sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Da nossa vida, pelos outros


Há quem viva a felicidade através dos outros. Ou antes: há quem meda a sua felicidade de acordo com a desgraça dos outros.

Conheço cada vez mais pessoas assim. Não sei se se revelam mais agora que a “crise” tem trazido algumas contenções.

Deveríamos conseguir ser feliz por aquilo que nós conseguimos alcançar, per si. Julgar o que temos, comparando com o que os outros têm é deprimente. O exponente máximo deste modo de vida é a mulher do melhor amigo do marido. Odeia a sua casa porque é velha mas afinal porque algumas amigas vivem em casas piores, afinal até gosta muito da sua casa maravilhosa. O carro deles é velho e não servia até outro casal amigo ter tido um carro ainda mais velho.

Há gente que só está bem se estiver melhor que os outros. Acho isso tão pouco saudável. Temos que saber encontrar o nosso bem-estar em nós e nas nossas coisas. Devemo-nos alegrar com a felicidade dos outros. E se temos aquela inveja saudável ao olhar para o que é dos outros, devemos pegar nessa inveja e convertê-la em força e motivação para alcançar algo semelhante para nós.

Comentários como «eles eram uma família que tinha tudo mas afinal também não são felizes» ditos com um ar de satisfação, cria em mim instintos assassinos.

Devíamos tanto lutar pelos nossos e pelo que é nosso e olhar menos para a casa da vizinha. A felicidade está ali tão perto e muitas vezes nem olhamos para ela, tão concentrados que nós estamos na felicidade dos outros. 

8 comentários:

Opinante disse...

Aqui está uma bela reflexão :D

Bom fim-de-semana querida e felicidades :)

O carteira vazia disse...

olha gostei mesmo do teu blog e fiquei seguidor! abraço

http://ocarteiravazia.blogspot.pt /

O carteira vazia disse...

nao é por nada que se diz que a felicidade se contagia ;)

http://ocarteiravazia.blogspot.pt /

Isa disse...

Isso sem dúvida! Devemos ser/estar felizes ou tristes por nós e não porque os outros estão piores! Isso é um pouco doentio...

szofi disse...

Li este teu comentário e identifiquei-me imenso com a tua maneira de pensar. Infelizmente também tenho notado que cada vez mais (será a crise, como dizes?) as pessoas medem a sua felicidade pelos bens materiais e pela comparação com os bens materiais dos outros. Isso é ainda mais triste quando se tratam de amigos (será que ainda se pode considerar amizade?). É com pesar que digo que tenho pelo menos uma amiga que se tornou uma pessoa amarga com o sucesso dos outros, e que claramente fica feliz com a desgraça que ocorre na vida dos que têm mais sucesso do que ela, da mesma forma que fica devastada e irritada quando alguém tem mais do que ela, seja uma bolsa, um carro, uma viagem ou um simples jantar. Para mim é uma atitude que nao consigo compreender, e por isso sinto que os nossos caminhos se vão acabar por afastar.

Nokas* disse...

Sabes o que é estranho? É que eu conheço pessoas assim, ao ler o teu texto consegui rever tantas caras. Eu gostava de pensar que há poucas pessoas assim neste mundo mas infelizmente o número de pessoas que só vivem bem com a infelicidade dos outros, afinal, é bem maior do que aquilo que eu pensava.

Jo disse...

Concordo...!

Boboquinha disse...

Hi... conheci alguém que fazia esses comentários. Como se felicidade viesse associada com muitos bens materiais e como se a constatação de infelicidade a pesar dos muitos bens materiais os tornasse mais felizes. Como se fosse justo e equilibrado.

A culpa também é um pouco das histórias de cinema, tv, porque alguma vez viste um rico que fosse feliz e não corrupto ou sacana na TV? Pobre sim, têm corações de ouro mas não o rico. Será mesmo verdadeiro isso?

No caso que relatas se calhar essa pessoa ao constatar que existe quem viva pior que ela esteja realmente a valorizar o que tem. O portugues é um pouco pessimista e insatisfeito e tem sim a mania de querer se sentir melhor e superior aos que os cercam em termos de posses e status social. Eu não entendo isso pois garanto que nunca fiquei senão feliz com a felicidade alheia. Se as pessoas estão felizes, eu fico feliz também. Se estão miseráveis aquilo também "gruda" e é um horror...