segunda-feira, 5 de março de 2012

Pecado ou preconceito?


Há quem confunda orgulho com auto-estima. Nem sempre ter orgulho é um sentimento negativo e está relacionado com arrogância. Claro que a linha de separação pode ser ténue, mas ela existe. E digo: as pessoas deviam ter mais orgulho em si: saber-se dar valor e assumi-lo perante os outros. O problema é que é mal-visto as pessoas assumirem publicamente que se sentem bonitas, que se sentem bem com o seu corpo ou que são felizes com a sua vida. Há alguns exemplos de bloggers que são criticadas regularmente por isso. 

Temos que aprender a ser auto-críticos mas também a ver o que é bom em nós, a amarmo-nos mais. E não ter vergonha disso. E para tal, deixemos de chamar vaidosas de forma tão pejorativa a estas pessoas. Porque a vaidade, em dose certa, é óptima e necessária! A nossa sociedade não gosta de coitadinhos, mas também não gosto de pessoas que se assumem. Há pessoas que se assustem e se sentem ameaçadas tão facilmente pela força e segurança dos outros...

10 comentários:

Anabela disse...

As pessoas que se sentem ameaçadas com a segurança dos outros são invejosas!
Tb concordo ctg em relação a armarmo-nos mais.
Beijinho e Boa Semana

Sexy na Cidade disse...

sou orgulhosa mtas vezes e gosto! E n se trata de ser nariz no ar, claro q nao, trata se de estarmos bem com a vida e connosco =)

Maria

*C*inderela disse...

mais um post em que não poderia estar mais de acordo.
todas nós deviamos ter mais amor próprio. gostarmos de nós (independentemente das nossas pequenas imperfeições, quem é perfeito?) é meio caminha andado para nos sentirmos bem e relacionar-mos bem com os outros. devia existir um curso de auto-valorização para acabar de vez com mulheres ressabiadas!
sempre me ensinaram que devemos valorizar-nos porque mais ninguém o fará e a não ligar a parvoices alheias. "o que vem de baixo não me atinge".
mas é um aspecto que está relacionado com a nossa educação e nem todos nós somos educados para termos orgulho em nós próprios!

Bjokas

Passado Futuro e Presente disse...

É verdade devemos ter mais auto-estima. Eu por exemplo sou uma das pessoas que tem pouca. Luto todos os dias para alterar isso em mim, mas não é fácil.

Cláudia disse...

Não podendo concordar mais, só posso dizer que a minha segurança e auto-confiança já me valeram alguns desses títulos menos carinhosos.
As pessoas, no geral, lidam melhor com o discurso de coitadinho, que sou tão fraco e que mal me corre a vida do que com pessoas que pegam o boi pelos cornos e arregaçam as mangas sem medos.
A firmeza na afirmação de posições controversas ainda é muito estigmatizada neste Portugal dos pequeninos.

LURBA disse...

Plenamente de acordo Dina!!!
Há uma grande diferença entre ser vaidosa e peneirenta!!! ;-DDD

Opinante disse...

Claro que concordo contigo!

Se eu não gostar de mim, quem gostará?

Guinhas disse...

Podia ter sido eu a escrever isto!!Concordo perfeitamente :)

Turista disse...

Querida Dina, gostei muito deste teu texto!
Porque nem toda a gente tem motivos para andar sempre a queixar-se da sua vida ou porque faz parte do seu feitio ser bem disposta, tal não significa que se seja arrogante, vaidosa, ou convencida!
Beijinhos. :)

Maggy disse...

lá está, darmos-nos valor, gostarmos de nós mas sem cair no exagero (que também não gosto de quem se acha) mas sem dúvida ainda há muita falta de auto-estima nas pessoas, e quem a tem muito provavelmente é mais feliz:)