sexta-feira, 16 de maio de 2014

Da herege que eu sou ou da podridão da Igreja à qual pertenço

O batizado do meu filho tem-me dado grandes dores de cabeça. E eu e o meu marido somos batizados, crismados e casados pela Igreja.

O que faria sentido para mim seria batizá-lo na igreja onde me casei. Mas por diversos motivos decidi batizá-lo na paróquia a que pertence e onde irá fazer a catequese, etc.

Fui à reunião dos pais para a prepração do batismo. O padre é arrogante ao mais alto nível e começa a implicar com a idade do Simão porque ninguém se batiza aos 8 anos. Eu a explicar-lhe que não tinha essa idade. E ele a insistir que é o que estava no papel. Mas não estava. Depois disse-nos que teríamos que justificar o porquê da Igreja aceitar o batizado, como se nos fizesse um grande favor. Diz que há muitos batizados e poucos praticantes, por isso há que limitar os batizados. E eu a começar a bufar. Entretanto o Simão estava a brincar com um carrinho e claro que fazia barulho, mas nada de mais. E o padre só lhe deitava olhares fulminantes. E eu a bufar.

Depois ainda assisti a uma mãe que se rebaixou de tal forma, a pedir por favor que lhe batizassem a filha. E eu a arder. Depois o Simão deixou cair o carrinho no chão e o padre berrou «por favor, ponham-me esta criança na rua».

E pronto. Levantei-me e disse-lhe que era inadmissível uma atitude destas para com uma criança num lugar destes. E expliquei-lhe o porquê de eu querer batizar o meu filho e do porquê de haver tão poucos praticantes da minha idade (devem imaginar o teor). Peguei nos formuários do meu filho e só lhe disse «desculpe mas prefiro batizar o meu filho numa paróquia onde se vive o espírito cristão"

17 comentários:

Cláudia disse...

Omitiste a parte mais gira: a reacção do dito cujo!

Alex disse...

De facto... é por padres como esse que as pessoas se afastam da Igreja! Abençoada por lhe teres dito o que pensavas!

Moa disse...

fizeste tu muito bem! O padre que batizou a minha filha é TOP. Daqueles que deviam existir mais.

teardrop disse...

Tens toda a razão... não é assim que vão conseguir aumentar os praticantes!
Beijinhos e bom fim-de-semana

D* disse...

Eh pa e fizeste muito bem. Ha paroquias onde os padres sao muito intransigentes.

Jo disse...

E fizeste tu muito bem Dina! Só de ler já estava para aqui a ferver... Infelizmente ainda há alguns padres destes, que com certeza se acham o suprassumo da santidade e melhores do que os outros, e se aproveitam da sua profissão/estatuto para humilharem os outros, achando-se no direito de julgarem os outros e de dizerem o que lhes vem à cabeça. E depois admiram-se que ninguém vai assistir às missas que celebram...!! Fizeste muito bem em mudar o local do baptismo. Espero que encontres um padre simpático e acessível - como, felizmente, também há tantos! - e que tudo corra bem.

ML disse...

Meu deus! O que é isso?! Inadmissível!

Estou também a organizar o batizado do D. e a minha experiência está a ser completamente diferente.
Tenho de a contar no blog.

Ainda estou parvinha com o que acabei de ler. :(

Petra disse...

Felizmente a religião não me diz nada, um dia que seja mãe a criança só se batiza se quiser... Mas percebo o teu stress mulher, quando foi para batizar os meus sobrinhos la na terra foi um filme.

Cris disse...

E que tal participares superiormente? a sério. è que exemplares destes ninguém quer na sua paróquia e até mesmo os padres precisam de puxões de orelhas! O Papa desfaz-se em excepções...daqui a pouco até casa pela igreja os divorciados (não vejo porque não...) e estas criaturas andam nisto... Espero que tenhas melhor sorte. Eu tive a sorte de conhecer um padre companheirão e com esse tal espírito e era de outra época, imagina.
Cristina

Tsuripa disse...

É por pessoas como esse senhor que a vida espiritual se encontra no estado lamentável que sabemos, e claro, se reflecte nos valores que vemos actualmente. Foste grande! És a maior.

Fernanda disse...

Mas que padre porreiro! Depois queixam-se que as pessoas não frequentam as igrejas (atenção não estou a falar de Fé, nem de Deus). Com padres com esse espírito de caridade cristã, é fugir a "sete pés". Fez muito bem. Ainda deve haver sacerdotes com vocação para aquilo que fazem. Basta procurar. Beijinhos.

Dulce disse...

Muito bem, apoiado!
Queixam da falta de fieis e depois tem este tipo de atitudes!
Dulce Barbosa

desabafosemrodape disse...

padres arrogantes? lidei com essa espécie durante algum tempo e percebo o quanto podem exasperar as pessoas! sair foi a melhor solução!

Dina disse...

Cláudia: ficou com os olhos esbugalhado, começou por levantar a voz a dizer como é que ousava dizer isso, que não percebia, mas depois não lhe dei mais hipótese de dizer mais uma palavra...

Ana Guida disse...

Acho que é a primeira vez que comento o teu blog e não resisto a fazê-lo por achar que este tema também mexe, e muito, comigo. O meu filho com 8 anos vai ser batizado e comungado pela primeira vez no próximo domingo. Eu e o pai vivemos em união há quase dez anos. Quando ele nasceu sempre achámos que por uma ou outra razão o batismo seria no ano seguinte, fomos adiando, adiando, até que ele chegou aos 6 anos e achámos que não fazia sentido batiza-lo mais valia esperar pela 1ª comunhão e ficava o assunto tratado. Assim será! Nunca na paróquia nos puseram qualquer obstáculo e digo-te, adoro o padre daqui, tem muito jeito para as crianças e é "descomplicado", humilde, um espetáculo! Quem me dera que nunca saísse daqui porque no meio de tanta "podridão" da igreja, como dizes, ele faz-nos acreditar que vivemos numa comunidade com espírito cristão e dá gosto participar nas atividades da paróquia muito por "culpa" dele.
Há cerca de seis meses no entanto tive um desaguisado com um exmo. sr. padre que achou por bem dizer que eu não podia ser madrinha por viver em pecado. Enfim, são estes tristes que afugentam cada vez mais as pessoas da igreja e do que Cristo pregou...Boa sorte para que encontres um padre tão bom como o que temos aqui que possa batizar o teu filhote sem objeções estúpidas.

Verita disse...

Fizeste bem! Infelizmente ouvem-se muitas histórias destas :(
eu não consegui baptizar o meu onde moramos porque o padre escolhe um domingo de cada mês e junta tudo (mais prático para ele) e eu queria noutro dia, tive que mudar eu! Fui pedir na freguesia onde me baptizei e fiz a comunhão e crisma. O padre já não é o mesmo, não gostei dele por aí além mas não levantou obstáculos por aí além!!

PS: desculpa só responder agora, o vinil do quarto do Francisco foi numa empresa pela net, podes procurar no facebook por Casa D'Art :) podes fazer os já existentes ou personalizado, explicar a tua ideia...são muito acessíveis e mostram-te o resultado antes de mandar imprimir, fazem alterações que queiras...5 estrelas!

beijinhos

Vidas da Nossa Vida disse...

Não sei se te eé conveniente, mas o padre que baptizou o meu sobrinho e depois o meu filho mais novo é pará-la de fenomenal! Se todos fossem assim as igrejas estampavam cheias! Se visses como ele tratou as crianças, a alegria dele por termos mais de 30 crianças na festa do baptizado. O sentido que para ele fez as crianças ali, deixou-as andar à vontade, falou lindamente sobre o casamento, o baptismo e o estarmos ali e ainda foi buscar hóstias não consagradas, porque o meu filho mais velho quis comungar e ele deu-lhe no fim da missa, além de o ter chamado para assinar o papel do baptismo e de ter benzido com água benta todas as crianças. Recomendo tanto. Todas as pessoas do baptizado se emocionaram com a graça e com a maneira como ele fez uma festa tão linda ali na igreja. Foi o padre Alberto na igreja do santuário da rocha em queijas. Além disso, a igreja é lindíssima! Mais alguma coisa, diz. Bjs