segunda-feira, 28 de março de 2016

Família: fonte de felicidade e chatices


Esta Páscoa ficou marcada pela febre do mais pequeno e pela estadia de uma noite no hospital do mais velho. Mas conseguimos ser felizes mesmo assim... Mas mais importante ainda: no sábado liguei à minha irmã. Aquela com a qual não falo desde a morte do meu pai, porque nos afastamos inexplicavelmente. E eu não fiz nada para mudar isso, porque estava magoada com muitas coisas que foram acontecendo. E pronto, resolvemos as nossas coisas. Já suspeitava do que estaria por detrás desta situação: a minha mãe. Há quem diga que a idade realça traços da nossa personalidade: os bons e os maus. Não quero acreditar que ela o tenha feito de propósito, mas foi ela que nos afastou: contando mentiras à minha irmã sobre mim, e vice-versa. Sei que a minha irmã nunca mais virá a Portugal visitar a nossa mãe. É tão triste este género de situações. Como é possível que uma mãe cause estas coisas entre os próprios filhos...

5 comentários:

ML disse...

Não consigo imaginar uma mãe assim. Tenho muita sorte mesmo. Mas conheço algumas mães assim... deve ser tão triste!

Isa disse...

As relações familiares podem ser muito complicadas.. Claro que provavelmente não foi de propósito mas há pessoas com uma tendência insta para interpretar as coisas de uma forma menos realista e depois passar a sua visão aos outros... Agora força e aproveita essa relação restabelecida!

Um Mundo a Três disse...

A família deveria ser o melhor de nós e é tão triste quando isso não acontece. Infelizmente o meu pai e o irmão estão a passar por isso, deixaram-se de falar por uma coisa que nós próprios não sabemos. É triste quando as pessoas não põe a família em primeiro lugar. Devia ser SEMPRE o nosso pilar. Infelizmente muitas vezes o orgulho fala mais alto. Fico feliz que tenhas resolvido as coisas :)

Jo disse...

Muito triste mesmo, não consigo imaginar como te sentes tratando-se da tua mãe...

Mas o que é certo é que os laços de sangue por vezes nada valem... Há pessoas que até priorizam as aparências em relação à família e àquilo que deveria ser mais importante e essencial... É triste assistir a esse tipo de coisas, especialmente quando estão tão perto de nós.

Ainda bem que conseguiste resolver as coisas. Espero um dia também conseguir...

VerdezOlhos disse...

Lamento muito que tenhas de lidar com essa situação no seio da tua família. Infelizmente muitas vezes não compreendemos os nossos pais. Agem como se fossem estranhos ou crianças autênticas, sem pensar nas consequências, sem consciência das atitudes. Sei bem o que isso é porque a minha mãe também é uma pessoa muito muito difícil e volta e meia faz-nos querer arrancar cabelos. É capaz de cada coisa que nem dá para acreditar!
Felizmente conseguiram esclarecer as vossas divergências, que bom! É que não há coisa pior do que nos afastarmos das pessoas especiais para nós. E os irmãos são do mais especial que temos, isso não haja dúvida.
Afinal, apesar das doenças dos rapazes, foi uma Páscoa muito boa por te ter aproximado da tua irmã!
Beijinhos