quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Desabafo matinal



Sempre ouvi dizer que devemos nos afastar das pessoas com energias negativas: daquelas auras negras que nos fazem mal. Desgastam-nos e fazem-nos mal, tornando-nos naquelas pessoas que não queremos ser.

E se estas pessoas forem a nossa própria mãe? Sempre enfrentei todas as contrariedades da vida encarando-as de frente. Sem nunca baixar os braços. Mas agora nunca pensei tento em fugir. Em virar costas e desaparecer da vida destas pessoas. E coragem para o fazer?

Estou cansada, exausta. Já não aguento a minha mãe. Já estou quase ao ponto de ser malcriada. Não me venham com conversas que os velhinhos têm que ser respeitados, coitados que também nos criaram, que os devemos apoiar, etc. Nós também somos adultos que merecem respeito. Já não aguento e estou prestes a cortar relações de vez com ela. Põe-me louca, deixa-me verdadeiramente doente. 

E depois é o homem lá de casa. Quando nos casamos com um homem que conhecemos na adolescência, corremos o risco de a vida o transformar em alguém diferente daquela pessoa por quem nos apaixonamos. E foi exactamente o que aconteceu. Estou cansada do arrastar desta situação, para a qual vou ter também de encontrar uma solução. 

Farta de uma vida de altos e baixos por meros caprichos de pessoas mimadas, que não merecem a vida que têm. 


8 comentários:

Opinante disse...

Minha linda, finalmente regressei a este mundo! Mas fiquei de coração apertado com este post... forcinha querida! Alguma coisa apita!

Jo disse...

Não deve ser nada fácil, Dina... um beijinho grande!!

Agridoce disse...

Lamento muito que estejas a passar por isso. Não sei se valerá a pena tentares falar com eles, só tu o saberás. Mas pode ser só uma fase (tua ou deles). Força para ultrapassares isto e espero que as coisas melhorem!

Girl in the Clouds disse...

O que for melhor para ti!O que te fizer feliz!

Alex disse...

Não deve ser nada fácil. Tenho uma amiga que tinha uma relação terrível com a mãe. A mãe desde sempre que a maltratava (psicologicamente) que lhe dava cabo da sanidade mental. E ela acabou mesmo por se afastar, prestando-lhe apenas a assistência mínima que teve que ser. Mas foi complicado. Desejo-te muita força. E quanto ao homem lá de casa, faz aquilo que o teu coração achar que é melhor para ti. Beijinhos

Isa P. disse...

Ola. Em relacao a mae essas palavras podiam ser minhas, eu passo exactamente o mesmo. Em relacao ao marido ja tive um assim e, acredita em mim, o divorcio e sempre a melhor opcao. A vida e demasiado curta para perder tempo com coisas e pessoas que nao valem mesmo a pena. Forca e coragem, o teu futuro so depende de ti. Beijos.

A Pimenta* disse...

Não tenho a melhor das relações com a minha mãe. Há alturas em que me apetece ser malcriada com ela, é um facto. É o acumular de muita coisa mas vou aguentando. Até um dia talvez.

VerdezOlhos disse...

COMO EU TE COMPREENDO! A minha relação com a minha mãe sempre foi uma verdadeira montanha russa e não é nada fácil nos mantermos de pé com alguém assim, tão próxima.
Força, coragem, não te consigo, infelizmente, dar melhor conselho ou solução.
Beijos