quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Serei eu doente?


Ontem abri a alma a uma pessoa muito próxima e respondeu-me que devia ter uma doença psicológica qualquer. Não fiquei chateada, pois sei que quase ninguém entende a minha posição. Com o tempo penso e vejo que perante certos acontecimentos estou a assumir a postura que o meu pai tomava e que eu nem sempre compreendia.

Não consigo falar dos meus problemas com as pessoas. Exceptuando 2 ou 3. Senão respondo que está sempre tudo bem, mesmo quando o mundo desmorona à minha volta. Posso falar de coisas banais, de problemazinhos simples, agora quando são coisas que me afectam de verdade, eu fecho-me na minha concha. Nunca nenhuma pessoa me ouviu falar de problemas graves com a minha família, ninguém me ouviu falar da luta do cancro, nunca ninguém me viu chorar a morte do meu pai, nunca me ouviram falar e lamentar a minha doença.

Dizem-me que me faria bem falar, claro. Mas não consigo. É um bloqueio que se dá em mim e que me impossibilita de falar. Não é falta de confiança, mas não gosto de ser uma coitadinha aos olhos dos outros, imaginá-los a lamentarem-se por mim, ou a tecer comentários sobre a minha vida. Não quero que tenham pena de mim. Não consigo verbalizar certas dores, como se as tornasse mais reais se as partilhar com outros. Quando penso é estranho: quem lê este blogue sabe mais de mim do que muita gente que convive comigo. É a minha veia de libertação. É por isso que me faz tão bem.

Se qualquer é mesmo patológico, não sei. Mas sou assim, se algo me afecta eu fecho-me em mim. Para ganhar força talvez para seguir em frente. Afinal cada um luta com as armas que tem...

26 comentários:

Moa disse...

Claro que não és doente, cada pessoa tem a sua maneira de encarar a vida e os problemas. Força Dina!

Daniela disse...

Não acho que sejas doente.. e até me identifico bastante com essa descrição. bastante mesmo. Cá para mim és apenas do signo Caranguejo... em ascendente ou lá o que é...

Ri disse...

:) Ora eu acho que não há problema nenhum em seres assim. Estarei assim tão enganada se te disser que muitas das pessoas que eu conheço são assim? Eu acho que nós falamos e desabafamos com uma ou duas pessoas na nossa vida. São aquelas duas, vá tres, pessoas que nos conhecem e que nos entendem como ninguem. De resto? .. Nao, quase ninguem fala. Digo eu, não sei...
Mas nao... Nao acho que nao seja normal...

Nokas disse...

Às vezes é mais fácil desabafar com estranhos do que com aqueles que nos rodeiam...

teardrop disse...

Cada um tem o seu modo de ser... se sentires realmente necessidade de falar com alguém, podes sempre procurar ajuda num psicólogo/psiquiatra. Só para alguém te ouvir e poder falar contigo. Eu tenho crises de pânico e faço medicação, mas muitas das vezes que vou ao psiquiatra vou só para falar, para ele ouvir o que não consigo contar a mais ninguém. E isto é algo muito meu e só o meu namorado, pais e mana é qus sabem.

Dear disse...

É preferivel agir como tu, do que andar aí a chorar e a queixar-se aos outros por coisas insignificantes... como tanta gente o faz!

isabel disse...

Como eu te compreendo!
Eu começei a fazer umas sessões com um psicologo, que usa umas tecnicas alternativas, nomeadamente: Hipnose Clínica, psicoterapia EMDR e Brainspotting.
Estou a conseguir gerir melhor essas situações, esses bloqueios como eu lhe chamo.
Ah, não se passa nada de anormal contigo, só somos todos diferentes!
Até sempre!!!!

Alminhas disse...

Não és doente, porque senão eu também sou doente;)
No meu caso, a vida fez-me assim. Eu aprendi cedo que às vezes mais vale guardar para nós do que contar aos outros. Se é difícil? Claro que sim, sofremos muito mais... No meu caso, simplesmente deixei de conseguir falar. Se as pessoas não me conhecem, não me olhos, nem me lêem a alma. Se não tem a capacidade de perguntar como estás, sem depois dizerem que estão piores... Não vale a pena mesmo.
Mais um post que podia ter sido escrito por mim:) Beijocas Dina e paciência:)

Agridoce disse...

Eu sou igual a ti, por isso ou somos as duas doentes ou não sei... E eu acho que não somos! Somos assim. Só isso. Se é bom? Talvez não. Mas não faz de nós pessoas piores. Simplesmente, somos reservadas, somos fechadas, protegemo-nos e não falamos. Só isso. Sei que tu, como eu, lá terás os teus mecanismos de lidar com isto e lá arranjas formas de libertar as mágoas e o que te magoa! Não precisas de falar com alguém para resolver os teus problemas e dores! Um beijinho grande

Alice disse...

Também sou como tu.

Há os assuntos corriqueiros e os que me dizem demasiado para estar a descuti-los com outras pessoas. Acho que ninguém precisa saber dos meus problemas. As pessoas usam sempre a informação, deturpando-a, espalhando-a aos quatro ventos.
Só que, às vezes, guarda-se muita tralha dentro de nós, e não conseguimos desfazer-nos dela, porque parece que já criou raízes dentro de nós. abrimos as gavetas da nossa mente, e colocamos lá o máximo que podemos. Ao ponto de nada estar devidamente arrumado. Isso aconteceu comigo.

O stress elevou-me os níveis de irritação, e tornei-me uma pessoa pouco calma e sensata.

Hoje, já arrumei as minhas gavetas. Com a ajuda de uma terapeuta. Finalmente sinto-me calma e sensata como nunca fui. Mas continuo a não contar as minhas coisas mais profundas ao melhor dos meus amigos, Grande parte delas não.

Existem coisas tão nossas que são impossíveis de contar a quem nunca compreenderá a maneira como pensamos.

Não acho que seja nenhuma patologia. Somos assim. Há quem não entenda. Eu também não entendo a bisbilhotice. Por isso, cada um é como é.

beijinho Dina e não penses muito nisso.

sol disse...

Olá Dina,
se passares pelo meu blog entendes aquilo que estou a passar...
Nunca fui de me queixar, de me fazer de coitadinha, de dar a parte fraca, enfrentei sempre os meus problemas com 1 sorriso...Infelizmente também nunca fui de desabafar com mtas pessoas...entretanto dei por mim com 1 depressão, que foi mal medicada...e de 1 momento para o outro deixei de ver futuro, tive 1 esgotamento nervoso e estive internada, agora sim estou a ser medicada como deve ser...desculpa, isto deveria ser 1 comentário mas passou para desabafo...se achares que precisas procura ajuda, falar faz bem...Acredita!
beijinhos

Agostinho Barros disse...

ADORO *_* , sigo, segues o meu o: ? se gostares

susiedesonho disse...

Dina, se tu fores doente então eu também sou pois sou exatamente como te descreveste. Não gosto de partilhar os meus sentimentos e faço-o apenas com a minha mãe e a minha irmã. São escudos que a vida e as pessoas nos levam a criar.

Bj,

Susie de Sonho.

Tsuri disse...

Identifiquei-me imenso ao ler este texto e na realidade muitas de nós usa estes espaços como libertação, e ainda bem, pois só faz bem.
Cada qual é como é e defende-se como pode e se sente mais confortável, os outros só devem respeitar e nunca criticar. E mais, parece-me que és uma mulher de uma coragem incrível, pois lidas com a dor sozinha, valentemente.
beijinhos

MissBlueEyes disse...

Infelizmente, ao longo dos anos, eu tenho constatado que é melhor assim, que é preferível não falar, do que os outros saberem mais do que deviam.

Bomboca do Amor disse...

Eu também sou assim.
Mas há sempre o dia em que a "coisa" rebenta e vai tudo pelos ares, até eu!
Beijinhos grandes querida,
Bomboca do Amor.

Senhor Geninho disse...

Todos nós temos o nosso espaço onde só entra quem nós deixamos... Este espaço é o nosso refúgio, a nossa concha... Por experiência própria digo-te que fecharmo-nos demasiado pode ser prejudicial quando tem que haver reciprocidade e feedback entre as pessoas envolvidas.
É compreensível que o faças quando não encontras pessoas que te entendam e que te ajudem mas sempre tens este teu espaço virtual para desabafares... E acredita, é uma arma muito eficaz...

Lisbo@ disse...

Claro que não! Cada um tem a sua maneira de reagir... olha sou como tu, quando estou com um problema grave tb não sou de contar. O que pode acontecer é, depois da tempestade passar já consigo falar, mas durante não.

Maria disse...

Como eu te conpreendo, sou tal e qual , engolo em seco não consigo falar nem chorar, por vezes tenho tanta vontade de chorar para desabafo e nem uma lagrima cai,
Força.. é só o que posso acrescentar

Faz de Conta disse...

Eu sou igual! :) Minguém me ouve a queixar disto ou daquilo. Está sempre tudo bem, mesmo quando não está. São muito poucas as pessoas a quem abro de verdade, a alma e conto o que vai cá dentro. Há quem diga que não é bom, faz bem desafar. Pode ser verdade, mas eu não sou assim, e tenho-me dado bem assim, como sou.

Opinante disse...

Acho que tem a ver apenas com a personalidade :D

E forcinha querida!

Bom fim-de-semana!

Clara Turbay disse...

i like your sense of style chic and simple at the same time.

http://paquetevistasbien.blogspot.com

Dina disse...

Fez-me muito bem ouvir as vossas opiniões e comentários. Muito mesmo :) Obrigada

Cláudia disse...

Já me disseram a mesma coisa porque eu também sou assim. Quanto maior é a tristeza ou problema menos expansiva eu consigo ser. Ás vezes sinto que devia tentar mudar, muitas mais acho que sendo esta a minha forma de me proteger a mim mesma não pode ser algo que me faça mal.

Não tenho nenhuma conclusão. Nem para ti, nem para mim mesma. É esperar que a idade nos vá trazendo a sabedoria da escolha e da adaptação.

Guinhas disse...

Se soubesses como te entendo...e custa me imenso, mas simplesmente não consigo ser diferente. E, curiosamente, sou uma fala barato para tudo o resto...

ladybug disse...

És uma lutadora, isso sim! Admiro-te imenso!