terça-feira, 11 de março de 2014

Do trabalho


O meu local de trabalho é representativo do que se vive(u) em Portugal.

Estou numa empresa de privilegiados: grandes costumes, grandes manias, grandes egos, mas quando se vai retirando camadas, apercebe-se que é tudo podridão. Pessoas com a mania da superioridade que ficam chocados quando sabem que sou filha de trolha e femme de ménage, que sou transmontana e afins.

Pessoas que ganham imenso dinheiro e que não têm competência para metade e que vêem mal o facto de uma miúdo chegar e colocar em risco posições ancestrais.

Mas queria falar de outra coisa. Este mês ainda não recebi ordenado. Irrita-me porque esta é a contrapartida que espero do meu empenho e dedicação. Mas não vivo com a corda ao pescoço. Consigo aguentar-me e conseguiria aguentar-me mais. Porque sempre me preocupei em ter uma almofada. E continuo a minha vida como sempre, sem grandes preocupações.


Quando oiço pessoas a contar-me que já têm conta a negativo, que foram familiares a pagar contas de supermercado, e que não têm um tostão mais, fico indignada, principalmente quando se trata de mães com  filhos pequenos a depender delas. Como é possível viver com a corda ao pescoço desta forma? Até quando se tem ordenados bem  acima da média (cerca de 4000 mil euros mensais). Não entendo tamanha irresponsabilidade, porque são as primeiras a queixar-se da crise quando a maior crise que existe é na cabeça desta gente…

12 comentários:

PrincesaQuaseRainha disse...

4000 mil euros mensais???
Eu compreendo quando estas situações acontecem a quem recebe o salário mínimo. Nesses casos é quase impossível fazer uma poupança. Agora salários desse valor???
Espero que vos paguem rapidamente e que seja uma situação pontual. E já agora que essas pessoas aprendam e comecem a colocar algum de lado.

Jo disse...

Ora Dina... agora é que disseste tudo. Este foi o exemplo que recebi e continuo a receber dos meus pais: não gastar mais do que se tem, não viver acima das nossas possibilidades, não ser chapa ganha chapa gasta, poupar, ter sempre uma "almofada" para nos dar alguma segurança... Mas cada vez mais vejo que isto é um hábito muito pouco comum. As pessoas, em geral, não vivem assim. Ganham e gastam. Ganham 1000€ gastam 1500€. Preocupam-se muito em parecer... Acho que esse é o grande problema.

Opinante disse...

É também algo que me faz (muita) confusão... e conheço muita gente, infelizmente, nessa situação. No entanto têm bimby, meo e outros extras.

Chamar-lhe-ia prioridades. Cada um define as suas...

Cacau disse...

Mundo de aparências é o que é...

Marisela disse...

Neste momentos tbm tenho salarios em atraso... 2 e sem subsidios de ferias e natal ainda do ano pasado... e a empresa onde trabalho muitos com grandes salarios ( + de 4 mil) e sem fazerem nenhum... e somos nos..os baixos salarios que andamos a financiar a empresa... pois andam a utilizar o nosso suor.. em fim..imagino como andamos nos... eu estou a ponto de explodir... pois nao é justo andar assim e exigir de nos como si fosemos escravos....

Miss L. disse...

Pois...as pessoas querem parecer mais do q sao ou têm na realidade. Aqui em casa entre 2 ordenados ficamos bem aquem de metade dos 4000euros e ha quem se admire de cm conseguimos ter dinheiro de lado...esforço e prioridades é o q lhes digo...

Miss L. disse...

Pois...as pessoas querem parecer mais do q sao ou têm na realidade. Aqui em casa entre 2 ordenados ficamos bem aquem de metade dos 4000euros e ha quem se admire de cm conseguimos ter dinheiro de lado...esforço e prioridades é o q lhes digo...

Miss L. disse...

Pois...as pessoas querem parecer mais do q sao ou têm na realidade. Aqui em casa entre 2 ordenados ficamos bem aquem de metade dos 4000euros e ha quem se admire de cm conseguimos ter dinheiro de lado...esforço e prioridades é o q lhes digo...

Nada disse...

Há pessoas que realmente não conseguem por terem sido despedidos de onde trabalharam a vida inteira com 50 anos e ninguém lhes dá trabalho...aguenta-se no começo mas depois não dá mais. Agora pessoas com bons ordenados que chega a dia 10 e dizem que acabou...custa-me a perceber e indigna-me também...muito!

C*inderela disse...

Uma coisa é ter um ordenado baixo e não conseguir amealhar nenhum, outro são ordenados desse nível! Há muito má gestão, digo eu. Comigo não dá essa mentalidade de chapa ganha, chapa gasta. Não dá mesmo. Mas cada um sabe da sua carteira, desde que não me venham pedir nada :D

Bjokas*

sandra disse...

Lamento muito a sua situação! Sei bem o que isso é porque cresci a ouvir os meus dizerem que tinham os salários em atraso (felizmente, eles eram muito orientados e nunca nos faltou o essencial, pois, como a minha mãe dizia, na mesa é que não pode faltar.). Enquanto isso, os administradores das empresas passeavam-se em carros luxuosos e faziam férias no estrangeiro. É revoltante ver que, volvidos tantos anos, continua tudo na mesma. A verdade, é que para uns poucos manterem os seus privilégios, muitos têm que ser escravizados. Espero que arranje uma situação melhor.

Petra disse...

4000? e ainda se queixam?
Isso é mesmo de quem não sabe gerir a vida, e da passadas maiores do que a perna.