terça-feira, 20 de março de 2012

Viagem sem destino


Aprendi a viver menos obcecada com o destino e a dar mais valor com a viagem que tenho que percorrer até lá. Preocupamo-nos demasiado com o fim final e inconscientemente deixamos de aproveitar grandes momentos que poderiam dar-nos tanto prazer ou mais do que o destino final.

Queremos atingir a felicidade máxima (que cada um idealiza à sua maneira) para depois não aproveitar os pequenos momentos fantásticos que a vida nos proporciona. Vivemos frustrados a pensar naquele emprego de sonho e deixamos de aprender e de estar abertos a novas oportunidades que poderiam fazer-nos crescer tanto e ajudar a alcançar os nossos sonhos. Vivemos obcecados em casar e em conseguir engravidar que depois deixamos de aproveitar naturalmente momentos de prazer a dois...

Claro que temos que lutar para alcançar os nossos sonhos, mas não nos podemos fechar à vida, o que muitas vezes acontece. Temos que estar atentos e abertos ao que nos rodeia, porque, por vezes, nem sempre o que idealizamos é o melhor para nós nem o que nos faz mais feliz, só que nós não o sabemos. A vida é curta e infelizmente nem sempre alcançamos as nossas metas (aquela casa de campo com piscina, aquele emprego de topo, etc.), por isso há que aprender a ser feliz com o que se tem diariamente. Esta atitude não é pessimismo ou conformismo. É saber viver e aproveitar o momento.

18 comentários:

*C*inderela disse...

concordo contigo, mais uma vez :) às vezes nem reparamos nas coisas boas que temos porque vivemos obsecadoss com mais e melhor!

bjokas

Miss L. disse...

Assino por baixo!

Bjoka

Opinante disse...

É verdade, a vida é curta demais para andarmos constantemente preocupados com o futuro...

Marabunta & Framboesa disse...

Eu sou tão feliz no dia-a-dia que nem penso no destino... Aliás penso que já cheguei ao destino :) só me quero manter por cá durante muuuuito tempo! eheheh

Ana disse...

Já respondi no blog, mas podes não ver... São 17.95€ as sabrinas :)

Beijinho, querida :)

Boa semana!

MissBlueEyes disse...

Eu penso exactamente assim. Quando me dizem, ai que desgraça estares desempregada nesta altura, eu só respondo que desgraça é não ter saúde, que o resto tudo se arranja.

Aproveito melhor os meus dias, faço coisas que quando começar a trabalhar não vou poder, por isso deixa-me aproveitar e esperar que estes dias bons terminem logo... :)

Moa disse...

é BEM VERDADE! às vezes esquecemo-nos de dar valor às pequenas coisas...que até costumam ser as melhores!

Miss Pipeta disse...

Acabei de conhecer o blog. Gostei :) parabéns... vou acompanhar.

Lua disse...

Concordo plenamente contigo! Muitas vezes vivemos a pensar no que queremos de melhor, que nos esquecemos de ver o que de bonito e bom está em nosso redor. Devíamos aproveitar mais o hoje, o que temos agora, e deixar um pouco de lado o amanhã.

Beijinho ♥♥

Hermione disse...

este texto podia ser meu. adorei e sou exatamente assim

Pipita de Chocolate disse...

Gosto de passar aqui, sei que é um blogue onde vou ler textos bons, sobre assuntos com que me identifico! A vida nem sempre é como idealizamos, por isso vamos saborear cada bom momento que temos, que se formos a avaliar são muitos de certeza!

Beijinhos

Alice disse...

Isto é exactamente o que eu tenho tentado fazer. A vida são dois dias e muitas vezes aproveitamo-los mal. Muito mal.

Aproveito para te dizer que acabei o livro. Devorei-o como há muito não acontecia. Fiquei a adorar a Rainha D. Amélia; a sua força e a sua Humanidade é brutal.Obrigada pela recomendação.

Bjs

Dina disse...

Pipita de chocolate: obrigada :)

Alice: Ainda bem que gostastes :) Tb achei que ela tinha uma personalidade única. Uma pena que não fosse mais aproveitada para o bem do nosso país....

Alice disse...

Dina,

Não podia concordar mais contigo

Sei que o livro terá certamente influência dos tempos que vivemso hoje, mas o que é descrito é muito do que se passa hoje em dia. A imprensa porta-se da mesma forma, e se os telegramas e os bilhetes na almofada naquela época, davam o reboliço que davam, hoje em dia, com a net, imagina a bola de neve em que um escândalo se torna.


Portugal ficou em dívida com D. Amélia. è o que sinto.

Beijinho

Brida disse...

Nem imaginas o quanto me identifico com este post... Concordo contigo no entanto, é difícil aceitar que determinados sonhos/objectivos não se concretizem, independentemente dos esforços para os alcançar. Às vezes é difícil aceitar... Bjs

Nokas disse...

Às vezes esquecemo-nos dessas pequenas coisas e quando damos conta, já desapareceram...

Guinhas disse...

Tens toda a razao Dina!Mtas vezes vive-se com um objectivo e,quando atingimos,nem e aquilo que sempre idealizamos...e,nos entretantos,foram anos de dedicacao a algo que nem era o idealizado.

Dina disse...

Brida: Eu sei acredita. Eu acho que depende mesmo do sonho em si. Por exemplo, sempre vivi e vivo bem com os sonhos materiais que sei que vão ser difíceis de alcançar: sei ser feliz com menos. Agora quando lutei por um filho, aí sim, sei o que é amargura, raiva, etc. E é difícil viver com estes sentimentos...