sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Isto é o que me calhou na rifa no dia em que me casei

O final do ano foi muito tempestuoso cá por casa. Como sabem os últimos meses não foram fáceis para nós enquanto casal. Mas tínhamos decidido dar uma última oportunidade.

E depois vieram os meus sogros. A história prolonga-se há meses sem o saber, com mentiras e omissões, o que mais detesto num homem.

A minha sogra anda a fazer pressão psicológica no filho há meses tudo baseado no facto de ou o L. vai à terra ou o pai mata-se. Há um ano que não vamos à aldeia porque este ano não tive férias e fins-de-semana não dá.

O L. cheio de remorsos queria que fossemos lá no Natal, porque o pai se ia matar. Quando eu trabalho. O L. disse que ia lá passar o fim-de-semana ou que a própria mãe respondeu “sozinho não vale a pena cá vires”. O burro foi na mesma. Queria que levasse o pequeno no autocarro quando são cerca de 8 horas de viagens e com frio. Depois queria que eu pedisse a semana mesmo correndo o risco de ficar sem emprego. E o filho a alinhar nesta palhaçada. E pronto eu passei-me. Descobri que há meses que ele mente, que está a trabalhar quando não está, etc.

As discussões foram muito feias mesmo. Ele a acusar-me que era insensível. Eu não consigo ter pena. Afinal são eles que dizem que eles não vêem cá, quando são constantemente convidados. Afinal ela é que é uma péssima mãe quando ela devia era proteger o filho dela.


Enfim, tem sido uma situação deprimente. Vamos ver o que 2014 nos reserva, mas não vou admitir tanta intromissão. Eu percebo que ele tenha medo e pena, mas ninguém lhe deveria colocar este peso nos ombros. Mas não podemos mudar a nossa vida por causa de chantagens fáceis. 

23 comentários:

Isa disse...

Isso está difícil por aí... Mas com essas coisas é complicado progredir sem discutir! Esperoque 2014 vos ilumine. E que traga só coisas boas.. Beijinhos

Tsuri disse...

Credo! Essa senhora é uma mãe terrível, já para não falar nesses jogos típicos. Já o sogro deve ter levado uma lavagem cerebral:|
Boa sorte.
Procurem ajuda, sério, para que ele entenda o que se está a passar sem ser "por ti".
beijinho

Tsuri disse...

Credo! Essa senhora é uma mãe terrível, já para não falar nesses jogos típicos. Já o sogro deve ter levado uma lavagem cerebral:|
Boa sorte.
Procurem ajuda, sério, para que ele entenda o que se está a passar sem ser "por ti".
beijinho

Moa disse...

Essa tua sogra não tem a noção do mal q está a fazer? Será q ficam burras com a idade? Porra, que nervos

teardrop disse...

:( Espero que 2014 seja bem melhor e que se consigam entender! Beijinhos querida

Jo disse...

Dina, nem sei que te diga... Não me quero intrometer mas não consigo não comentar... Isso não são coisas que se façam a um filho! Não imagino como o teu marido se anda a sentir. Nem imagino como tu te sentiste ao saber disto. Mas, e desculpa-me que te diga, essa senhora não pode estar bem....

Opinante disse...

Posso imaginar o quanto difícil possa ser porque também vivo longe dos meus pais. Contudo, e apesar de algumas pressões do lado deles, há 5 anos que conseguimos equilibrar as coisas - até porque "só" são 200km que nos distanciam. No entanto, reconheço a dificuldade enquanto casal. E por muito que os meus pais batam o pé, não posso fazer 400km todos os fins-de-semana, porque agora casei, tenho um marido, tenho outra vida e isso não significa que os larguei e sou uma ingrata. Mas também não estou um ano sem os ver, nem pensar. Estou certa que encontrarão um meio termo para resolver essa questão. Deixo apenas a ressalva que nem tudo é tão fácil como parece, para um filho que vive longe. Força Dina e que tudo se resolva pelo melhor.

miadosantos1 disse...

que situação penosa. as chantagens vindas por parte dos pais desesperam qualquer um. não está fácil, não...

Luisa P disse...

Que corra tudo bem!

LEANA disse...

Oh Dina, agora fiquei sem palavras, o que contas é absolutamente surreal...
Espero mesmo que 2014 te traga a Paz que tanto precisas.
Um grande beijinho*

LEANA disse...

Oh Dina, agora fiquei sem palavras, o que contas é absolutamente surreal...
Espero mesmo que 2014 te traga a Paz que tanto precisas.
Um grande beijinho*

i. disse...

Odeio chantagens emocionais. Há algumas inofensivas, mas essas não mo parecem.. :s Espero que tudo corra da melhor forma!

ML disse...

Que confusão triste... :( que 2014 vos traga paz e serenidade. Força!

Beijinho.

Fernanda disse...

Querida Dina, bem me parecia que as coisas não andavam muito bem. Espero que tudo se recomponha. É triste quando alguém que, pela idade, já devia ter maturidade faz chantagens desse tipo. Nós que estamos de fora dizemos que ninguém se mata só porque alguém não corre quando chamamos. É estúpido e infantil. Mas, coloque-se um pouquinho no lugar do filho (eu sei! eu sei que paciência tem limite!). Imagine que ele pensa da mesma forma, é normal que assim pense, mas lá no fundo o medo de que algo possa mesmo acontecer (as pessoas são malucas, são, são!) e os remorsos que possa vir a sentir, o sentir-se culpado por não ter tomado uma decisão que impedisse o acontecimento... Percebe o que quero dizer? Falo-lhe assim porque passei pelo mesmo. A minha mãe fazia esse tipo de chantagem e, embora eu achasse que tal não iria acontecer, a verdade é que o minha angústia era enorme e capitulava muitas vezes, porque era minha mãe e eu não queria viver o resto dos meus dias com esse peso na consciência. É muito difícil, Dina, muito difícil. Tente ir buscar ao mais profundo de si, mais uma dose extra de paciência, vá fazendo ver que essa chantagem é mesmo ridícula mas nunca diga que é impossível. Imagine que o homem é mesmo maluco e o faz? É uma situação delicada minha querida. Desejo-lhe tudo de bom e que 2014 seja mais tranquilo do que o ano que findou, na companhia de todos a quem quer bem. Beijinhos.

Cacau disse...

Não é fácil e acredita que sei o que digo. Um beijinho*

Mrs. BlueBerry disse...

A tua sogra é de fugir mas ele também já é grande para saber dizer não! Ela trata-o como uma criança porque ele deixa.
Conheço casos em que o casamento correu mal por causa dos sogros, nem pais nem filhos souberam qual o seu lugar, espero que a tua história tenha um final mais feliz.

Bom fim-de-semana.

Cris disse...

Maridos "dependentes" eé mau mas mães doentias é um horror... Detroem nossas energias, não vai ser fácil. Pensamento positivo qq q seja a opção.

Andreia disse...

Boa noite, Dina. Na atura do seu aniversário tentei escrever-lhe mas não consegui que o comentário ficasse gravado.
Queria dizer que, sendo muito mais velha que a Dina, tenho aprendido muito consigo e admiro a sua coragem nas adversidades e franqueza para dizer o que sente que tem que ser dito em cada momento.
Sei, pelo que li, que estará à altura de lidar com todas as dificuldades por que tiver que passar.
E, assim, não queria deixar de expressar a minha admiração.

secretasme disse...

Não consigo imaginar sequer como é viver "assim"...dependente dos caprichos de uma sogra...enfim, espero que tudo se resolva pelo melhor e que penses que o mais importante é a TUA felicidade e da do teu filho! um beijo e tudo de bom para 2014!

Dina disse...

Fernanda: eu entendo o peso de consciência em que deve viver, pelo que acho que uma mãe nunca colocaria um filho nesta situação. E não podemos mesmo fazer-lhes a vontade. Eu tb tenho uma mãe que vive longe, totalmente sozinha, com muito mais idade e que nos vem visitar de vez em quando e que nunca me pediu nada.

Andreia: nem sei o que hei-de responder :) um beijinho grande

Cherry Pie disse...

Como te entendo. Os meus sogros e cunhados fazem-me a vidinha no inferno, por vezes que agora vou ignorando cada vez mais. 90% das discussões que tenho com ele são por causa da querida família dele.
Espero que tudo se resolva pelo melhor.
Boa semana

Fernanda disse...

A minha mãe já faleceu, Dina, infelizmente. Fale com calma com o seu marido, diga-lhe que entende o sofrimento que isto lhe deve causar a ele mas que precisa falar seriamente com os pais e fazer-lhes ver que agora tem um filho, uma família, uma vida profissional e mora longe. Que não é dessa forma que mostram gostar e preocupar-se com ele.Pelo contrário...Eu sei que é difícil, ó se sei! Mas porque não o faz a Dina com o consentimento dele? É preciso pôr termo a essa situação que vos está a desgastar enquanto casal, que está a prejudicar alguém (o vosso filho) que precisa de pais presentes e em paz. Se o seu sogro (engraçado, até pensei que a sua sogra vivia sozinha. Com essas manias todas...) faz esse tipo de chantagem, não seria melhor o filho levá-lo a um médico especialista?É que esse tipo de chantagem, se pode acontecer por parte de mulheres, é muito anómalo que aconteça vindo dum homem. Enfim, Dina, que 2014 lhe traga a paz de espírito e a família que deseja e merece. Beijinhos e muuuita paciência, minha querida.
Um "piqueno" àparte: essa sua sogra é dose...safa!(e olhe que eu também sou sogra...e o meu filho também está longe. Mas o que eu e o pai queremos é que ele seja muito feliz, com a mulher que "ele" escolheu.Isso chega para nos dar tranquilidade e felicidade. Se eu gosto dela? Por acaso até gosto. Mas se não gostasse, o problema era meu, porque não é comigo que ela tem de viver).

Erica Oliveira disse...

Nossa, que difícil.
Lembrem-se dos momentos bons que já tiveram e sejam sempre sinceros com o outro.
Conversar é sempre a melhor saída e tenham paciência.
Muita força, saúde e amor.
Valorizem o relacionamento de vcs.

Beijinhos e sucesso.
:)

http://cariocaemportugal.blogspot.pt/