quarta-feira, 15 de março de 2017

Cada maluco tem as suas taras






Gosto muito de decoração e regularmente vou mudando alguns apontamentos lá em casa, sempre reciclando e dando uma nova vida ao que já tenho. Mas há duas coisas que nunca verão em minha casa: relógios e estantes.

Adoro relógios e guardo religiosamente um de bolso do meu pai. São peças lindíssimas, mas não consigo tê-los expostos em casa. O único que tenho é o do forno. Gosto de estar em casa sem a pressão do tempo. Não gosto de ser sempre pressionada pelo passar das agulhas. 

Como devem imaginar, ao ritmo que leio (e felizmente muitos vou buscá-los à biblioteca local), tenho muitos livros em casa. Mas nunca terei aquelas estantes com os livros alinhados, certinhos, ordenados por cor, ordem alfabética, editora ou outro critério. Dá-me urticária. Para mim os livros são uma essência viva, que me tocaram, que fazem parte integrante da casa e de quem os leu. São muito mais do que um objecto decorativo. Por isso não consigo confiná-lo a um lugar marcado, guardados e esquecidos numa estante. Os meus livros estão espalhados pela casa, em lugares mais ou menos inusitados, desalinhados, mais ou menos escondidos. Inspirei-me nesta foto da Sofia do As nove no meu blogue, para o meu próximo "reaproveitamento". Quero recuperar a "valise en carton" dos meus pais, uma mala vermelha e preta que levaram para França quando emigraram para destacar uns livros especiais na sala. 

Mas gosto muito de estantes originais, mas não tenho espaço para elas... 


1 comentário:

a-tempo-e-horas blog disse...

Adoro pormenores de decoração :)