sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Em/ In - dependência


Eu não percebo o novo conceito de independência. Pessoas que bramam alto que são independentes porque: optaram por ir morar sozinhos ou porque finalmente se juntaram à pessoa amada... mas que depois as contas continuam a ser pagas pelos pais. Assim é fácil ser independente, se à primeira dificuldade ou má gestão do salário, se pega no telemóvel e se pede um cheque aos pais.

Os meus pais sempre me apoiaram e ajudaram mas nunca organizei a minha vida a contar com isso. Sempre controlei gastos a pensar única e exclusivamente a contar com o meu salário. É incrível como há adultos (sim porque pessoas com cerca de 25 anos ou mais já são adultos) que estão orgulhosos com uma vida assim, em que o papá e a mamá continuam a sustentá-lo. Para isso, que fiquem em casa dos pais! Ah, desculpem pois mas assim não seriam independentes... Ou então aqueles casais que casam e continuam a viver por debaixo dos tectos dos pais/ sogros porque senão não conseguiriam alimentar-se (mas que conseguem comprar carros de alta cilindrada, fazer viagens, manicure semanal, etc.)...

Às vezes assusta-me olhar para os adultos que a sociedade está a criar, sem responsabilidades, com conceitos de vida tão estranhos, pelo menos para mim que desde criança me foi ensinada o verdadeiro valor de independência, de gestão, de livre escolha e consequentemente responsabilização pelos meus actos...

11 comentários:

Dear Daisy disse...

Subscrevo dada palavra que escreveste. E sublinho algumas.
Beijinhos

Gelatina de morango disse...

Eu percebo perfeitamente o que dizes, e concordo de uma forma geral. Mas hoje em dia cada vez menos os empregos são seguros, e as coisas podem não correr bem como planeado.
E falo por mim, se alguma vez precisar, mesmo se já estiver casada e com filhos, prefiro pedir ajuda aos meus pais do que passar dificuldades ou pedir um empréstimo (isto enquanto e se eles me puderem ajudar, claro).

Vera disse...

Concordo plenamente! E ainda os casos de quem não consegue emprego na area de formação anos a fio mas também não agarra outro trabalho porque os pais dão mesada mesmo sendo homens casados e com filhos...porque "coitado, andou tanto tempo e estudar e agora não consegue nada".

Claro que se não temos emprego não podemos contar com o dinheiro dos pais, mas por outro lado, se algum dia me vir em serias dificuldade será aos meus pais que vou recorrer.

Luisinha disse...

Defacto assim é muito fácil ser independente... infelizmente hoje em dia há muita gente assim... claro que nem sempre as coisas correm como é esperado, e acho que a quem se deve recorrer em 1º será aos pais, mas nunca por princípio...

Tany disse...

Também não concordo com essas pessoas que recorrem aos pais para tudo. É claro que em caso de extrema necessidade agradecemos sempre que nos ajudem, agora fazer disso um hábito e contar sempre com as ajudas também não está certo. Há que lutar pela vida e disse faz parte conseguirmos gerir o nosso orçamento.

Bjs*

Friendly words disse...

Eu sou casada, tenho um filho e vivo em casa dos meus pais. Se não tivesse os meus pais talvez estivesse debaixo da ponte... sempre estive mto tempo desempregada e tive muitos trabalhos precários, tive poucos descontos, não usufrui de qq ajuda nem de licença de maternidade e se não fossem os meus pais, o que seria de nós! Hoje já tenho emprego.. há pouco tempo e vivo com muitas dificuldades! No entanto, c o meu salário e o do meu marido, pagamos tudo lá em casa q for para nós, não ando na moda, ando com roupas mt básicas e de há mto tempo, repito as roupas, assim como o meu marido. O meu filho tem a roupinha toda contada para os 5 dias da semana e parte é emprestada.Não janto fora, não tenho nada de marca.
Não gostamos de estar dependentes dos meus pais, mas não temos alternativa. Se os meus pais não existissem talvez pertencessemos ao n.º que pede ajuda para comer.

Rita disse...

Concordo plenamente. Em caso de desemprego, consigo perceber. Agora com pessoas que gastam mais do que podem... Conheço um caso em que um filho arruinou os pais porque eram os seus fiadores.

E este post também mefez lembrar outro diálogo entre duas pessoas adultas, com empregos estáveis:
- Já viste? Agora temos que pagar o arranjo do carro!
- Deixa lá, ligas para o teu pai!

Liliana disse...

Concordo com o q dizes e conheço mt boa gente assim! Uma coisa é pedir ajuda pq não temos dinheiro para comer...mas entao se nao temos para comer não nos vamos pôr a comprar outros bens de luxo, ou a jantar fora muitas vezes, etc,etc.

A minha mae até agora ajudava-me com um valor (nada de mais, mas era uma ajuda) pq quando saí de casa o carro ficou para ela. Todavia essa ajuda terminará no fim deste ano!

Entendo q se recorra aos pais quando não há dinheiro para comer...agora para luxos não!

É isso e as pessoas que têm filhos a contar à partida com a ajuda dos pais! Só porque não estão mentalizados que terão de deixar de fazer a vida que faziam até então!

Nokas* disse...

Post muito bem escrito, e tenho de dizer que concordo com tudo, tudo, tudo o que disseste. Estamos perante uma sociedade com valores questionáveis, a independência é um conceito cada vez mais relativo. Tenho uma prima com 19 anos que queria viver sozinha para ter independência. Mas quem a ia sustentar era os pais. Ou seja, este conceito de independência tem muitas interpretações.
pessoalmente vivo com os meus pais, ganho o meu sala´rio e governo-me bem e nunca dei trabalho nem grandes despesas aos meus pais e espero continuar assim. O que vou querendo junto para comprar.

Rita disse...

Concordo contigo a 100%! Para mim a independência é depender exclusivamente de mim e do meu trabalho. E posso dizer de boca cheia que desde que comecei a viver sozinha, com 19 anos, na minha casa, nunca (nunca!) recebi dinheiro nem apoios de ninguém e que aquilo que tenho vem do meu suor. E isso para mim é um orgulho enorme =) *

' Claudjinha disse...

Podes crer! Nunca me vou considerar materialmente independente enquanto os meus pais tiverem que me sustentar. ou o banco, créditos. para mim independência é gastares aquilo que tens e que ganhaste com o teu suor. não facilidades!! se é para se morar sozinho mas ser tudo pago pelos pais, mais vale viver com os pais durante mais uns anos e quando for para sair e construir uma vida, é mesmo a valer!