quarta-feira, 12 de junho de 2013

E é assim que os criamos

Há pessoas que continuam a espantar-me com as suas prioridades. Sim, cada um vive a sua vida à sua maneira. Mas às vezes olho para as escolhas de certa gente e fico de boca aberta.

Há gente que andou um ano inteiro a comentar comigo que criar um filho é muito caro. E eu bem sei que é: desde que somos 3, que os fins de mês são assim para o apertado. Mas passei 12 meses a ouvir: será que posso dar papa do Pingo Doce, porque a papa de marca é extremamente cara? Ai que já não vou levar a pequena ao pediatra porque 70€ por uma consulta é impensável. Nunca mais o cachopo faz um ano para beber leite de vaca que o leite de lata tem preços exorbitantes, e mais versos da mesma canção.

Mas chega a festa do primeiro aniversário e os pequenos tem direito a festas de príncipes. Afinal não há dinheiro e poupa-se em cuidados de saúde, na alimentação, na segurança, mas depois há dinheiro para se alugar salas, gastar 100€ num único bolo de anos, organizar um banquete, etc.

Não, não é discurso de ressabiada. Organizei a festa de anos que sonhei, sem ser necessário gastar uma pequena fortuna. Assusta-me os valores que a sociedade está a incutir aos mais novos. Fala-se tanto da crise, mas parece que por vezes só não há dinheiro para aquilo que não fica na fotografia, porque para o que o vizinho vê, há sempre: para o carro de marca, para as novas peças de vestuário de marca, para a festa de arromba, etc.

14 comentários:

Moa disse...

Verdade Dina, tb vejo muito isso...só vivem para as aparências! Enfim...

*C*inderela disse...

É mesmo, o que conta é o que fica na foto para mostrar aos outros! Poupa-se no essencial para mostrar o acessório (em relação a tudo).
As pessoas (crianças e adultos) não podem é poupar na alimentação e saúde, o essencial. As crianças, tal como nós, não precisam de ter coisas de marca xpto, precisam é de amor e atenção. Hoje em dia há tanta coisa em conta e de boa qualidade, temos muito mais opções que há uns anos atrás. O problema será sempre o querer ostentar coisas.

Bjokas.

Jo disse...

Dina, puseste em palavras tal e qual aquilo que penso. Claro que há casos complicados, onde o dinheiro escasseia mesmo, e as coisas mais básicas são tidas a custo e dentro do indispensável e possível. Mas há outras situações - e tantas! - como a que aqui descreves onde se nota claramente uma completa alteração daquilo que deveria ser prioritário. Esta mania do querer parecer o que não se é, de querer parecer ter o que não se tem é das coisas que mais me irrita. Mas porquê senhores?! Qual a necessidade?! Privar um filho de cuidados básicos para lhe poder organizar uma festa de arromba? Pois, também não encaixa na minha forma de pensar.

refugiomadeirense disse...

Há pessoas com as prioridades trocadas..

D. disse...

Concordo plenamente. Há coisas que não se entendem.

Mamã Apuros disse...

Como te entendo, também me faz imensa confusão as coisas que vejo por ai. O que interessa é gastar dinheiro naquilo que se pode mostrar aos outros. O resto que muitas vezes é essencial, que se lixe. Ainda só tenho o Tomás há quase 2 meses e só as despesas em saude que já tenho com ele... Mas que se lixe, na saúde e bem estar dele não vou cortar nunca, só mesmo se a coisa ficar muito feia. E mesmo assim ei de tentar arranjar-me por onde der. bjoca

Marisa disse...

Tens razão, tenho uns amigos q estão sempre a queixar-se de falta de dinheiro, que quase passam fome e depois só compram fraldas e toalhitas p bebé da Dodot, pqe n sabem se ela se dá c outras :-O e agora vão fazer-lhe um mega batizado. O dinheiro n chega p tudo, é um facto, mas há q definir prioridades e o q é realmente importante.

Bjs

me disse...

Clap clap clap! Muito bem dito. Tb apercebo-me do mesmo. Queixam-se de td e mais alguma coisa e dp ele é festas de arromba. Tb não percebo, mas lá está cada um define as suas prioridades mas podiam era queixarem-se menos. Bjs

ML disse...

Há coisas que nunca vou perceber.

Esse "viver" de aparências transcende-me mas há cada vez mais casos...

ele é férias... casamentos... viagens... aniversários... todo para as fotos e para a aparência..

Dona Ju disse...

Infelizmente há pais que gostam de apresentar mesa cheia numa festa e passar fome no resto do ano. Não percebo o porque é que é importante ter um bolo de 100€ como dizes, cheio de bonecos e rebicoques. Depois queixam-se que somos uma sociedade de máscaras.

Há prioridades sim e cada um tem as definir que ninguém vai fazer por eles.

Beijocas

Isa disse...

Pois é verdade! E quando sabemos que essas pessoas andam mesmo à rasca de dinheiro?

Petra disse...

Gente com necessidade de mostrar ora...
Dar leite de lata e ir ao médico com a criança não é tido como uma cena benzoca.
Já um festarrão é muiiiito a frente e mostra muita classe.
Já agora bolo de 100 euros? dassss...
E criatividade para o fazer em casa por muito menos de metade do dinheiro?....

Maria João disse...

A nossa realidade é que cada vez mais esta, existe gente com as prioridades todas baralhadas.

Também acredito e vejo pelo meu núcleo de amigos, que as pessoas se habituarem a queixar da vida. Quantos, mas quantos casais, tudo dariam para terem a vida de muitos daqueles que tento se queixam e por vezes de barriga cheia e quando falo em barriga cheia, não falo de grandes vidas, não, falo de chegar ao fim do mês com uns euros na carteira, porque a realidade, cada vez mais, é que muitos são os que a meio do mês já não têm dinheiro nenhum, esses sim, têm razão para se queixarem!

Está na massa do Tuga. Quase todos os dias os dias quando perguntamos a alguém se está tudo bem, qual a resposta mais ouvida???

- Vai-se indo...

Vai-se indo? O que é isso? Temos saúde, temos casa, temos filhos maravilhosos, só temos que ESTAR BEM!

Bjs,
MJ

PS: desculpa o tamanho do comentário, mas este assunto, revolta-me as entranhas.
Estou farta de ouvir toda a gente a queixar-se…

amigos das onze horas disse...

não há dúvida que ha muita gente com as prioridades trocadas!
beijinhos