quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Devaneios matinais


Andar de transportes também tem os seus inconvenientes (e não estou só a falar do aumento exorbitante dos preços). Conviver no lugar exíguo de uma carruagem tem muito que se lhe diga. E as pessoas não estão preparadas para viver em comunidade: uns falam ao telemóvel aos berros, outros mantêm conversas com o vizinho como se este fosse surdo. Enquanto a música salta dos fones de uns, outros põem a tocar música rasca alto e bom som para toda a carruagem. Outros mascam pastilha de boca aberta, em que consigo vê-lhe as amígdalas. Outras lêem em voz alta. Outros jogam no telemóvel com som irritante. Sim, um dia se virem na capa do Correio da Manhã: Jovem mata à estalada companheiro de viagem, já sabem de quem se trata...

E há mais um ódio de estimação. Eu sei que posso ser uma pessoa bastante esquesita. Mas, não gosto que estranhos me toquem. Estranhos ou pessoas com as quais não tenho confiança. Sinto que invadiram a minha privacidade. Odeio quando me sento descansada no meu lugar e vem um obeso sentar-se ao meu lado (não tenho nada contra os gordos juro, mas estas situações acontecem com eles). É que eles ocupam um lugar e meio o que faz com que sinto o braço deles colado ao meu, e aquela sensação de pele húmida (do verão) contra a minha dá-me tremeliques.Odeio mesmo. E depois têm que abrir o raio das pernas, e eu fico confinada a sentar-me só sobre uma nádega. Mas não tenho lata para me levantar e ir para outro lugar, porque tenho medo de ofender as pessoas e de as fazer sentir mal, porque afinal não é bem culpa delas. Mas se eu fosse assim preferiria ficar de pé...

Cheguei ao trabalho e já fui lavar o braço esquerdo, porque não descansava enquanto não tirasse aquele suado alheio de mim. Devo ter uma patologia obsessiva (explicaria muita coisa), mas sou assim. Também não gosto de pessoas que falam muito próxima da minha cara como se a qualquer momento nos fossêmos beijar. Já tive que explicar a regra protocolar da distância de conversação consoante a ocasião a um dos meus chefes. 

Pancas. Mas até eu tinha que ter algum defeito...

18 comentários:

Liliana disse...

Como te entendo...! Também odeio que me toquem ou falem em cima de mim...estou sempre a afastar-me.

Beijoca

PrincesSu disse...

Afinal não sou tão anormal assim!
lol

Tb não gosto nada que me falem assim tão proximo... passo-me! Tenho duas colegas de trabalho que me fazem isso!

Eu nem disfarço que nao gosto disso mas mesmo assim elas não percebem... ainda não tive coragem de dizer directamente!! Um dia destes não consigo evitar e digo de rajada :)

Nokas disse...

Eu acho que é um mal geral!! A mim faz-me imensa confusão...principalmente quando se esquecem de tomar banho.

Pipa disse...

Agora fizeste-me lembrar quando eu andava de comboio. Também eu detestava tudo o que descreves no post. Para mim era um martirio andar no comboio em hora de ponta!!

beijinhos

MissGummyBear disse...

Não te preocupes, não é só de ti :b

Bomboca do Amor disse...

Eu também sou assim deixa lá (foram preciso tantos anos para encontrar alguém como eu IUPI)!
Até estou arrepiada só de ler o post.
Beijinhos querida,
Bomboca do Amor.

Mami ( Sónia ) disse...

Também sou assim, gosto muito da chamada distância higiénica.

Alminhas disse...

Eu também não gosto nada...blhac!
Beijinhos

Verinha disse...

Bem Dina se tu és Alien então pelos vistos somos todas! Eu também padeço desses problemas todinhos!

Mulher, Woman et Femme disse...

Bem Vinda ao Clube ;)

*Lili* disse...

Bem temo em dizer que sou uma das tuas, mas é a verdade! Hoje em dia ninguém sabe viajar ou conviver em sociedade nada!! Ora falam alto de mais, ora é o telefone que está baixo, ora é a música do outro nas alturas. Muitas das vezes obrigo-me a mim mesma a dormir! Para não ter de os aturar... ai bem e quando vem esse tipo de gente para o meu lado sou realmente como tu, só para não os ofender pois por outro motivo qualquer já me tinha ido embora! E pior aqueles que cheiram muitíssimo mal...Nem vale a pena pensar nisso agora...livra!

http://realdreams-liliana.blogspot.com/

Luar disse...

HEhe, eu sou tal e qual. Detesto, principalmente no verão, que se encostem a mim e depois fico com aquela ideia de ter suor pegajoso no braço e não descanso até ir lavar aquilo...
Pronto, já não se sinto tão "esquisita"...hehehe

Bjs

Dina disse...

Não sou a única :) Acho que vamos criar um Movimento Cívico para Viagens Pacíficas nos Transportes ;)

Mami Sónia: Adorei esse conceito de distância higiénica: acho que vai entrar no meu vocabulário!

Nokas* disse...

Eu ando de transporte públicos praticamente todos os dias quando trabalho e de facto há inconvenientes destes. Mas a verdade é que ir de carro está fora de questão por isso uma pessoa tem mesmo de suportar certas "melgas" que nos podem aparecer no caminho!

Pipita de Chocolate disse...

Também tenho essas "fobias": gente pouco civilizada nos transportes públicos, e que me toquem sem haver confiança para isso. E por falar em tocar, e aquelas pessoas que ao conversar connosco estão sempre a dar-nos toques no braço?! So annoying!!!

Bjs

Isa disse...

Agora vou sempre de carro para o trabalho (não há transportes), mas isso era uma coisa terrível para mim quando estudava... E se não mudava de sitio nos transportes, já fiz isso imensas vezes na praia! Quando alguém se vem colar a nós e ficamos a cheirar os pés dos outros! E não quero saber que fiquem ofendidos!
Vou-me juntar ao clube!

Tany disse...

Concordo contigo a 1000% :) São coisas que também me metem muuuita confusão!

Sentimento de Mim disse...

Todo temos a nossa "bolha" psicológica, o nosso espaço vital que só poderá ser "invadido" pelas nossas pessoas, não por estranhos. É normal o que sentes. :)