terça-feira, 30 de novembro de 2010

O silêncio ensurdecedor


Chega a noite e com ela os seus tormentos. Sinto a solidão das paredes e o vazio do meu coração. Mas a pior solidão é aquela que sinto quando estou rodeada de pessoas. É estranho como se pode estar embrenhada numa conversa, a sorrir e sentir-se ao mesmo tempo tão distante e sozinha. Por vezes, sinto-me um invólcuro, uma casca vazia a quem foi retirado o seu melhor. 

Por vezes, sinto que sou apenas uma marioneta guiada por mãos invisíveis, um autómato que executa as suas tarefas já programadas, sem pensar muito nelas. Sinto-me literalmente vazia. Um vazio que deixou de doer mas que incomoda. Sinto o eco do meu coração a apelar à vida e à paixão. Mas o vazio continua. Por vezes, parecemos dois estranhos lá por casa: dois seres vazios. Mas sei que sou eu que não o deixo que preencher-me. Há momentos em que não sei se o quer, se algum dia o poderá preencher. É como viver em piloto automático: sou um carro descontrolado mas que avança devagar e que não quer ser manobrado. Essa letargia é horrível. Quero acordar para a vida, para o amor, para o quotidiano. Mas é difícil. Às vezes penso que vou enlouquecer. Estou farta que me digam o que devo sentir, como, quando. Que me digam que devo sorrir. Que me acusam de não chorar em certas circunstâncias. 

Olho para mim ao espelho e vejo duas faces: metade de mim morreu e a outra metade chora a que partiu.  Mas ambas continuam a sorrir e a manter a aparência... Sinto  o meu corpo amputado, este silêncio dentro de mim, a ausência, o peso dos dias que passam...

13 comentários:

Kikas disse...

como eu te compreendo...:(

um abracinho muito apertado linda

Purple disse...

Quando chegamos a esse ponto só um abanão muito grande da vida tem o dom de nos fazer renascer...

Vai tudo correr bem, dá tempo a ti própria.

Beiju enorme

Claudia disse...

Este post apanhou-me desprevenida. Não o fazia crer pela leitura recente do teu blog...
Será certamente uma fase. Coragem para ultrapassar estes momentos.
Infelizmente é mais comum do que possas imaginar.

Marisa disse...

Apesar de triste, é uma excelente descrição do que se passa na alma de muita gente...

*Muita Força e *Pensamento Positivo.

Marisa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bomboca do Amor disse...

Coragem querida!
Beijinhos,
Bomboca do Amor.

Dina disse...

Obrigada... Estou a tentar encontar o meu equilíbrio. Por vezes sinto-me melhor, por vezes pior. Mas tenho vivido um dia de cada vez...

Nokas* disse...

Não é fácil reencontrar motivos para retomar o quotidiano com uma forma mais positiva, sobretudo depois das ultimas incidências na tua vida. Mas não te podes fechar em ti mesma, deixa-te preencher pelo amor, por um quotidiano com pormenores diferentes. Senão morres por dentro. Mas eu entendo que isto sejam apenas palavras que podem não fazer sentido nenhum para ti. mas nao te deixes morrer por dentro!

Mami ( Sónia ) disse...

Espero que te consigas reencontrar em breve e possas então dar um rumo à tua vida.
Não é bom estar assim, nem aproveitas as coisas boas da vida. Tem cuidado para não te deixares morrer completamente por dentro, isso é muito fácil de acontecer, vai à luta de ti mesma, se for necessário procura ajuda.
Um beijo grande

Meu Equilíbrio disse...

Ola... Encontrei o teu blog por acaso e o q escreves aqui é tao o meu eu neste momento... Sinto-me perdida e a ficar num canto sem vida... Quando um namorado, ao final de anos e anis de relação estável nos diz q n quer mais, q Ja n gosta de nos como gostava... Fiquei sem chão e ando a tentar sobreviver e fazer-me forte... Mas nao o sou, e sinto q parte de mim se perdeu... Porque dava tudo pelo q tinha e n tava nada a contar com as palavras dele e coragem de seguir a vida dele sem a minha... aolivana@gmail.com

a do lado ! disse...

Parece que não és só tu a sentir-te assim. Eu sinto-me exactamente da mesma maneira, "morta por dentro".

Rita disse...

Abraço grande! *

Cate disse...

Oh :\ Espero que seja só uma fase! E que passe depressinha!