sexta-feira, 19 de maio de 2017

Mulheres Reais


Qual é a mulher que não procura ou sonha com o corpo perfeito? A verdade é que por muito esforço e dedicação, há sempre aquela tendência de nos compararmos àquela miúda do ginásio ou às meninas que no instagram ostentam abdominais perfeitos e bem definidos. E depois deprimimos e achamos que não estamos a fazer o suficiente. 

Mas a verdade é que só nos podemos comparar a nós próprias. Olhar para trás e pensar o quanto evoluímos, o quanto nos sentimos melhor agora. E não estou só a falar de medições, de centímetros, de quilos perdidos. Mas do quanto o nosso corpo ganhou em nos alimentarmos melhor e em praticar exercício físico.

E depois temos de estar consciente que dificilmente chegaremos aos mesmos resultados do que mulheres com menos 15 anos do que nós, com pessoas que treinam muitas horas várias vezes ao dia, que têm uma alimentação mesmo muito rigorosa. É preciso estar consciente que há quem não consegue treinar tanto, nem abdicar de um copo de sangria na esplanada com os amigos, dos petiscos ao final da tarde, de um gelado com o filho, que não pode frequentar o ginásio todos os dias porque isso significaria não estar com o filho, etc. 

Eu tenho um problema: sei que sou demasiado auto-exigente comigo mesma e que dificilmente me perdoo uma falha. O que pode parecer uma obsessão: não sei. Mas percebi que tenho de ser menos dura comigo mesmo. Que tenho de aprender a relaxar. Que mais do que ter abdominais definidos o que quero é aproveitar a vida com quem amo. Sim continuo sempre a comer de forma saudável (mas é um estilo de vida, não uma dieta) e a praticar exercício de forma regular. Mas estou a aprender a relaxar mais e não culpabilizar quando cometo "pequenos pecados". É difícil encontrar um equilíbrio, quanto se tem uma personalidade que não vê zonas cinzentas, e em que é sempre 8 ou 80. Mas vou lá chegar, porque eu quero sentir-me bem física e psicologicamente.


3 comentários:

Angela Soeiro disse...

:) Podia ter sido eu a escrever isto. Letrinha por letrinha

Agridoce disse...

A "vantagem" de andar por aqui há muitos anos é poder ir acompanhando a tua "evolução"! E acho que sim, que és demasiado exigente contigo mesma e devias era sentir-te orgulhosa do teu foco, do que conseguiste, das mudanças que foste implementando.

Acho que para a grande maioria das mulheres (e muitos homens, também), a relação com a comida e o peso é sempre pouco saudável. É muito difícil combater isso, chegar a esse equilíbrio, e conseguirmos perdoar-nos esses pecados... Mas havemos de lá chegar :)

Carla Tavares disse...

Eu pensada mesma maneira. Houve uma altura que até me irritava a mim mesma, só me comparava a outras, se comia algo que não devia, culpava-me. Enfim...estava enfeia. De que importa ter um exterior bonito é um interior triste, revoltado...? Não aproveitar a vida. Sim porque deixamos de aproveitar os melhores momentos, e a maioria são passados á mesa:)
Também estou a aprender a relaxar, como saudável e quando apetece, como e nem quero saber. E sou tão mais feliz!

Beijinhos