terça-feira, 13 de novembro de 2012

Desabafo


O homem lá de casa está chateado. Quanto me irrita ele fazer asneira e depois ficar amuado, fazendo-se de vítima.

Está há uma semana em casa a gozar licença de paternidade. Está sempre a dizer que é muito cansativo, que mais valia estar a trabalhar. Cansado de fazer sopa e dar de comer ao pequeno?

Pois, estou aqui pelos cabelos porque não faz mais nada. Não arruma nada, tira os móveis do sítio para fazer ginástica e deixa-os fora do sítio e sou eu que os arrumos todos os dias à noite. Sou eu que faço jantar, faço almoços, dou banho ao pequeno, lhe dou o jantar, passo a ferro, faço o grosso das limpezas, me levanto de manhã a tratar do pequeno para ele dormir mais. Ontem nem foi capaz de passar duas peças de roupa do pequeno que não estavam secas no domingo e que eu não passei a ferro. Não pode ir às compras.E está sempre a queixar-se que está cansado. Quando dorme até às 11h todos os dias.

Ontem tive o azar de lhe dizer calmamente «não arrumastes nada» e foi como se o tivesse insultado. Porra. Mas a sala parecia um campo de batalha e nem a loiça tinha lavado. Só disse a verdade. Ontem estava cheia de dores e nem o jantar ele foi capaz de fazer. Nem quero imaginar quando estivermos os dois a trabalhar então aí vou transformar-me numa verdadeira escrava. E ao menino não se pode dizer nada que amua. Raiva!

42 comentários:

anf disse...

Este texto podia ser meu, muitas vezes acontece-me o que descreveste aqui.
beijinho Dina e sim, não te querendo angustiar, mas vai ser mais complicado quando começarem os doisa trabalhar mas não há nada que não se resolva.

Maria João disse...

Ui, isso não está nada fácil por aí!!!

Se queres um conselho de uma mãe que já tem dois filhos e um marido que também não era grande ajudante, põe agora os pés contra a parede enquanto podes.

Quando perguntar por esta ou aquela peça de roupa, está para passar, não tiveste tempo, quando perguntar pelo jantar, responde come qualquer coisa que hoje não tive tempo e por aí fora. Não lhe digas para fazer pois eles não gostam de ser mandados, diz antes, podes fazer o favor de me fazer isto ou a quilo? Vais ver que assim vai resultar.

beijinhos e que tudo te corra pelo melhor!!!

Diana disse...

dina,
na sequência de um post que fizeste há uns tempos, andava a questionar-me como andaria tudo por aí. já vi que continua péssimo...

respondendo a um teu outro post anterior, já percebes porque é que depois há mulheres que se desleixam para para o marido? porque ele simplesmente não merece com essas atitudes lol

é quando este tipo de atitudes se transforma na regra e não na excepção ocasional (muito ocasionalzita, que não há cá pão para malucos). é quando esse tipo de postura se torna uma opção de vida por parte do macho lá de casa... é quando o lado bom depois já não compensa estas merdas, e nem tu consegues ver o lado bom já.

é triste, mas é infelizmente a escolha dele. infelizmente tudo isso me é por demais familiar.

Opinante disse...

Eu percebo a tua raiva... tenta falar bem com ele e fazer-lhe ver o teu lado :S

Moa disse...

Ai, ai está mal habituado! Tens mesmo de te chatear!

lucia100 disse...

Este texto podia ser meu, lá em casa é igual. Se lhe peço para fazer qualquer coisa diz que lhe estou a dar ordens e que eu não mando nele, irra não há paciencia! Nao faz e não deixa fazer, não quer ser incomodade. O filho de 5 anos já diz que ele só está no sofá e computador o dia todo.
Já estou na fase de não me importar, deixa andar qualquer dia a indeferencia é tão grande que já não custa a separação. Desculpa o desabafo mas é mesmo um desilução tão grande ver em que se transformam estes merdas de homens, não servem para nada!!

Miss Shoes disse...

Mas estamos no século 16 ou quê?! Isso acontecia na geração dos meus pais e já nessa altura era inaceitável! Era o que mais faltava! Ainda por cima quando os 2 trabalham, os putos são para tomar conta pelos dois! Olha olha... Toca a meter o rapazinho na ordem que o tempo das mulheres fazerem ponto cruz com o bebé ao colo e os homens irem para o bar curtir já passou! Filho dos dois, trabalho para os dois! Força nas canetas e não vaciles!

Me disse...

Oh minha querida, não interpretes mal o que te vou dizer, mas está muita coisa errada neste filme e a responsável és tu, porque tu é que permites que ele se comporte desta forma... As atitudes que descreveste são do tempo das cavernas. Nem o meu avô teria semelhante comportamento, quanto mais o meu marido.

Aconselho-te a terem uma conversa (conversa e não discussão) porque esta forma de convivência não é sustentável ad eternum...

Um beijo enorme

Raquel A. disse...

Percebo-te perfeitamente. O meu homem é igual... Nem a loiça que suja ele põe na máquina. Nem quero imaginar quando tivermos filhos...

**

Diana disse...

DN

não quero insistir na mesma tecla mas tem uma conversa com ele, dá um murro na mesa e dá um basta. muda a tua atitude, ou ele muda ou mudas tu!

não se resolve deixando andar, o tempo não ajuda em nada, só aumenta o teu ressentimento e o sentimento dele de que se continuar assim vai continuar a resultar (para ele se safar às responsabilidades), não é uma fase, não passa sozinha.

um conselho: lê o blog da maça de eva, os posts, os consultórios, vais-te reconhecer nalguns (a tua situação, frustração, etc) oucve bem os conselhos dela.
depois ouve a hora do sexo com o quintino aires (antena 3, podes ouvir online, alguns que falam sobre este tema tb te vão ajudar). abre os olhos. não continues por esse caminho que acaba mal.

QUE FIQUE MUITO CLARO: não é ele que vai mudar ÉS TU E A TUA ATITUDE!

Martinha disse...

De certeza que não és casada com o meu marido? Depois isto é uma bola de neve, tu ficas triste, deixas de fazer algumas coisas, ele depois fica triste, enfim. Mas nos é que somos as bruxas. Beijca honey

Saltos Altos Vermelhos disse...

Dinaaaaaaaaaaa! LOLOLOL o teu é irmão do meu? LOL

Denise disse...

Como te percebo, apesar de não ser casada nem viver com o meu namorado. Mas era capaz de dar em doida só de imaginar algo assim.

Em casa dos meus pais é mais ou menos assim com o meu irmão, que não faz nada de nada. Quando eu digo alguma coisa, a minha mãe ainda resmunga comigo.

Bem, não tenho experiência mas penso que talvez te devas impor já de início, senão ele habitua-se.

bjinho e força!

Cookie disse...

Cá entre nós, estou super curiosa para saber como vai ser quando for o meu marido a ficar em casa. É certo que só vão ser 2 semanas... Mas sempre estou para ver qual vai ser a postura...
Quanto a ti, tem paciência e determinação. Não te esqueças que os homens são um pouco como as crianças, os resultados são sempre melhores se os conseguimos "levar a bem" :-)

Dina disse...

Cookie: pois, por isso mesmo que falei num tom neutro e calmo enquanto comecei pacificamente a arrumar. mas saltou-lhe logo a tampa

(entre)saias disse...

força, parece eu em relação ao meu pai... a casa é arrumada mais que uma vez por dia, infelizmente não consigo estar fora mais que um dia pq qd chego th sempre a casa de pantanas... mas o meu dilema e varias vezes ao dia. perco horas a arrumar a casa toda p qd ele lhe apetece deixa sempre td sujo.
já perguntei s eu era a criada da casa.. enfim

Cláudia disse...

Este é o tipo de atitude que eu não compreendo como se aguenta.

Tenho a felicidade de ter um companheiro que me ajuda em tudo, incluindo tarefas domésticas. Muitas foram as vezes em que cheguei a casa e tinha tudo limpo e arrumado e para mim só assim faz sentido. Quando a partilha se alarga a muito mais do que os lençois.

No teu caso concreto, eu não admitiria sequer a opção do amuo. Teria que ser uma conversa com todos os pontos nos i's. Muito clara. Como alguém disse e muito bem, se começas a relevar agora no ínicio nunca mais consegues ter vida própria.

Não sei a idade do teu marido, mas fazendo a estimativa por alto, ele não vem de uma geração que tenha desculpa para ter esse tipo de comportamento.

Dina disse...

Me: Eu compreendo o que dizes. E eu já o mudei bastante. A culpa são dos pais que educam filhos homens assim. Não hei-de cometer este erro com o S. Posso tentar mais conversas. Ele muda mas volta ao mesmo

Dina disse...

Diana: Obrigada! Acredita que já desisti de o mudar porque a verdade é que não mudamos as pessoas. Mas já nem sei o que dizer...

Me disse...

Dina, nisso tens toda a razão. O "mal" já vem de trás. Não foste tu que o "deseducaste", ele é que não veio educado. Thank God que a minha sogra é uma pessoa 5 estrelas que além de o ter educado bem, ainda hoje lhe dá nas orelhas se o vê ter um comportamento menos correcto. Mas tens mesmo de ir insistindo, senão estás tramada.

Um beijino

Diana disse...

dina, sei que estou a ser extremente dura contigo mas é para ver se acordas e porque me custa muitissimo ver-te na mesma situação em que eu estive. sou dura, porque me doi muito (perdoa-me). cá vai:

infelizmente quanto mais calma e submissa vais falar com ele mais ele pisa, responde torto, grita!... quanto mais melindrada ficas mais ele abusa. conheço bem a situação.

esquece os pais e a conversa da treta da educação que lhe foi dada É UMA OPÇÃO DELE SER ASSIM
pode ter tido a educação que teve mas ele é adulto e faz a escolha consciente de te transformar na sua mãe/ empregada.

a culpa / responsabilidade da situação presente é tua porque não te sentes bem mas aceitas. ele não vai mudar. falas com ele e dizes ou mudas ou ponho as malas à porta. escolhe.

ou não, sujeitas-te a viver assim a vida toda. são opções. eu não consegui. e agora sou feliz.
e sim, sou das tais que perdeu 20 kgs no ano após o divorcio... é a vida!

Miss Star Pink disse...

Querida, o meu e o teu devem ser familiares. Nem quero pensar como vai ser qdo tivermos filhos.

Beijocas e força

Maria disse...

Aiiiiiii...que assim não pode ser!!!! Então??? Tem que começar ajudar e rápido! Tu precisas...Bjo grande

Dina disse...

Claúdia: Ele tem 30 anos. Nascido e criado numa aldeia transmontana. Filho único. Em que a mãe, ainda hoje, não deixa fazer nada em casa e faz-lhe a cabeça se ele fizer alguma coisa como levantar a mesa, etc. Porque isso é comigo. Ele não é tão radical. E já ajuda bastante (nas fases boas). Mas há outras em que não faz nada e tenho que estar sempre em cima dele.

Maria Pitufa disse...

Eu não quero ser má... mas quando comecei a viver com o Homem Mais Sortudo do Planeta ele não fazia nada em casa... mas nada mesmo. Habituado a que mãe e a avó lhe fizessem tudo! Ou seja, o menino estava em casa tomava banho e avó depois ia arrumar a casa de banho e apanhar a roupa...enquanto estudantes vivia numa casa so de homens e tinham um senhora que lá fazer limpezas, ao fim de semana levava a roupa para casa e a mãe e a avó tratavam de tudo! Pois..foi uma dura e árdua batalha, cheguei a fazer coisas inacreditáveis,parecia que estava sempre a castigar um miúdo! Depois de uns anos em que era uma luta diária chegamos à fase do ou mudas ou eu mudo de casa! Hoje em dia tenho muita sorte..ele lá percebeu que éramos 2 a sujar somos dois a limpar! Ainda hoje escrevi pela sorte que tenho porque em dia que chego às 23h a casa ele deixa-m uma sopa feita... pode não estender a roupa da melhor maneira, mas estende... e assim sucessivamente!

Fernanda disse...

Bom dia,

Parece a fotocópia do meu marido.
E já vão 17 anos de casamento e não muda...

Bjs
Fernanda

Petra disse...

Sou da opinião de que um marido quando da tanto ou mais trabalho que uma criança e não assume o trabalho de casa como uma partilha de dois seres que trabalham fora de portas... que se trata de egoísmo.
É certo querida que a educação vem influencia, aprendemos muito por modelagem, e somos um animal de hábitos.
Contudo a existe também a capacideade de mudar, de ceder, de nos colocarmos no lugar do outro.
beijo e espero que seja só uma fase.

Soinita disse...

Sabes o que costumo dizer? Ser pai não é difícil. Difícil é ser mãe!
Sei que é complicado, pois às vezes também tenho alguns episódios destes (e eu tenho 2 babies), mas a nossa atitude perante isso tem que ser muitas vezes do tipo: se quiseres algo faz tu.

Beijinhos

Marisa disse...

Peço desculpa pela minha pergunta, e não quero de forma alguma ofender ninguem, mas partindo do principio que já sabia que o marido era assim, como tem coragem para ter filhos, sabendo que ele não colabora em nada. É que não acho nada saudavel ter filhos e educado-los num mau ambiente familiar.

Vee disse...

Se não gosta de fazer tem bom remédio, paga a uma empregada para fazer a parte dele porque enfim... estar o dia todo em casa (mesmo com um bebé), desarrumar e depois de um dia de trabalho ainda teres de ir arrumar tudo e fazeres as tarefas domésticas é estar a abusar um bocado. Com conversas também não acho que se vá lá, eu redefini prioridades e se por ter de tratar de alguma coisa, ou estar cansada, não fizer o jantar então tem de se virar sozinho, se preciso de ajuda de manhã tem de se levantar. É assim...tive de me pôr à frente de algumas cedências que costumava fazer.

Fernanda disse...

Ó Dina, o seu marido deve ser filho (filho, disse bem) do meu!É tal e qual! No início também eu tentei levar a bem. Também dava uma de macho, se o chamava à atenção, etc e coisa. Agora, volta na volta, quando me sobe o gás à cabeça,é tal o "berreiro" que faço que ele faz tudinho, sem tugir nem mugir. Não dura muito tempo (lá está, foi muito tempo a deixar correr...) e vai tentando "descansar". Mas só até à próxima... Quando pede as coisas cheio de autoridade, recebe como resposta: diz-me lá em que parte da certidão de casamento está referido que essa tarefa é da minha responsabilidade? Não encontras? Azar, faz tu!Seja paciente, mas não deixe abusar! Jinhos.

verniz escarlate disse...

o meu tb deve ser alergico ao fairy. A loiça fica sempre é certinho. Mesmo quando chego a casa as dez e meia da noite, após uma jornada de 14h de trabalho Nem preciso olhar para a cozinha para saber o que me espera!

Pipita de Chocolate disse...

Dina, infelizmente a Diana tem muita razão. Já disse várias vezes que revejo no teu marido alguns comportamentos do meu. Não é nada fácil. São namoros muito longos, muitos anos de convívio em que deixa de haver certos cuidados e preocupações. Já estamos garantidas. Mas vai chegar o dia em que te vais fartar e vais deixar claro que não vais tolerar mais isso, que mereces melhor, mais apreço e consideração. Se ele quiser ajudar ajuda, tem dois olhos na cara e sabe que as coisas não aparecem feitas sozinhas. E ainda por cima gritar e ser intolerante. Nós vamos fechando os olhos (e os ouvidos) mas o nosso subconsciente questiona-se... Há os momentos bons, que os há, mas chega um ponto em que só te lembras dos maus. E na verdade, quem quer caminhar na vida como se estivesse a andar sobre ovos?!

Olha o meu mesmo assim está muito melhor em certas coisas, mas grosso modo eu faço TUDO em casa.

Se precisares de desabafar, penso que moramos perto e estou à disposição.

Um beijinho grande

Dina disse...

Pipita; Obrigada querida :)

Marisa: acho que não há ambientes familiares perfeitos. E são fases. Por exemplo quando não pude fazer nada porque estava de baixa de risco, ele assugurava melhor ou pior tudo em casa. mas mal eu possa assegurar as coisas ele desleixa-se.

Jo disse...

Não tenho nenhum conselho que te possa dar, não sou casada, nem se quer vivo com o meu namorado, portanto qualquer coisa que te dissesse seria sempre falar sem conhecimento de causa. Mas não posso deixar de desejar que consigas alterar essa situação rapidamente! que consigam conversar e chegar a um consenso, perceberem os dois que assim não dá, que ele perceba que tem mesmo que mudar, que tem que partilhar as responsabilidades. Um grande beijinho para ti!

Guinhas disse...

Isso passa lhe mas ele tem de entender que tem de ajudar..

Scarlet_Perry disse...

Quanto mais cedo o chamares á atenção melhor!E pode ser com 2 berros bem dados ou com uma conversa franca!Mas não deixes passar em branco!
Os homens vão até onde os deixamos...

MyEvoll disse...

como compreendo, que eu queixo-me exactamente do mesmo, mas por vezes temos de fazer pé firme e "obrigá-los" a arrumar o que desarrumam. tudo de bom
Fernanda
myevoll.blogspot.com

O Sexo e a Idade disse...

Não o ponhas na ordem rapidinho, não...

Bijoux da isa disse...

olá, encontrei hoje o teu blog e estou a gostar de o ler :)
Quanto a homens e arrumações, no geral é um problema que assiste, infelizmente... no meu caso, tb é por fases, mas nunca tem fases de não fazer nada mesmo, apenas fases de se desleixar mais um pouco... com o nascimento do nosso bebe, eu fiquei desempregada e estando mais em casa, fazia mais tarefas dele, porque me sentia que precisava de ajudar mais visto q estava todo o tempo em casa (embora com o pequenote todo o dia), erro meu, e se calhar tb fizeste o mesmo...quando voltei ao activo, graças a Deus 1 ano depois arranjei trabalho, já ele estava desleixado mas em meses entrou mais ou menos nos eixos.. mas disseste uma grande verdade, não há ambientes familiares perfeitos para se ter um bebe, nem alturas certas pk a vida é mesmo assim, de um momento para o outro tudo muda, e sinto que ambos queremos o melhor para o nosso filho e por isso o ambiente é sempre o melhor que podemos lhe dar :)
Força e tenta levar as coisas a bem, quando estiveres a fazer o jantar pede-lhe para ajudar a meter a mesa, a estender a mesa etc... cooperar ;) beijinhos

Verita disse...

Dina,
concordo com algumas das coisas ditas, outras nem tanto!!
É verdade que não há relacionamentos nem pessoas perfeitas. O pacote vem completo, com virtudes e defeitos.
Também concordo que há influência da educação. O meu marido também foi muito mal habituado pela minha sogra e lembro-me bem de no início ele pedir para eu o servir, porque "era assim lá em casa".

Agora, é muito fácil falar, mas as pessoas e os seus hábitos não mudam de um dia para o outro. Vou dar-te o meu exemplo: eu nunca tive de cozinhar em casa dos meus pais e não me lembro propriamente da minha mãe me ensinar a fazê-lo. Fui experimantando, descobrindo e desenrascando-me. Quando o meu marido foi para a Suiça também teve de ser desenrrascar e até descobriu que gostava de cozinhar ;) nunca tinha feito nada na cozinha!!
Agora voltámos a viver juntos à 2 meses atrás e eu já me tinha esquecido daqueles hábitos que muitos (não todos) homens têm e que me dão a volta ao miolo...mas sabes que mais? O que está resultar comigo é: metes a roupa no chão, pois ela vai lá ficar até a apanhares! Deixas a lata de cerveja em cima da mesinha? sai de lá quando te deres ao trabalho de a pores no lixo, e por aí fora!!
Eu neste momento não estou a trabalhar e por esse motivo faço as tararefas domésticas, é o minimo, mas daí a ser empregada de gente preguiçosa é demais...
acho que já me fiz entender e espero ter ajudado :)

Muitos beijinhos!!

Sapato 42 disse...

Tenho medo, tenho mesmo... Ser solteira ou casar? Não sei se conseguia viver e ter de suportar estas coisas.... e tenho medo que o não consiga mesmo

www.sapato42.blog.pt