quinta-feira, 15 de março de 2012

O poder da etiqueta


Existe meio mundo que vive obcecado pelas marcas. A griffe é uma maneira de se afirmar perante o mundo. Nunca pensei é que o mundo dos bebés e das futuras mamãs fosse assombrado de forma tão acentuada pelas marcas.

Adoro a cara de enjoada de algumas (tenho algumas grávidas e mães recentes no grupo), quando me perguntam de onde é a primeira roupinha do bebé? E eu respondo um pijama do C&A. Quando percebem que o S. não vai ter roupas de marcas para os primeiros dias é como se eu estivesse a dizer que odeio o meu filho. A sério. E dá-me tanta vontade de rir.
 
Eu sou bastante desapegada destas coisas das marcas, e sempre preferi apostar na qualidade independentemente da assinatura. E francamente não acho que se justifiquem gastar imenso dinheiro em roupa para as primeiras semanas. Ainda por cima estes comentários vêem de pessoas com ainda menos meios económicos do que eu. 

Cada um faz as suas escolhas e define as suas prioridades. O cúmulo é que depois pergunta-se a este espécimen se fez tal exame ou a despitagem do Síndrome de Down e me responde «estás maluca? não tenho 120€ para gastar num exames». Muito bom, quanto se tem 60€ para gastar num pijama que vai servir uma semana... Há outras que depois não têm dinheiro para certas vacinas fora do Plano Nacional de Vacinação, mas que gastam exactamente o mesmo valor em acessórios para os miúdos.

O problema de muita gente é a aparência. E há coisas, tão importantes como a saúde, que os outros na rua não vêem, por isso são descartáveis. Vive-se pelos outros, pelo o que dirão. Agora aquelas etiquetazinhas são muito importantes porque todos os amigos e familiares podem verificar o (falso) estatuto dos pais. É incrível como ainda há gente que decide viver a sua vida desta maneira... O que mais me choca é que cada um decide como vive a sua vida: agora retirar coisas essenciais ao bebé para o poder vestir com marcas...

Há muita gente que deveria aprender a viver com aquilo que tem e é de verdade...

42 comentários:

M a f a l d a disse...

Apoiado a 100%!

Caty disse...

Também não sou muito apegada a marca, em 3 anos de vida a minha só teve umas calças da benetton, normalmente é C&A, Zara, H&M ou Primak, roupas que tem um preço acessível.
bjs

Moa disse...

Deixa lá Dina, essas pessoas que se querem fazer passar por muito ricas se calhar deixam de comer bem e afogam-se em dívidas para poder andar com marcas e viver de aparência!! Há roupas tão giras para bebé na C&A, na Zippy e baratas!

xana disse...

Excelente post!! Não conheço esse lado das coisas (sou novinha, sem filhos ehehe) MAS conheço outro. Conheço pessoas que usam marcas de luxo (luxo mesmo!!) e que depois não abrem a boca para que não se vejam os dentes. Sad!!

Isa disse...

Como eu concordo contigo! Nem imaginas quanto! As coisas que nos passam pela frente dos olhos... nem dá para creditar muitas vezes.

Tixa disse...

penso tal e qual como tu ;)

Aplausos para este post!


*beijocas

Su disse...

Eu já vi no blog de moda e beleza, que só se fala de marcas xpto, tanto a autora como as comentadores a dizerem que é uma vergonha uma determinada vacina não ser comparticipada.
Eu também gostava que, num mundo ideal, todas as pessoas pudessem ter acesso a toda a saúde de graça. E sei que é injusto para quem é pobre, não ter a vacina. Mas não me parece ser o caso de quem se preocupa tanto com cremes e sapatos.

MissBlueEyes disse...

Olá grávidamailinda!

O meu S. é vestido na Zippy pela minha sogra, uma vez que ela tem o continente ao lado de casa, e não tendo carro é lá que compra tudo. Tem sim umas camisolas da benetton e um blusão, oferecidos pelos tios paternos no Natal. E umas calças Zara e um sobretudo de fazenda (oh dinheiro mal gasto) da Zara oferecido pela minha sogra no Natal. Sim porque eu sou daquelas Mães que pede roupa nos aniversários. Porque para outras coisas estamos cá nós, como TODAS as vacinas, e para o calçado bom, (lei-se chico ou geox ou tenis de marca). Porque o meu pai (e foram poucas as coisas que me ensinou) sempre me ensinou que a roupa pode ser da feira, mas o calçado, que é onde andamos o dia inteiro tem que ter qualidade.

E para ser honesta acho que a H&M tem roupa um bocado cara, alguma. Eu compro, o pouco ou nada que compro é na primark. E quando há alguma ocasião mais especial compro TucTuc.

E se o meu filho anda bem vestido pela Zippy? Anda muitíssimo bem vestido!!!

Detesto quando as pessoas se valem pelas marcas...

O meu S. usou o primeiro fatinho que custou, 10 ou 11 euros, porque queria vermelho e foi o único que encontrei. Se foi menos feliz. Às tantas é muito mais feliz do que muita gente! :)

Beijos grandes nessa barriguxa liiiinda.

Je disse...

So true. Cá em casa marcas para a Mary só oferecidas ou em saldos.

Tsuri disse...

Oh valha-me Deus, a sério?
Tal como tu tenho prioridades e as marcas não são umas delas, muito menos quando tiver um bebé que vai usar uma vez cada peça de roupa... mas enfim.
beijinhos

Maria João disse...

Olá,

Eu tenho dois filhos lindos e maravilhosos, que vão diariamente todos catitas para a escola e tenho imensa vaidade com eles, mas roupa de marca, só oferecida.

Ténis de marca, só para o mais velho e em saldos.

Não me envergonho, de dizer que os meus filhos andam com alguma roupa dada e o mais pequeno com muita emprestada.

Fatos de treino são da feira.

Mas tenho muito Orgulho em dizer que, os meus filhos têm todas as vacinas façam ou não parte do plano de vacinação, fazem as rotinas todas que são pedidas pela pediatra (Dentista, otorrinolaringologista, oftalmologista, etc).

E são crianças TÃO FELIZES...

Concordo contigo a 100%, nem tudo o que se vê é importante.

Beijinhos e não mudes a tua maneira de pensar, és tu, que estás certa!

MJ

Nocas disse...

Partilho da mesma opinião. Venho de uma família que não é rica, que nunca ligou às marcas, mas que, quando confrontados com uma problema de saúde desde os meus 3 anos, não se importaram de procurar os melhores médicos que lhe indicavam (mesmo que há 15 anos atrás essas consultas já custassem entre os 12 e os 14 contos), fazer os tratamentos que lhe diziam ser os melhores, ainda que não fossem comparticipados, tudo para que eu ficasse bem. Que 4 anos após a construção da sua casa, arrancaram a alcatifa que tinham no chão, que bem cara tinha sido, só porque os médicos disseram que era melhor mosaico para eu ter menos crises.
Desde há já alguns anos que a asma está controlada, que faço uma vida normalíssima, que posso correr sem ter de ter a "bomba" ali à mão para me aliviar.
sei que abdicaram de muitos luxos para o fazer, que adiaram a vinda de outro filho, pois tiveram medo que tivesse também algum problema de saúde e não terem condições económicas para tratarem os dois, já que infelizmente, tiveram que recorrer ao sistema privado para me tratar.
Isto é o que mais lhes vou agradecer a vida toda, pois de que me valia só vestir marcas se depois tinha de depender de medicamentos para fazer a minha vida normal e ter necessidade constante de nebulizações???
Não querendo julgar ninguém, mas não compreendo como é que há pais que não dão prioridade à saúde dos seus filhos.

PS - peço desculpa pelo longo testamento

Passado Futuro e Presente disse...

100% correto. muita verdade neste texto.

Pepper disse...

Da maneira que eles crescem tão rapidamente, eu acho um desperdício de dinheiro comprar peças caras. Contudo respeito quem assim o faça, afinal cada um gasta o seu dinheiro com bem entender.

Lua disse...

Bem... infelizmente ainda há muita gente que pensa que vestir uma peça de roupa de marca é melhor que os outros. Pois é, mas as marcas não ensinam a conjugar a roupa (já vi gente vestida de channel que parecia que ia para o carnaval) e também não é sinónimo de bom gosto. Mais, nem tudo que é de marca é de qualidade e falo por experiência própria.
Enfim... há muita gente a viver de aparências, é o que é...

Beijinho ♥♥

Anabela disse...

É uma questão de prioridades.
De facto as pessoas gostam de viver de aparencias e, na maioria das vezes esquecem o essencial.
Por aqui, a primeira roupa de marca que o Gustavo teve foi da Beneton e foi oferecida. E nem por isso teve mais qualidade que a comprada na Zippy ou na C&A.
Manias é o que é.
Beijinhos

Devaneios.de.mestra disse...

As pessoas vivem de aparências é o que é, e as vacinas que tomamos ninguém as vê.

Nany disse...

Será que as pessoas ainda não perceberam que as crianças são felizes quando estão confortáveis e por confortáveis se entende: limpas, alimentadas, fraldinha limpa e com muitos mimos dos papás.
Eu sou uma alien quando digo que os meus filhos vestem roupa da feira, da Zippy, da C&A, dada e emprestada. Sim dada e emprestada.
E ficam lindos de morrer, porque o são, e andam limpinhos e confortáveis e por vezes algumas peças passam para a criança seguinte.
eles crescem muito depressa e prefiro pegar nos euros restantes para lhes pagar as vacinas, dar-lhes uma boa alimentação, formação.
Claro que me perco com certas peças que vejo, mas penso, posso pagar? Vale a pena?
Mas eu sou alien, a sério que sou.
Bjs

Cláudia disse...

É inacreditável tamanha falta de noção e tamanha subversão de valores. Chega a assustar pensar no mundo em que estamos a viver e a criar as nosssas crianças.

Não sei que diga disse...

Concordo a 100%, aqui por casa as roupas dos miúdos é tudo da Zara, H&M e principalmente Zippy, que eu acho que tem coisas lindas (com a mesma qualidade das marcas)e baratas.

Opinante disse...

APoiadérrimo!! Nem mais!

Ainda há pouco tempo o meu marido me disse enquanto nos dirigiamos a uma visita de um recem-nascido:
Marido: O que compráste é de marca?
Eu: É da Disney, então?
Marido: Ah, é que a "Maria Albertina" quer tudo de marca. A minha colega "Suzuki" comprou-lhe uma t-shirt da gant...

Não compreendo esta obcessão com as marcas, enquanto bebes, não é que não mereçam, mas... parece-me despropositado!

P.S. - Gostei de saber que o nome do menino começaria por S :D

Eu gostava de ter um Santiago e um Salvador :P ahahah

Tânia disse...

Oh meu deus "falas" a sério quando dizes que as tuas amigas gastam fortunas em roupas e não têm dinheiro para fazer um exame tão importante como o rastreio bioquímico das trissomias?! Prefiro acreditar que não existem pessoas igoístas ao ponto de fazer uma coisa destas...
Bom se te serve de "consolo" a primeira roupa que a minha Kika vai vestir é um babygrow que a avó lhe comprou na feira, é da maiorista é certo mas foi comprado na feira e eu acho lindo de morrer! A minha filha tem peças de lojas caras mas foram oferecidas porque para deixar de servir enquanto ainda está nova basta ser confortável para ela e linda aos meus olhos o preço pode ser o minímo que existe no mercado lol

Isa disse...

Acho que fazes muitissimo bem!

Marisela disse...

Ola.

estou completamente de acordo contigo... lamentavelmente é a realidade de esta hipócrita sociedade... só se vive de aparências... no externo....e o primordial simplesmente é zero a ezquerda...

MO

Mimirimizi disse...

Oh meu Deus, como me tiras as palavras da boca! Incomoda-me tanto esse tipo de gente. Não o gastar dinheiro em roupa/acessórios que serão utilizados durante pouco tempo, porque se há dinheiro para isso, então óptimo, o que me incomoda mesmo é aqueles que gastam centenas de euros nessas coisas, mas que depois não são capazes de gastar as mesmas centenas de euros em coisas essenciais para a saúde das crianças... isso lembra-me quando à uns bons anos gastei(os meus pais gastaram) à volta de 500euros para fazer a vacinação contra o cancro do colo do útero e muitas amigas minhas terem criticado, achando ridículo gastar tanto dinheiro numa vacina, mas no entanto não achavam ridículo gastar as mesmas centenas de euros em novos telemóveis, na altura mp3's e etc. Incomoda-me mais a mentalidade dessas minhas amigas do que propriamente a mentalidade dos pais delas, já que elas, são e serão as mães dos dias de hoje.

Guinhas disse...

Como concordo contigo!!!Eu acho, mais por graça, giro eles terem umas roupas engraçads mas nem isso implica marca ou um custo excessivo. E, até uma certa idade, acho que não compensa gastar "rios de dinheiro" com a roupa de miudos: não só crescem dia para dia, como sujam, rasgam e pintam.

Scarlet_Perry disse...

Pena que cada vez mais se esqueçam da outra...etiqueta!

Carla Marialva disse...

Palavras que poderiam ser minhas!

pensativa disse...

Concordo a 100%. O que mais me impressiona mesmo são as gravidas que dizem por ex: Prefiro ter uma rapariga porque existem roupas mais giras, e podemos usar acessorios What?!!?!! Pelo amor de Deus um filho não é um boneco de despe e veste!! A tempos falei a uma amiga mae recente, que encontrei uma amiga comum também com o bébé. Perguntou-me ela: Viste que marca era o carrinho?!?! se era XXX ou YYY ?! What? Fiquei a olhar para ela, não sabia que os carrinhos tb eram sinal de status!! É que no tempo dos meus praticamente todos usavam o chicco flik flak ....

MAG disse...

Eu filhos ainda não tenho, mas para oferecer às amigas e à minha família a maioria das vezes vou à C&A e a H&M e compro sobretudo camisolinhas de algodão biológico (isto porque na minha família há muito eczema e dermatites).
A qualidade é muito boa e as coisas duram. Uma vez ou outra lá vou à Chico (óculos de sol e sapatinhos)ou à Benetton...
Parabéns à mamã:))Pelo bebé e por ser atinada;)
Bjs

O blog de um HOMEM disse...

gostei do blo :b

visita o meu blog e vota na sondagem ;)

http://oblogdeumhomem.blogspot.com

Vee disse...

Concordo! A maior parte da roupa da minha filha é C&A ou Zippy, excepto alguns miminhos que lhe foram dando e uma ou outra coisa que comprei mais cara. Até podia dar-lhe um guarda-roupa de marca mas não gosto de gastar dinheiro só porque sim. Para o tempo de uso acho ridiculo e eles não ligam nada a isso. Quando for mais velha e começar a ligar ao que o grupo veste se calhar até lhe vou comprando umas coisitas, mas sem exagerar a importância e sem ser em demasia.

Miss L. disse...

Gostei muito deste post! Como sabes, vou aproveitar muita roupinha das minhas sobrinhas, e sem qualquer problema...Tb me chocam pessoas q se queixam por gastar 120€ num exame importante e não se importam de o gastar na roupa!

Como já tenho dito, tenho comprado tb roupinhas nessas lojas, zippy, c&a, h&m, e até mesmo no proprio Jumbo e não me incomoda nada!

A primeira roupinha acabou por ser mais carota...mas contempla uma fralda e manta q darão ainda por muito tempo! Não foi por uma questão de marcas...simplesmente apaixonei-me pela roupinha...e até é feita em Portugal! Foi um mimo! Mas no meio de tanta coisa q a bebezocas já tem, esta é sem duvida a mais cara...! não tenciono comprar nada mais nesses valores...tudo o resto será mt abaixo!

O teu bebé vai ficar lindo, de certeza com a roupinha!

Alminhas disse...

Concordo plenamente contigo. Acho que com a rapidez que eles crescem, investir em roupa e acessórios caros é uma burrice. O que serve numa semana, na outra já não serve. O meu filhote sempre andou e anda lindo, sem ser preciso gastar autenticas fortunas. Se quiserem oferecer, não me importo, mas quanto a comprar, considero que existem outras coisas muito mais importantes que eles precisam e que custam muito dinheiro. Tal como na disseste o exame para despistagem de Trissomia 21 que é caro, as vacinas que custam entre 60 a 75 euros e que não fazem parte do plano de vacinação, a criopreservação de células estaminais que eu optei por fazer para o meu filho, a compra de um bom ovinho, de uma boa cadeira para o carro e a melhor de todas a escolha de pediatra privado que foi escolhido a dedo e que acompanha o meu filhote desde dos 15 dias de idade... e está disponível sempre que precisamos. Todas estas coisas, custam muito dinheiro... e o meu filho nao precisa de andar de marcas desde do body até ao casaco para ser feliz... Eles só precisam de conforto e muito amor:)

Maggy disse...

atitudes dessas deixam-me chocada. as minhas primeiras roupinhas foram feitas à mão (como se fazia na altura) tudo em prol da poupança, e não fui menos feliz ou menos saudável por não ter roupas de marca, as pessoas têm de aprender a gastar no que realmente é importante

Me disse...

Há pessoas que querem viver uma realidade que não é a delas nem tampouco a de quem as rodeia (ou seja, nem se consegue justificar com qualquer espécie de complexo de inferioridade).

A minha Mini Me está recheada de marcas sim. Se é verdade que podemos fazê-lo, não é menos verdade que 90% da roupa e calçado que tem foi oferecid. Pelas avós e, maioritariamente, pelo grupo de amigos - as titis loucas - resultado de ser o primeiro bebé do grupo.

Agora, independentemente de etiquetas ou marcas, o mais importante nos primeiros dias - e sei que não precisas que te diga isso, é conforto e qualidade.

E amor. Muito amor.

Um grande beijinho querida

Miss I. disse...

Concordo plenamente contigo! Quem fala assim não é gago! Gostei!


Criei o meu espaço, se quiseres passa por lá!


Beijoca

Cat disse...

Tens toda a razão e como irás comprovar com o tempo essa mania estende-se às chupetas, aos biberons e à s mais ínfimas coisas para o bébé...manias e falta de senso! Beijinho!

Ana A. disse...

A minha princesa tem muita roupa de marca, Tuc Tuc, ovo estrelado, ervilha verde, etc, mas sabem onde a comprei?? Na Kid to Kid, uma loja de artigos em 2ª mão com roupa e tudo o que seja relacionado com crianças e bebés. Tem roupa lindissima, completamente nova e muita coisa da marca, tudo a preços de chuva. Eu pessoalmente não tenho problema absolutamente nenhum de comprar roupa que já foi usada, está praticamente nova e além de estar tudo lavadinho chego a casa e lavo novamente. Desde que descobri estas lojinhas, não quero outra coisa.

Pipita de Chocolate disse...

Eu então sou ao contrário dessas mães (apesar de não ser mãe ainda): roupas de marca para bebés são um disparate! Eles não vão vestir quase tempo nenhum! Se for giro pouco me interessa de onde vem! Aliás recomendo uma loja de produção portuguesa, que existe nas galerias Castilho. As peças têm um custo máximo de 20€ e são lindas. Não sei se são o estilo que aprecias, mas é totalmente o meu estilo: cueiros e roupinhas bem fofas de bebé!

Beijinhos

Pipita de Chocolate disse...

Lembrei-me que tenho um amigo que foi pai bastante jovem, e apesar de ele ser o único (e mesmo assim não era suficiente) sustento da casa, a mãe das crianças fazia questão em que a filha e o filho andassem com marcas dos pés à cabeça. Eu e o marido fomos uma vez com eles a um centro comercial e a minha alma ficou parva com o que eles gastaram na filha, na altura ainda só tinham a menina. Se eu te disser que aquela criança teve sapatos e sobretudos mais caros do que os que eu compro para mim, que não estou em crescimento, ficavas de boca aberta! E no entanto a mãe andava com trapinhos da Bershka, com ar já bastante usado...e dizia que fazia questão de dar o melhor aos filhos porque a mãe dela tinha feito o mesmo. Ou seja a mãe dela mimo-a ao máximo e tornou-a caprichosa e ela está a fazer o mesmo...enfim não me consigo dar com pessoas com esta mentalidade!

Tany disse...

Totalmente de acordo! E a C&A também é das minhas "marcas" predilectas :)