de outra forma.

Força vais ver que também vais conseguir. Espero que tenhas gostado do link :) Bjinhos

anaaaatchim! disse...

Eu também como pouco, e o pior é que sou muito gulosa... (mas até nos doces tenho mais olhos que barriga). Às vezes ouço as mesmas coisas que tu, apesar de que com a Mafalda, agora as pessoas já não reparam tanto em mim (o que é bom neste aspecto das refeições ;))

Dina disse...

Estou a ver que tenho que arranjar um rebento para afastar as atenções :)