segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Mulheres inteligentes...

A Activa deste mês diz-nos que somos mulheres inteligentes  se formos "Egoístas. É uma virtude muito mal vista porque é suposto dedicarmos a nossa vida aos outros, mas essa teoria já era. Trate de si em primeiro lugar: depois vá lá tratar dos outros. Ou não. A vida é sua. Use-a como quiser."

Esta frase fez-me pensar. A verdade é que nós mulheres nos auto-anulamos demasiadas vezes pelos outros. Mas nem nos damos conta disso, porque fazêmo-lo com amor e devoção. Sem rancor, sem segundas intenções. É a via óbvia, pelo que nem questionamos se temos razão ou não. Dedicamos-nos aos outros. Ponto. Aos nossos filhos, aos nossos companheiros, aos nossos amigos, familiares, etc. Mesmo se por vezes, não nos retribuem um quinto do que damos. Para eles também já estão tão habituados à nossa dedicação que já nem a questionam, já não se perguntam se a merece. Tente falhar um dia e verá todas as espadas viradas contra si.

Acho que temos que arranjar um ponto de equilíbrio. Pensar em nós em primeiro. Sermos um pouco egoísta. Mas sem chegar a um extremo de virar as costas aos outros. Nós não somos assim, é a nossa essência de mulher que nos dita estar disponível aos outros. Mas temos que nos lembrar mais de nós: do quanto somos importantes, de quanto merecemos um mimo, um dia de descanso, etc.

13 comentários:

Alice disse...

Não concordo que tenhamos que ser egoistas. Se o formos dificilmente um casamento dará certo. Acho que devemos sim, ensinar quem vive connosco a ser altruista. a deixar de pensar só nele. Infelizmente (ainda) não tenho filhos, no entanto, não sei se o meu casamento conseguiria chegar ao ponto a que chegou se eu fosse egoista. Houve meses a fio que deixei de ser figura de destaque da vida do meu marido devido a doença grave na família do meu marido. Mas quando precisei de ser cuidada, nunca me abandonou por mais louca que estivesse. Ele não se cansa de apregoar aos quatro ventos que tem uma grande mulher; eu não me canso de dizer que ele é único e incansável no amor que tem por mim. Seria assim se ambos tivéssemos sido egoistas nas nossas dores? Não creio.
Não necesitamos anular-nos; necessitamos que os os que vivem connosco nos respeitem. Quando assim é, a relação funciona e perpetua-se.

o altruísmo fortaleceu a minha relação. Tenho a certeza que o egoísmo teria dado cabo dela. A vida é feita de cedências de todos os lados e não imposições de vontades.

beijinho e boa semana

Nokas disse...

Temos o hábito de nos colocarmos em segundo lugar, mas há momentos em que é preciso estar em primeiro lugar!! Para cuidarmos dos outros, temos nós que estar bem :)

Opinante disse...

Concordo... pelo menos eu, costumo pensar mais nos outros, do que em mim :S

Dina disse...

Alice: concordo totalmente contigo! Sempre o disse que penso que hoje os casamentos duram cxada vez menos porque as pessoas são egocêntricas e pouco altruistas. Que não são educadas para o sacrifício...

Quando escrevi este post estava a referir-me a circunstâncias mais pontuais da vida quotidiana...

Alice disse...

Dina,

Eu entedi perfeitamente a tua posição.

(às vezes as revistas femininas escrevem aquilo que as mulheres querem ler, e não aquilo que é fazível no terreno)

Tal como tu dizes, os casamentos duram cada vez menos porque as pessoas são egoístas. Nem sempre é fácil cedermos, e nem sempre o podemos fazer; os outros também o têm de fazer.

Mas julgo que este sentido de altruísmo vem connosco para o casamento, não nasce pelo casamento. Como certamente concordarás, quem é altruísta é-o sempre, em concordância com a sua consciência.
Penso que não seremos muito distantes na idade, e até não teremos tido educações assim tão diferentes, e portanto teremos valores semelhantes. Agora acreditas que as gerações que vieram depois das nossas têm os nossos valores. Ou melhor, terão valores consistentes?

isto é uma divagação sobre o altruísmo que talvez deva ser deixada para os flósofos.

beijinho

estrela disse...

ora aqui está uma coisa que eu devia começar a fazer...por de lado um pouco os outros e centrar-me mais em mim!
já começo aprender umas coisas...
mas aos poucos eu chego lá sem exageros, claro!
bjs

Sílvia disse...

Não digo que devemos ser sempre egoístas mas há casos em que devemos pensar primeiro em nós, porque como dizes, nós mulheres temos muito tendência a anular-nos, mesmo que seja sem querer.. Não digo que o devamos ser numa relação por exemplo, isso não, mas não dizer sim a tudo em algumas situações pode ser muito benéfico.

Beijinho*

Sorriso ツ disse...

Sabes, devido a algumas situações pelas quais passei, aprendi a ser um pouco mais egoísta, a pensar em mim em primeiro lugar. Antes, colocava-me demasiadas vezes em segundo plano, em prol dos outros. O que é que recebi em troca? Desilusões, imensas desilusões. Eu sei que o mais correto talvez seja dar sem esperar receber, mas nem é ou pode ser assim...
O que faço agora é colocar-me em primeiro lugar e pensar nos outros depois. No entanto, isto não significa que não haja casos em que, inevitavelmente, eu coloque os outros à minha frente. Tudo vai depender da situação em si...
Egoísmo sim, em alguns casos, mas não em tudo. É como dizes, temos que arranjar um ponto de equilíbrio: pensarmos em nós, primeiro; mas saber passar para segundo plano quando é preciso, quendo alguém precisa de nós.

Beijinhos :)

Bomboca do Amor disse...

Acho que o ponto de equilíbrio seria perfeito, mas até lá chegar vamos "batendo muitas vezes com a cabeça na parede"!
Beijinhos querida,
Bomboca do Amor.

Guinhas disse...

Eu tenho uma opinião um bocado própria sobre este tema. Não acho que tenhamos de ser egoistas mas acho muito importante percebermos que a nossa felicidade, de nós depende. Tirando os filhos, pois não sou mãe e não posso falar mas aprendi, de uma forma bem...dura, que a minha felicidade de mim depende. Custou mas hoje agradeço à pessoa que me fez sofrer e ensinou isto. Com isto não pretendo dizer que sejamos anti sociais ou isso...nada disso. Mas entender que nós conseguimos conduzir o nosso rumo.

Uma cereja no topo disse...

Acho que em qualquer relação a intransigencia é o pior dos males. Com a minha relação aprendi a fazer cedências, assim como ele, e a sentir-me feliz por abdicar de certas coisas. E as minhas cedências são retribuídas pelas cedências que ele também faz por mim, e de alguma maneira encontramos o ponto de equilíbrio. Mas fora de uma relação próxima nem sempre é possivel estabelecer um equilibrio e por vezes temos mesmo de ser egoístas e vincar a nossa vontade para que não se aproveitem de nós.

Senhor Geninho disse...

Esses artigos das revistas exclusivamente direccionadas para as mulheres fazem-me rir! Um artigo com esse conteúdo passa a imagem que as mulheres em geral são sempre as mais prejudicadas em tudo o que tenha a ver com a sua vida pessoal e profissional. Nem vou querer discutir isso porque não há espaço nem tempo para tal. Mas direi apenas que isso se pode aplicar a todos! Tudo dependerá essencialmente das circunstâncias da vida de cada um! Já fiz bastantes sacrifícios em prol daqueles que me rodeiam isso só demonstra altruísmo! Dar sem querer receber nada em troca! E para que possamos ter um pouco de tempo para nós, não precisamos de ser egoístas! E burros também não! Como seguir o conselho dessa revista, por exemplo...

salto para a lua disse...

considero-me então muito egoista ;)