quarta-feira, 10 de novembro de 2010

A verdadeira essência


Falando do Natal, este ano apanhei uma alergia tremenda a esta data. Já está tudo louco a passear pelos centros comerciais a gastar dinheiro que se tem e não tem, para mostrar aos familiares e amigos que somos uns queridos, apesar de durante o ano mal nos falarmos.

Gostaria de olhar para as decorações de Natal e me sentir em paz e feliz mas o meu coração não consegue viver este ar de magia. Em criança, ansiava por este data em que érmaos mais de 15 pessoas à volta da mesa, na conversa, alegres a partilhar simplesmente a felicidade de estarmos todos juntos. As mulheres passavam o dia na cozinha para presentear os homens com mil e umas delícias. As crianças brincavam e aguardavam a chegada do Pai Natal.

A vida separou-nos pouco a pouco e a corda que mantinha a minha família unida desfez-se lentamente. A família nunca mais se reuniu para o Natal. Há longos anos que era só eu e os meus pais, pelo que o Natal nunca teve o mesmo sabor. E este ano vai ser ainda mais difícil. Perdi o meu companheiro de eleição para este festa. Eu e o meu pai éramos os dois gulosos da família: era comer e beber miminhos que adoramos, sob o olhor reprovador da minha mãe e marido...

Há tanta gente por aqui que nunca viveu um verdadeiro natal. Natal é família. Natal é felicidade pura. Não é vaidade e demonstrações de riqueza com mil e umas prendas. É simplicidade. É o festejo do renascimento, da esperança. É mostrar amor por estar junto, através de sorrisos e palavras amigas. Chego a sentir pena de certas pessoas que só se preocupam com presentes e aparências quando o verdadeira magia do natal está dentro de nós...

19 comentários:

Kikas disse...

E pronto...agora fiquei com a lagrima no olho.

esse é (era) o meu conceito de natal...FAMILIA


Catarina





www.olhostristes-kikas.blogspot.com

Verita disse...

Penso exactamente da mesma forma!até fiz um post a relatar mais ou menos. Este ano, por outros motivos, também não sinto essa magia e prendas não devem ser mais do que cinco, em tempos de crise há que poupar certo? e por isso, ficamo-nos pelo beijinho e votos de um Santo Natal.

Paula Fontinhas disse...

Olá,
Caí no teu blog por magia  e já me tornei tua seguidora.
Caso possas passa no meu blog que está cheio de novidades.
http://diariodeumashopaholic.blogspot.com/
Fico a espera da tua visita.
Beijinhos

Clara disse...

Lá está, os shoppings estão decorados, as montras mostram as suas "natalices" e eu não tenho nenhum espírito de Natal. Embora com as prendas já compradas, porque eu aproveito os saldos de Setembro, penso para mim como ainda é cedo para Dezembro, mesmo sabendo que está a um pézinho... dou tanta importância ao espírito de família que para mim o Natal é isso mesmo, FAMÍLIA!

Manuela disse...

Dina, ao longo da vida, temos que reinventar a família. Este ano cá em casa, haverá menos um, também ( o pai do meu A.)
Beijinhos

Dina disse...

Manuela: Com os anos, tb tenho reiventado a minha família: os meus amigos mais especiais. Metade da minha família está longe (quilómetros) a outra metade deixei-a de a considerar de família. Só dou importância a quem a merece porque deixei de dar valor aos laços de sangue...

Vera disse...

ai reside o dilema do meu post de hoje...o natal e o significado de familia...e o natal de quando eramos crianças..´.tenho medo de ir perdendo o espirito natalicia e a sua verdadeira essencia. Ainda há dia li no FB que actualmente "as crianças pensam que o natal é significado de uma hipopotama rosa a atirar para prostituta que dá brinquedos às crianças..."


das duas uma, ou quem viveu fora das grandes cidades em criança (na generalidade)teve uma infancia mais feliz, e sentiu o verdadeiro esperito de natal, ou actualmente os valores da sociedade andam todos baralhados...

Big kiss

algodãozinho disse...

Pois para mim o Natal também já não é igual, falta aquela pessoa ... mas não me esforçar por manter o espirito Natalicio é para mim desprezar os que cá estão.Natal engloba pinheiros, luzes, calor, sorrisos, prendas, tudo faz parte e tem a sua importância.
Bj*

Filipe disse...

O Natal será sempre a festa da familia... mas como em tudo na vida, tb o Natal, e consequentemente a familia, sofre as suas curvas. Assim... O natal faz mais sentido quando ha crianças por perto! Quer queiramos ou não é essa a realidade, como comprova todos os testemunhos das gentes mais crescidas... todos sentimos essa nostalgia de um tempo passado. Por outro lado, e numa outra fase, ha o momento em que o natal é vivido sob a sombra dos familiares ausentes... há sempre momentos em que a presença da ausencia fisica é mais sentida, acima de tudo porque fomos crescendo e associando as pessoas aos acontecimentos da vida... entre eles, o natal!
E depois, ha tb aquela fase em que o Natal nem aquece nem arrefece... vive-se mas sente-se cá dentro de nós que já não é o que era! Não é necessariamente pior... é diferente. O problema é que assimilamos o Natal em criança e o tempo vai aos poucos desvanecendo essa realidade.
Natal é quando o homem quiser...(e a mulher deixar) :).. é o que todo o mundo diz... mas tb todo o mundo sabe que isso é impossivel acontecer... porque nunca todos os dias são dias iguais.
O espirito do natal, se ele existe, é o espirito da humanidade... sentimo-nos mais vivos quando temos e sentimos a nossa vida fora de nós... porque a failia é isso mesmo... a nossa vida de fora mas que se alimenta dentro de nós!
Ainda estamos em novembro... mas, feliz natal a todos! :)

Dina disse...

Filipe: dizias-me num post abaixo que não comentavas por ser homem e tal. Que pecado, privastes-nos tanto tempo de comentários fantásticos! Adorei o teu comentário e principalmente a parte linda do fim... obrigada :)

Belladonna disse...

Gostei muito do teu post, muito verdadeiro. O Natal, Natal a sério é mesmo o espírito da época e não o consumismo desenfreado.
Bj

teardrop disse...

Natal é amor. Natal é família.
Beijinhos

Bomboca do Amor disse...

Se há coisa que me dá gosto é reunir a família, principalmente no Natal!
Beijinhos,
Bomboca do Amor.

miss lipstick disse...

como te ebtendo...os natais agora metem-me nojo, perdi dia 16 de dezembro o meu querido pai, os 2 faziamos sempre a festa. agora 1 natal é um dia em k eu, a minha mae e o meu irmão ficamos de lagrima na cara, entalados a espera que passe rapido...
perdi-o com 51anos, a pessoa mais bem disposta e brincalhona que já conheci... :( Força

formiga disse...

O meu natal também é sempre a quatro... eu, os meus pais e o meu irmão e somos felizes assim. A minha mãe detesta o natal e como a familia não se vê so no natal, como dizes, preferimos assim. Os quatro.

Rit♥Catita disse...

Dina,
Revejo-me naquilo que escreveste. Na alegria que era passar o Natal em familia, todos juntos, reunidos.
Tal como tu, também a minha familia (da parte materna) se desmoronou. Hoje é cada um em sua casa! Coisa triste! Mas também não vale a pena reunir para ver trombas! É que não vale mesmo a pena!!!

Rita disse...

Quando era mais menina, o que queria era prendas e mais prendas. Agora fico feliz se tiver com as pessoas que amo e fazem parte do meu coração. As prendas não interessam, nada. Estar a dar por dar não vale a pena. *

Friendly words disse...

Post verdadeiramente bonito e com tanto significado! Relativamente ao último parágrafo, também fico extremamente triste quando para muitos o Natal resume-se ao consumismo, à demonstração de riqueza, ao materialismo. Para mim é mt triste e desesperante... estando eu a passar por uma fase financeira tão dificil na minha vida, em que tenho q fazer opções, mesmo em relação a bens essenciais, e uma parte da família do meu marido não quer perceber isso e "exige" prendas de Natal... é desesperante!

Dina disse...

Friendly words: É impressionante que haja pessoas assim (desculpa) ainda por cima família. Francamente, se não podes: não compres. Se ficarem chateados, azar. Afinal tu e a tua família é que são importantes. Se fazem restrições em casa, não vou estar a estragar dinheiro em prendas para outros. Eu sei que não é fácil por vezes enfrentar as pessoas, mas faz-o, é o mais certo ;)