quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Parar num capítulo encerrado


Há sempre duas formas de ver a vida e as coisas boas ou más que nos acontecem. E nem sempre a postura mais fácil é aquela que nos deixa mais felizes.

O divórcio marca uma mudança de vida. Há casais que andam a lutar anos e anos, que se magoam constantemente e vivem infelizes até culminar no divórcio oficial. Por isso a assinatura do papel deveria ser um alívio, pelo menos. Mas há pessoas tão azedas que continuam a fazer a vida negra ao outro (de quem só deveriam querer distância e paz), não deixando que cada um siga o seu caminho. É absurdo. E então quando há filhos à mistura é degradante ver alguns jogos sujos.

E há outro fenómeno estranho que não consigo perceber. A maioria das mulheres que se divorciam ganham uma nova beleza: perdem peso, mudam de estilo, cuidam do cabelo, maquilham-se. Apesar de algumas fazerem-no por fazer inveja ao ex-marido, é sempre bom renascer das cinzas. Ganhar um novo fôlego para uma nova vida, mas é como se durante anos vivessem esquecidas de si mesmas. Ou então durante antes esqueceram-se que o homem que estava ao seu lado precisava de uma mulher que cuidasse mais de si e não se desleixasse tanto...

9 comentários:

Sónia disse...

Penso que andam tão atarefadas nas coisas do dia a dia que se esquecem de si. Aprendem com os erros, e não querem voltar a deixar-se ficar para trás!

Karina sem acento disse...

Eu concordo contigo mas muitas vezes essas mulheres que se divorciam e ganham uma nova beleza também o fazem por uma questão de auto-estima, para mudarem, e até para servir como "marcação" de uma nova fase da sua vida.

Opinante disse...

Depois de se divorciarem já têm tempo para pensar nelas... não acho normal este renascer das cinzas, há muitas que pensam que depois do divórcio têm 20 anos e andam com a piii aos saltos!

Tudo tem o seu tempo, e há que ter cuidado com os desleixos, acho eu...

Su disse...

Essa constatação - de que as mulheres se cuidam mais depois do divórcio e que se deveriam ter cuidado antes - é comum e terá o seu quê de verdade.
No entanto, coloca o ónus da separação na mulher. O casamento falhou porque ela não se dedicou o suficiente ao homem. Mas não poderá ser o contrário? A mulher já não se cuidava porque já não lhe apetecia fazê-lo para aquele homem, porque ele já não o (a) merecia. A mulher já tinha perdido a energia para salvar o casamento e, em consequência, para se cuidar.
Como dizem na RFM, "vale a pena pensar nisto..."

Guinhas disse...

Exactanebte é importante percebermos que o casamento não é garantia nem perdermos a nossa individualidade.É importante sentirmos nos bem e cuidarmos nos SEMPRE!!

Vicky disse...

Não entendo as mulheres que se desleixam só porque são casadas ou vivem juntas! Eu sou vaidosa assumida e independentemente da relação que esteja ou não esteja serei sempre assim!

Dina disse...

Su: compreendo perfeitamente o que dizes. Por acaso há bastante homens que se desleixam e ninguém os culpa de nada. Cada relação é única e não acredito que haja um único culpado para o fim de uma relação. Mas no geral, é um facto que muitas mulheres assumem como garantido aquele homem, e que se esuqecem que devem conquistá-lo diariamente

Petra disse...

Cada caso é um caso.

Verita disse...

Bem, eu concordo e conheço casos de mulheres que se divorciaram e desde aí começa o ginásio, salão de beleza, grande produção...estranho!! Acho que tem mais a ver com mostrar ao ex que está por cima do que com auto-estima!!
Também me surpreende outro fenómeno, é que passamos do 8 para o 80. Se antigamente as mulheres eram sacos de pancada dos maridos e aguentavam tudo sem piar, passámos para uma realidade em que ninguém está para aturar nada, não há cedências e à primeira discussão pede-se o divórcio, num casamento que nem chega aos seis meses!!