segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Compras de natal


Custa-me ainda ver pessoas que fazem compras frenéticas de natal, mesmo quando não têm possibilidades económicas para tal. Porque há-que manter as aparências, oferecendo presentes a todos os conhecidos, para mostrar um status social que não é nosso. Às vezes pergunto-me se estas pessoas têm noção do futuro que se avizinha. E custa-me que a comunicação social continue a culpar os bancos quando estas pessoas são umas irresponsáveis (claro que há excepções!).

As pessoas deviam começar a fazer compras conscientes! De que vale comprar mil bugigangas que não servem de nada, a não ser gastar dinheiro? Fulana precisa de uma máquina de café, ok; fulano quer um par de calças, ok, etc., nem que seja necessário juntar-se para comprar o que se precisa.

E aqueles pais que se endividam nesta altura para comprar uma Playstation ao miúdo, quando já têm dificuldades de pagar a renda há diversos meses. Porque não querem que os miúdos tenham noção das dificuldades. Eu sempre tive noção das dificuldades, do dinheiro que estava em casa, do que os meus pais podiam ou não comprar, e isso fez de mim uma criança perturbada? Claro que não! Fez de mim uma adulta que sabe gerir o seu orçamento familiar!! E porque encher uma criança de presentes dia 25 de dezembro e nunca mais comprar mais nada durante o ano. Enfim...

Natal é paz, amor e família. E esses não tem juros altíssimos!

15 comentários:

Nokas disse...

Depois essas crianças tornam-se em jovens adultos sem noção do valor do dinheiro...

Dear disse...

É mesmo!!!

Adorei o teu texto... eu penso como tu!

Qd era pequena vi meus pais passarem por algumas dificuldades financeiras... e isso não me prejudicou, muito pelo contrário!!
Os pais de hoje tanto querem proteger... que acabam por os estragar de mimo e superprotecção...

Bjinhos
Dear

abspinola disse...

Bom dia Dina.
Verdade custa muito as pessoas não terem a minina conscienciada dura realidade que nos avinzinha.
Ontem numa loja estava uma fila imensa de pessoas a comprar as ditas lembraças de natal, era para aquele e para outro, acho super desnecessario este consumismo frenetico nesta altura do ano.

A lista em casa é so para os miudos e ponto final.

Bjstos

Opinante disse...

Completamente de acordo, ontem cheguei a sentir-me mal num supermercado que estava apinhado de gente! As pessoas não tem noção, ou sei lá... ou então não venham falar da crise e nos cortes dos subsídios, porque este fim-de-semana foi mais uma prova que não está, para já, a preocupar grande parte das famílias.
Por isso comunicação social, chega de tanto alarmismo, que a saúde financeira das famílias está bem e recomenda-se!!

Rita G. disse...

Tens toda a razão, o Natal é amor, família, estar juntos, e não gastar o que temos e não temos só porque se achamos na obrigação de dar prendas a toda a gente! bj

gota de agua disse...

ora bem mais!
e depois a culpa da crise é só dos outros... principalmente quando a resistência à mudança e a constante necessidade de "competir" com o vizinho do lado faz com que culpemos os outros da crise. e depois até fazemos greve como se a solução fosse não trabalhar...
também não concordo com muitas coisas do governo, mas não é por isso que vou-me prejudicar e faltar ao trabalho e gritar contra quem nós próprios colocámos lá e quando nós próprios não sabemos gerir as contas pessoais.

Isabel Mendes disse...

Como eu concordo contigo Dina. E mais, são pessoas que durante o ano nem sequer se ligam... Enfim

Beijinhos
Isabel Mendes

Fashionista disse...

Mais uma vez concordo! Só faz bem aos miúdos saberem quanto custa o dinheiro! Tive natais mais pobrezitos e nem por isso foram menos divertidos.. o Natal não são as prendas, é muito mais que isso!

Verita disse...

Concordo plenamente querida!

Lá em casa temos tendência para fazer vaquinhas e oferecer algo que a pessoa quer mesmo e que é mais carote ;) mais vale receber pouco mas bom, que isto de arrecadar 20 prendas as quais não se liga, não se gosta, não se precisa....já está demodé ;)

nesse sentido a mana vai receber um relógio Michael Kors e eu para já pedi umas Hunter e entreguei uma lista de livros ;)

Com o R. vamos comprar umas roupitas na 2ª depois do Natal ;)

beijinhos

Uma cereja no topo disse...

Não podia concordar mais. Quando era pequena ouvi muitos "nãos" e fui percebendo aos poucos que havia coisas que os meus pais não me podiam dar, porque simplesmente não podiam. E agradeço-lhes isso porque hoje estou consciente que existem limites que não podemos (devemos até!) ultrapassar.

susiedesonho disse...

Tens toda a razão, Dina. Nós decidimos fazer uma coisa bem mais interessante e pessoal: para oferecer, este ano estamos a fazer saquinhos de alfazema e já estamos a aprender a fazer licores para ser o presente para o ano. Há que utilizar os recursos que a terra dá.

Bj,

Susie de Sonho.

Bomboca do Amor disse...

Assim se geram as pessoas sem noção da realidade!
Beijinhos minha querida,
Bomboca do Amor.

Senhor Geninho disse...

Eu sou da opinião que o principal problema do nosso país é acima de tudo a mentalidade! Não sabemos ser humildes e reconhecer o que nos rodeia e continuamos a fingir que não se passa nada, enterrando a cabeça nas aparências, deixando de lado o que é realmente importante. A febre do consumismo é de tal forma exagerada que as pessoas perdem a noção da realidade.

Pipa disse...

Concordo com o que disseste. Este ano não vou dar metade das prendas que dei o ano passado, porque simplsmente não posso e não me vou endividar so para manter aparencias. Já tenho muito com que me preocupar. Se não receber nada, também não fico triste.Vou recebendo muito ao longo do ano.

Beijinhos

Guinhas disse...

Nem mais....tb me faz impressão as pessoas endividarem-se para manterem as aparências.