sexta-feira, 8 de julho de 2011

Anatomia de uma traição


Quando acontece uma traição, as amantes são sempre as cabras da história. Depois, o grau de culpabilidade atribuído ao homem varia de caso para caso. Mas elas são sempre as cabras e as culpadas. Se o caso não for connosco e se nos afastarmos um pouco, poderemos ver que afinal as mulheres só seguem o seu coração. Procuram o amor. A diferença é que o encontraram nos braços de um homem comprometido. Afinal elas não têm culpa de ter chegado tarde de mais, e de ele já ser casado. O amor não se controla, pois ninguém manda no seu coração. O malvado apaixona-se por quem quiser, mesmo sendo muito inoportuno. Como poderão elas esquecer e virar costas ao que pode ser o amor das suas vidas. Afinal, elas, as outras, não serão simplesmente vítimas do amor?

Estas questões são sempre complicadas por mexerem com o nosso lado mais negro, que é activado pelo ciúme e o sentimento de traição e injustiça. Cada caso é um caso, porque há mulheres movidas somente pelo impulso do momento. A P. sofreu uma traição do marido, com o qual se manteve casada pelo filho. Hoje «apaixonou-se», reciprocamente, por outro homem casado. Mas ela não foi capaz de seguir em frente porque não queria infligir à outra mulher, o que ela já sentiu na pele. É uma atitude tão nobre e adulta, não querer sacrificar nenhum casamento. Mas será que este já não está destinado ao fracasso, visto ele estar pronto a ser infiel? Deve ser um sentimento estranho este de estar dividida entre o correcto e o amor...

17 comentários:

Nokas disse...

Principalmente quando o politicamente correcto não traz felicidade...

Anabela disse...

Ando há que tempos para fazer um post sobre este tema. Não tinha escrito melhor, concordo inteiramente.
Posso linkar?
Bjs

Dina disse...

À vontade ;)

Bárbara Silva disse...

- obrigada querida :)

Lux disse...

Concordo contigo...
Sabes que vemos sempre as coisas do nosso ponto de vista.
Mas na vrdade, todas nós nos podemos apaixonar por um determinado homem e esse ser casado. Podemos não querer estragar uma relação com filhos e tudo o mais, mas se existe uma traição, a primeira pessoa culpada é ele. Porque o casamento e os filhos e tudo o resto são um problema dele. É a família dele.
No máximo, podemos proteger-nos e evitar essas situações, vamos ser sempre as cabras para as mulheres deles, mas quando existe uma traição é porque algo não está bem com a relação deles e é sempre fácil culpar uma terceira pessoa por isso.
É a minha opinião!

xoxo
Lux

Mamã do Príncipe Pipoca disse...

Pergunta muito pertinente a tua. Será ela a responsável pela infelicidade da mulher do homem com quem se amantizou? Ou será o marido? A responsabilidade de manter o casamento não é de cada um? Para que as coisas aconteçam são necessárias as duas vontades, nenhuma mulher é amante de um homem por obrigação, nem vice-versa... Quanto a mim é pena que as pessoas não arrisquem mais pela verdadeira felicidade. Os filhos? Os filhos são felizes se os pais forem felizes também, às vezes manter casamentos e relações de fachada onde reina a infelicidade e as discussões torna os filhos bem mais infelizes...
Beijinhos e Parabéns pela pertinência do tema!

Agridoce disse...

Se, por um lado, o homem é que é casado e se devia preocupar com a traição, por outro lado, eu penso como a tua amiga. E se todas as mulheres pensassem assim, não havia traições. Que solidariedade feminina é esta em que as mulheres pensam "ele é que é casado, eu não tenho nada com isso, que se lixe"? Onde é que estão os nossos princípios, a nossa integridade, o nosso respeito pelo próximo? Se um homem quer trair a mulher, que o faça. Mas que não seja comigo, que eu não aguentava esse peso na consciência!

*C*inderela disse...

quem tem o compromisso é que devia ter mais tino na cabeça e depois depende dos principios da "outra". uma pessoa pode apaixonar-se por outra e estar farta do seu casamento, pode, mas se é assim mais vale acabar tudo e seguir com a sua vida sem traições.

bjokas

Pistaxa disse...

Eu neste campo sou um pouco brusca.Compreendo que certas mulheres não têm culpa, muitas nem devem saber, muitas estão á espera igualmente do amor etc etc mas também sei de muitas outras que a coisa não é assim.Anda ai muita mulher que lhe dá muito gostinho de destruir outra relação.Tem que haver acima de tudo respeito.Eu penso que nunca faria tal coisa, mesmo que se me apaixonasse loucamente iria ser com certeza uma luta interior comigo mesma, mas acho que preferia nem começar algo.Há de tudo neste mundo e ao que eu tenho visto...muitas são mesmo as cabras.

Alminhas disse...

Na minha opinião quando há o desejo de traição num casal, seja ele no homem ou na mulher, é sempre porque há algo no casamento não vai muito bem. Não vale a pena procuramos culpados, pois se há algo que não vai bem no casamento a culpa é dos dois... alguma coisa está falhando.
Pois quanto existe amor, estabilidade e confiança num casamento, não há homem ou mulher que possa destruir isso.
Sempre foi mais fácil culparmos os outros... mas quando isso acontece todos deviam olhar para si próprios e procurarem o problema que está originando esse desejo de trair. Eu gosto de acreditar que o casamento ou amor que une duas pessoas é para sempre, infelizmente nem sempre isso acontece, e quando assim é, mais vale termos uma conversa franca com o/a parceiro/a e separarmos-nos. Sim, acredito que com filhos é muito mais difícil partirmos para uma separação, mas não devemos nunca julgar ninguém.
Este assunto dá como se costuma dizer "panos para mangas"!:)
Beijinhos e bom fim-de-semana

disse...

Já escrevi algo muito parecido, porque tenho exactamente essa visão.
Em relação à última frase..acho que o simples facto de estar dividida já diz muito.

Drinha disse...

É verdade que não escolhemos de quem gostamos e duvido que alguma mulher se queira apaixonar por alguém que já tem outra pessoa...Dores em nós e dores nos outros.A verdade é que parece que a confiança é cada vez mais traida e ás vezes perde-se o rumo do certo e do amor!

Flutuações da mente disse...

Verdade, só tenho a acrescentar que existe pessoas, específicamente mulheres, que simplesmente intentam criar mal-estar numa relação. Para quem é traída doí em qualquer dos casos...
Beijinho

MissGummyBear disse...

Podia subscrever tudo :)

Elisabete disse...

Infelizmente há decisões assim, que se tem que optar entre o coração ou a razão! Mas é como já disseram, infelizmente o lado da "razão", o tal lado correcto, não consegue trazer felicidade, mas talvez não traga "peso de consciência"!

a Gaja disse...

Realmente deve ser muito complicado. O amor é assim, não escolhe nada e depois às vezes faz-nos ir contra o que sempre acreditamos e defendemos.

Lara disse...

Acho que isso depende muito dos princípios da pessoa, daquilo em que acredita.
Como já foi referido aqui por alguém, de facto um homem pode estar disposto a cometer uma traição, por o casamento não estar a correr bem ou por outros motivos (ah, não concordo a 100% com o facto de que o pensamento na possibilidade da traição indique necessariamente que algo vá mal com o casamento, às vezes as coisas são muito mais profundas que isso e podem indicar que algo está mal com a pessoa em si e não com a relação). Contudo, uma mulher pode muito bem decidir se quer que seja com ela que o homem vai trair a esposa ou não. Neles não mandamos, mas mandamos na nossa consciência. É muito fácil dizer que o amor não escolhe regras, mas vendo bem a coisa, quantos destes casos se transformam em verdadeiros amores no futuro? Poucos! Usa-se o amor em nome da paixão e isso vale muito pouco comparado com a importância de um casamento e de uma família. A meu ver!
Bjinhos!