terça-feira, 5 de agosto de 2014

O preconceito


No fim-de-semana, tivemos uns colegas do marido em casa com as respectivas esposas. Dizia-me uma que eu estava a fazer muito mal a escolha dos brinquedos para o pequeno: eram só tractores, máquinas agrícolas, ferramentas, e até bonecas, cozinhas e vassouras! E que deveria desde terna idade incentivá-lo para profissões mais nobres como médicos.

Fiquei largos minutos a pensar se teria ouvido bem. E claro que não consegui e tive que lhe explicar a minha perspectiva de que o que me importa é a felicidade dele, que brinque com o que lhe der mais prazer. E que não há profissões mais dignas e espero que ele aprenda a respeitar todas da mesma forma. E que o irei apoiar em qualquer opção de futuro que lhe tome. Que não há profissões menos dignas. Afinal ser agricultor não é nobre? Quando é ele quem nos alimenta e dá vida?

Não tenho paciência para estes preconceitos e aplicados a crianças deixa-me de cabelos em pé. Ao domingo é dia de pintar as unhas e o Simão adora que lhe pinte uma unha também. E eu pinto. Piroso, deslocado? Quero lá saber o que os outros pensam (ou como já me disseram que estava a potenciar futuras tendências homosexuais). 

17 comentários:

Carla Isabel disse...

Ui nao acho, sequer, educado uma convidada fazer esse tipo de reparos...

Fernanda disse...

Santa estupidez. Bem ao jeitinho português! Pergunte-lhe, se voltar a ter oportunidade, se é ao médico que recorre quando quer arranjar o carro, os canos da água, comprar comidinha, etc, etc. Como diziam os meus "antigos" cada macaco no seu galho e, como eu digo aos meus alunos, todos somos importantes na sociedade: o médico que nos trata na doença, o engenheiro que faz os projetos de pontes para atravessarmos os rios, o pedreiro que constrói as casas (não é o arquiteto, certo?Só com o projeto não iríamos longe), o pintor que as pinta, o lavrador que semeia e colhe o que comemos, o professor que transmite o saber, o empregado de balcão que nos atende....Que seria do Mundo sem eles todos juntos? Não ligue Dina. São as manias de grandeza do português.Se não for "dótór" não é importante. Valha-nos (lhes) Deus!

rosa_chiclet disse...

A mim também me mete muita confusão..
Queria ver como é que essas pessoas sobreviviam sem essas prfissões "menos nobres".. Que para mim são tão importantes como outras..

kisses***

Mary Bradshaw disse...

A sério??? Ainda bem que ainda ninguém me disse nada disso. Tenho a mesma opinião que tu. O meu filho será aquilo que quiser. Vou apoia-lo e orienta-lo da melhor maneira que souber, mas a decisão é dele, como felizmente foi a minha!

Manias de Mulher disse...

O meu sobrinho também me pedia para pintar uma unha sempre que me via pintar as unhas, e eu pintava! Afinal que mal tem? Tantos homosexuais que não pintam unhas...e são casados...com mulheres! Esta sociedade tem que se deixar de preconceitos senão não chegamos a lado nenhum :)

A Pimenta* disse...

Eu acho inacreditável este tipo de perspectivas. Efetivamente sobre a maternidade, parece que toda a gente tem algo a dizer. E isso chateia muito! Uma mãe é que sabe o que é melhor para o seu filho. E ninguém tem nada a ver com isso.
Tendo sido mãe há pouco tempo, já me deparei com algumas opiniões com as quais não concordava, limitei-me a engolir em seco, mas não devia de ser assim. Mas também sei que a minha natureza não é de entrar em conflitos ou confusões, por isso pronto... resta-nos a consciência de que fazemos o melhor pelos nossos filhos!

Saltos Altos Vermelhos disse...

Ahaahahahah essa é boa! Bem eu ando a dar princesas e principes à minha e olha quando crescer vai muito mal encaminhada! LOL eles não existem, pá!
Preconceitos parvos... é cada um!

Cris disse...

Há gente tão ridícula...essas pessoas devem ter algum complexo de inferioridade!!

Vidas da Nossa Vida disse...

Se soubesses os comentários quando comprámos a cozinha do Ikea para o mais velho? Mas sabes que mais era a brincadeira preferida dele e é agora a do irmão e de todos os amigos, sobrinhos e demais crianças que lá vão a casa. Ele já não liga porque agora quer é lutas, legos, espadas e dragões!

Jo disse...

Às vezes fico perplexa com as teorias que oiço vindas de algumas pessoas... Esta nunca tinha ouvido, confesso... Bom, acho que ficava sem reacção se ouvisse tal coisa...

ML disse...

Estou contigo, sem paciência nenhuma para esses preconceitos! O baby D adora brincar com panelas e tachos, e..? E eu deixo claro!!

Maria João disse...

Tanto disparate junto!!!!!!!!
Sabes, ao domingo também pinto sempre uma unha ao meu tesouro mais novo.
Fá-los felizes? Se sim, isso é que importa!!!
Bjs,
MJ

Maria João disse...

Tanto disparate junto!!!!!!!!
Sabes, ao domingo também pinto sempre uma unha ao meu tesouro mais novo.
Fá-los felizes? Se sim, isso é que importa!!!
Bjs,
MJ

Neuza disse...

Desculpa lá comentar este teu post, mas essa última parte foi fantástica. Então quer dizer que por pintares uma unha ao Simão quer dizer que ele pode vir a ser gay?!? Ok...essas mentes assustam-me. Demasiado. Preconceitos e mentes doentes são o forte de muitos, mas assim, com este grau de ignorância?
Se ele for gay, não será por esse motivo certamente. Se brincar com tractores não quer dizer que vá ser agricultor e assim sucessivamente. Mas a mente, ai a mente das pessoas (algumas) são tão doentes...

C*inderela disse...

A principal preocupação de qualquer mãe/pai deveria ser a felicidade dos seus filhos independentemente da sua orientação sexual, profissão ...
Concordo contigo, não há profissões mais importantes ou dignas, todas são fundamentais para a sociedade. E essa coisa dos estereotipos de genéro é algo que não se deve levar muito em conta :P

Bjokas*

teardrop disse...

Ainda não tenho filhos, mas acho que vou deixá-los brincar com coisas simples, como eu brinquei. Desde que seja feliz... isso sim é o mais importante!
As pessoas estão demasiado concentradas em padrões, acho que algumas nem tentam perceber se estão a criar crianças felizes :(

Diana Machado disse...

Não sabia que ainda haviam mentes tão retrógradas por ai...francamente.