sexta-feira, 15 de maio de 2009

Crucifiquem-me


Este post contém pensamentos abusivos. Desaconselhável a almas sensíveis.

Cada vez tenho mais horror a crianças. Nunca tive muito instinto maternal (como as mulheres que dizem desde muito novas que o sonho delas é ser mãe) mas pensei que com os anos, gostaria cada vez mais destas criaturas. Enganei-me! Cada vez atrofio mais quando elas estão num raio de 1 km a minha volta. São cenas horripilantes no metro, no comboio, no supermercado, na sala de espera do médico, na rua. Enfim, são umas birrantas e mal-educadas. Afasto-me delas como se fossem pesta! Não aguento estar ao pé delas. É estranho mas fico espantada quando vejo uma criança bem comportada e educada. Não deveria ser o contrário a surpreender-me?

Mexem por todo o lado, incomodam quem está ao pé, enfim. Mas de quem é a culpa afinal? Dos pais que assistem serenamente à cena e ficam impávidos «olha que incomodas a senhora». Pois incomoda mas não fazem nada. E uma palmada no cuzinho da criança não? Parece que os pais é que têm medo dos filhos! Uma vez assisti a esta cena: numa rua em Telheiras, uma mãe tira a criança do carro e diz-lhe para ficar ali. A criança põe-se a correr e não é atropelada por sorte. A mãe agarra na criança para repreendê-la e é premiada por dois valentes pontapés do filho. Moral da história: larga o filho que volta a atravessar a estrada a correr, sem ela dizer ou fazer nada. Serei só eu que me cagava toda, só de o meu pai arregalar os olhos.

Não tenho filhos por isso não quero julgar a educação que os outros dão os seus lindos rebentos. Mas nada têm de lindo, meninos mal-comportados e mal-educados de quem toda a gente foge a sete pés. São estes os adultos de amanhã que não têm respeito por nada, nem ninguém. Medo, muito medo!

* Falo de crianças dos 4 aos 10 anos mais ou menos

9 comentários:

Sara disse...

Concordo contigo a 100%. Parece contagioso... Cada vez há mais meninos mal educados e que não reagem bem às frustrações! Os pais querem dar uma educação diferente da que receberam (às vezes muito extremada)e tanto querem ter os filhos como "amigos" que por vezes esquecem-se que são em primeiro lugar pais!!!
Passa-se do 8 para o 80!
Mas felizmente nem todos são assim...

Dina disse...

Nem todos são assim, mas a grande maioria é. Querem ser «amigos», o que acho muito bem, mas esquecem-se que tb são «a autoridade».Mas não se pode dizer nada aos meninos senão ficam traumatizados e vão ao psicólogo. Acho que o tipo de educação que se pratica hoje em dia vai ter efeitos mt maus daqui há uns anos. E já se vê bem: já não há respeito pelos professores, pelos polícias, pelos pais, nem por ninguém...

Verinha disse...

Eu também me stresso com criancinhas parvas, que não sabem o que é um não, ou um tá quieto.
O meu irmão é desses, começamos a brincar e tal, quando me farto explico-lhe que já chega, mas o puto continua agarrado amim tipo lapa pa brincar e depois como não lhe dou trela começa aos berros, então optei pela tatica de não brincar com ele, assim não me cheteia.
Vá lá que não é de fazer escandalos, fala é como se tivesse na praça, aos berros, mas pronto é uma questão de volume, deve ter vindo com defeito! lol

A minha mãe tá-me sempre a dizer, um dia quando tiveres filhos nem quero ver, com pais como vocês a criança não vai poder se quer respirar que vocês já estão a mandar vir. Se calhar é por ela pensar assim que o meu irmão é daquelas crianças chatinhas e melgas!

Goma disse...

Se há coisa que me irrita são crianças mal educadas!! Adoro crianças até ao momento em que estas me revelem o minimo sinal de birra! Infelizmente, na maior parte dos casos, elas conseguem SEMPRE o que querem!! Também ainda não sou mãe, mas tenho a certeza de que birras comigo não resulta!!

BEJO*

Elisabete disse...

O que dizes é uma realidade, não o vou negar, mas não deixo de gostar delas :)
Uma coisa é certa, as crianças são cada vez mais mal educadas, fazem birras por tudo e não olham ao lugar nem a meios para conseguirem o que querem.
Não querendo generalizar, também concordo com a ideia que a culpa vai muito da educação que lhes é dada logo desde bem pequenos.
Por outro lado, conheço um caso de dois irmãos, que tiveram exactamente a mesma educação e não têm nada a ver um com o outro. Um é super educado e até bastante calmo, sempre foi, parece mesmo um adulto em pequenino :)
O outro é completamente o oposto, um irrequieto de primeira, faz birras por tudo...uma coisa impressionante.
Um é o que leva na escola, o outro vai ser dos que bate de certeza :)
Portanto, é um bocado complicado conseguir perceber de quem é a culpa...mas que hoje há demasiadas facilidades, isso sem dúvida.

Elisabete disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Yx4K6px9azY

Em tom de brincadeira, vejam o filme do link :)

kuka disse...

Acho mesmo que é uma questão de educação,mas percebo o que queres dizer.Eu sempre disse que se algum dia for mãe,que vou ser tipo militar,porque há coisas que não tolero e estas que escreveste são algumas delas.Mas entendo bem o que queres dizer.beijinho

anaaaatchim! disse...

É tão, mas tão difícil educar uma criança... compreendo o teu ponto de vista, mas acredita que também compreendo o outro lado =)
Acho que só mesmo passando para o lado de cá, para se poder avaliar verdadeiramente a questão *suspiro*

Dina disse...

Pois anaaaatchim tenho a certeza que quando tiver um filho vou mudar a minha opinião em muita coisa. Mas sei que não vou ser uma mãe muito permissiva. Há coisas que não se podem admitir...