terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Generosidade gratuita


Sou apologista que quando se ajuda alguém isso deve ser feito de forma gratuita, fortuita, e sem esperar nada em retorno. Faz-se pelo simples facto de querer ajudar essa pessoa. Sem necessidade de toda a gente à nossa volta saber o que fizemos para receber louros: para mim o gesto perde logo toda a simpatia. Aqui aplica-se bem o dogma cristão: o que dá a mão direita, a esquerda não saberá.

Podem mover montanhas por mim, mas se fico a saber que esse gesto só teve como fim vangloriarem-se à minha custa, fico triste e deixo de ficar agradecida. Prefiro por vezes simples conversas de apoio que agradecerei para o resto da minha vida: porque foram sinceras e gestos de entrega total.

Há um tempo atrás descobrimos que uma tia se gabou intensivamente que nos ajudou aquando da doença do meu pai. Que fez isto, aquilo. Até à pessoas que vivem à mais de 2mil quilómetros de distância. Para mim a ajuda perdeu toda a validade.

Sou assim. Nunca farei ou direi nada por me sentir obrigada. O que faço sai-me de cá de dentro. Faço as coisas porque a família é assim: auto-sustenta-se, ajuda-se quando é preciso, e ficamos feliz porque os outros conseguem seguir melhor a sua vida: esse é o grande recpmpensa.

17 comentários:

teardrop disse...

Concordo com o que escreveste. O bem que fazemos aos outros deve ficar para nós, para nos sentirmos bem por ter feito aquilo que achamos que era o certo. Para o bem e para o mal, acho que as atitudes ficam com quem as pratica!

Um beijinho grande :)

abspinola disse...

Perfeitamente de acordo.
A ajuda e o apoio dá sem cobranças e sem elogios do seu proprio ego.

BOM DIA

MissApuros disse...

Esse tipo de atitudes tambem me causam alguma urticaria.... bjinhos

Nokas disse...

Ou se fazem as coisas de coração ou então nem vale a pena fazer!!

Fashionista disse...

Uma grande verdade!

roupa online disse...

Concordo com td. É mesmo verdade.

Opinante disse...

Concordo contigo!

Não gosto de me sentir obrigada a qualquer coisa só porque x me ajudou! Não é ser mal agradecida, mas ajudar e dar sem querer receber em troca! Eu sou assim!

Tsuri disse...

Vivi a mesma situação com uma tia da minha mãe e acabou até por haver um afastamento enorme. Chegou a cobrar porque "afinal também ajudou quando mais precisamos". Enfim...
beijinhos

Cláudia disse...

Acho que todos conhecemos alguém desse género. Que só faz para dizer que fez.
É, sobretudo, triste e decepcionante.

susiedesonho disse...

Concordo. Ainda hoje tive essa discussão. Por exemplo, pessoas que davam sangue e que agora já não são isentos. Algumas dizem não voltar a doá-lo. Então mas davam sangue para serem isentos de taxas moderadoras? Ou tenho bom coração ou não tenho, não é?

Bj,

Susie de Sonho.

Isa disse...

Apesar de concordar que não é necessário uma pessoa se vangoloriar por ajudar alguem, não concordo quando dizes que a ajuda perde toda a validade.
Houve pessoas que me ajudaram em horas dificeis, algumas fizeram disso bandeira de como são boas, mas não deixo de lhes estar igualmente agradecida, porque afinal estiveram lá, quando precisei!

Ana Sá disse...

É isso... a ajuda não se cobra nem se anda por aí a apregoar.

Lua disse...

Concordo plenamente contigo!

Cada vez gosto mais do teu blog e do que escreves. :)

Beijinhos,
Lua

Dina disse...

Susiedesonho: Bem pensado!

Isa: eu percebo o que queres dizer. Estava a falar no meu caso concreto: essa tia foi muito má. Mas em outros casos, mais simples, concordo contigo...

Senhor Geninho disse...

Qualquer tipo de ajuda, seja ela emocional ou material, deve ser feita de forma altruísta. Esta é a minha perspectiva sobre este assunto. Acho que se o fizermos de forma bem intencionada sem esperarmos nada de volta a vida encarregar-se-á de nos recompensar. Já tive várias provas disso e é para continuar...
Felicidades!

Friendly words disse...

Concordo com cada palavra!!!

Bjinho grande :)

Guinhas disse...

Não podia concordar mais...e acredito que, quem faz as coisas de coração ganha outras coisas tb sem preço como a amizade.